Hemorragia no dentista!

Confesso que a intenção inicial deste post era falar apenas de problemas de saúde que dificultam a coagulação do sangue, mas acabei sendo um pouco mais abrangente, tentando deixar as informações menos chatas técnicas…

Coágulo sanguíneo
Coágulo sanguíneo

Por definição, hemorragia é quando algum sangue consegue sair dos vasos sanguíneos. Então qualquer sangramento é hemorragia? Sim, mas não se desespere!! Por convenção, acabamos chamando de hemorragia apenas quando há um volume importante de sangue perdido (seja por um fluxo maior ou por tempo prolongado).

Quando há maior risco de ocorrer uma hemorragia?

Para que o organismo controle naturalmente um sangramento, é necessário que uma sequência (cascata) de substâncias (fatores) seja produzida, o resultado é uma rede que “entope” a saída das células do sangue (a imagem do post é um coágulo aumentado no microscópio! Veja que a rede amarela retém as células coloridas). Qualquer falha na produção de um fator coloca toda a cascata em jogo, impedindo a formação do coágulo, e assim alguns pacientes podem ter maior risco a  sangramentos importantes. Podemos dividir estes pacientes em grupos:

  1. Pacientes com problemas de saúde: Hemofilia, doença de Von Willebrand, púrpuras, cirrose hepática, etc. Nestes pacientes a coagulação não ocorre normalmente por algum defeito na cascata, e por isso quando houver necessidade de cirurgia, deve haver um preparo especial da equipe e, dependendo da gravidade do caso, o procedimento deverá ser realizado em ambiente seguro (hospital ou hemocentro);
  2. Pacientes que tomam remédios: AAS e outros anti-inflamatórios, anticoagulantes e outros. Nenhum medicamento é perfeito, todos têm algum efeito colateral, e alguns podem interferir na coagulação. O grau desta interferência deve ser avaliado pelo dentista e ele pode até pedir exames de sangue para escolher o melhor momento para uma intervenção. Na maioria dos casos, os procedimentos são realizados no consultório, mas sempre com conhecimento e aprovação do médico que receitou o remédio;
  3. Em caso de procedimentos de grande porte: Cirurgias ortognáticas ou de grandes traumas da face, quanto maior o procedimento, maior a exposição de áreas que sangram;
  4. Quando a área de trabalho é muito vascularizada: Lesões inflamatórias costumam ser muito vascularizadas, além disso, a quantidade de vasos varia em cada local na boca;
  5. Em caso de variações anatômicas: Quando o paciente nasce com uma veia ou artéria uma pouco mais calibrosa, mais frágil, ou num local incomum, e que assim não pode ser prevista pelo dentista, mas este tipo de situação é extremamente rara.

Como diminuir o risco?

Os problemas acima são detectados com algumas “perguntas-chave” antes de qualquer procedimento, na consulta de avaliação. Para que seu dentista consiga programar seu tratamento da melhor forma possível, nunca omita informações sobre sua saúde!

E se acontecer uma hemorragia?

Algumas manobras podem ser usadas para minimizar as hemorragias:

  • O dentista pode lançar mão de artifícios para provocar/acelerar/manter a coagulação (cola, fitas ou esponjas de fibrina, soluções hemostáticas, remédios, até a própria solução anestésica… as opções são muitas e cada qual tem sua indicação!);
  • Compressão (manter uma gaze pressionada sobre a ferida por alguns minutos – normalmente cinco são suficientes) – é uma medida extremamente eficiente. A lógica é que parando o fluxo, damos tempo para a formação do coágulo);
  • Sutura (sempre que possível o dentista deve dar pontos, mesmo que eles não fechem a ferida completamente. Os fios são uma segurança a mais para manter o coágulo firme e forte;
  • Aplicação de frio (sim, frio! Água gelada, sorvete, bolsas de gel resfriadas no rosto… O frio reduz o fluxo de sangue e assim diminui o sangramento, “de quebra” também reduz inchaço e dor);
  • Repouso (quando o coração bate mais rápido por esforço físico ou stress, aumenta a pressão sanguínea e isso pode favorecer a ocorrência de sangramentos);
  • Ajuda da gravidade (sim, manter a cabeça alta diminui a pressão vascular na região, e assim, mais fácil haver coagulação).

* * *

Sempre que qualquer procedimento é realizado, seu dentista avalia o famoso “risco-benefício”, que é a relação que existe entre o bem estar proporcionado por um tratamento e a possibilidade de ocorrerem problemas decorrentes dele. Na maioria das vezes opta-se pelo tratamento sem hesitação, já que cada vez temos mais e melhores ferramentas para contornar eventuais contratempos!  Confiança é fundamental!

É dentista e quer saber mais? Clique aqui!

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Pacientes EspeciaisUrgências e Emergências

Marcadores:

25 comentários

  1. Doutora, eu fiz a extração de um siso inferior esquerdo ontem e está jorrando muito sangue, sem parar. Tenho trombofilia e tomo anticoagulante, que foi suspendido no dia da cirurgia. Eu já tinha extraído o siso inferior direito e não foi desse jeito, sangrou um pouco, nada de de mais. Hoje a tarde cheguei a acordar engasgando no sangue, com a boca cheia. Meu rosto tá muito inchado, muito mesmo. Tenho feito a estratégia da gaze e do gelo, conforme a dentista me instruiu. Ela também me receitou antibiótico e corticoide, devido ao inchaço e sangramento. Nem tomar um sorvete tô conseguindo direito pq se eu tiro a gaze o sangue já inunda a boca… Seria melhor ir a um pronto socorro?

    1. Luciana, se você achar que o sangramento está demais, vá ao pronto-socorro, sim. Mas o fato de você fazer uso contínuo de anticoagulante já explica o que está acontecendo (mesmo que o medicamento tenha sido suspenso no dia da cirurgia). Não chega a ser uma hemorragia, mas uma dificuldade de estancar esse sangue. Faça compressa fria, não bocheche e mantenha a cabeça mais alta que o tronco, sempre.

  2. Sempre que tomava anestesia normal no dentista tive problemas, me sinto mal, meu corpo começa a tremer muito, taquicardia, frio intenso. Não sou hipertensa, não tomo nenhuma medicação, e nenhum dentista soube me dizer o que acontece. Sou super tranquila, não é medo nem ansiedade, é mal estar terrivel, impressão de morte.

    1. É ansiedade sim, Lucia. Os sintomas são clássicos. Você chega na iminência do desmaio, que é uma sensação horrorosa mesmo, chamada lipotimia. Você é super tranquila no dia a dia, o que não impede que você passe por um episódio como esse. Acontece.

  3. Doutora, extrai os terceiros molares e faz 5 dias, nao estou sentindo dor nem sangramento, com quanto tempo posso voltar a jogar ?

    1. Alyson, aguarde pelo menos 1 semana e a remoção dos pontos pra voltar à atividade física. E mesmo assim, aos poucos, respeitando seus limites.

  4. No caso do paciente com cirrose hepatica, que vai fazer extração do dente 27, qual a medicação que deverá tomar antes de fazer ?

      1. Olá Ana.
        Durante um tratamento de canal meu dentista disse que minha coagulação estava ruim… nao entendi pois nao tenho esse tipo de problema… estava com uma carie bem avançada. A verdade é que eu nao entendi o que ela quis dizer. O que será?

        1. Cristina, provavelmente ele disse isso porque demorou pra parar de sair sangue do seu dente durante a abertura e o acesso do canal. Não é que você tenha um problema de coagulação em si, só que sangrou por mais tempo do que ele esperava. Acontece, não vejo razão pra preocupação.

  5. Dra. muuuuito obrigado mesmo pela força, de coraçao, me ajudou bastante, parou o sangramento, eu dormi a noite toda, estou pronta pra outra (q sera na proxima segunda, talvez eu volte aqui rsrs). Parabens pelo seu trabalho q tenho certeza q ajuda muitas pessoas ansiosas como eu, a senhora e um anjinho iluminado q caiu aqui na net pra nos orientar e nos dar coragem. Deus te abençoe, bjs e ate mais…

  6. Ola de novo Dra. Ana, um dos dentes foi embora e esta acontecendo o msm q aconteceu com a Geisa, sangramento e um coagulo enorme, devo deixa-lo aqui? É dente da frente, minha boca esta com um gosto horrivel, liguei pro dentista e esta fora de area, o q eu faço?

    1. Marcia, as recomendações são as mesmas que dei a ela, pra não estimular o sangramento: não faça bochechos, não use canudinhos e não cuspa. Tome água gelada (sem bochechar).

  7. Obrigada dra. Estou me preparando para o procedimento daqui a pouco, mas ta dificil controlar a ansiedade… E pensar q e so o primeiro dia… Estou com dor de barriga. To ate com medo do meu medo de tanto medo kkkk que horror, boa sorte pra mim, ne?!

  8. Tenho cirrose hepatica pelo virus da hepatite C, tenho q extrair varios dentes e vou começar na proxima terça, meu dentista e experiente mas parece q ficou inseguro depois q falei da doença, me passou 14 dias de amoxilina 8 em 8 hrs. Estou com muito medo. Sera q tem perigo esse procedimento? Ele diz q nao, q os antibioticos me protegem, sera?

  9. Estou com uma bola de sangue enorme no lugar onde ranquei o dente, e mesmo assim n para de sangrar, está sangrando desde a hora que sai do dentista, era meio dia, agora são 0:35… N consigo nem dormir.

    1. Geiza, não faça bochechos, não use canudinhos e não cuspa. Essas são coisas que estimulam o sangramento. Tome água gelada (sem bochechar).

  10. Tive hemorragia 4 dias após a extração do siso e perdi muito sangue ontem, me informaram em casa que deveria colocar muito sal no algodão e morder para estancar o sangue, mas quando fiz isso piorou e muito, ai quando olhei tinha formado um coágulo que estava em cima da extração e dos outros dentes e eu não sabia o que fazer, quando cheguei no hospital me deram injeção de vitamina K e soro, mas não fizeram nada e fiquei com sangramento por 5 horas e o coágulo que ficou formado não foi mexido mais, ele esta muito grande e eu não sei se pode ficar assim, e só vai abrir o dentista daqui a 6 dias, o que devo fazer sobre esse coágulo que fica por cima cobrindo o ponto e meio esbranquiçado?

    1. Quem “informou” você de que colocar sal sobre o local da extração seria uma boa ideia estava REDONDAMENTE enganado, Sibelly. Por isso que, nessas horas, a pior coisa é pedir conselho pra quem não entende nada do assunto. Não faça NADA com o coágulo, deixe ele onde está. É ele que impede que haja um novo sangramento.

  11. Tomo betabloqueador para taquicardia devido a ansiedade. O meu médico me disse que não sou hipertensa, mas minha pressão tende a subir em momentos de stress, ex. ir ao dentista. Pergunta: a minha anestesia tem que ser diferenciada ou não?

    1. Ghislene, não. Se você não é hipertensa, o tipo de anestesia é o mesmo usado em qualquer paciente (com vasoconstritor).

    2. O objetivo do Betabloqueador é minimizar os efeitos da adrenalina do seu corpo, como estes picos de pressão alta que você relata, Ghislene. As soluções anestésicas costumam conter vasoconstrictores (adrenalina ou alguma outra substância com ação semelhante). Na teoria, seu anestésico deveria ser sem vasoconstrictor, mas na prática, se o dentista executar corretamente a técnica anestésica, não há problemas em usar qualquer anestesia! Isso por que, na técnica correta, o anestésico não é injetado na corrente sanguínea, e outra que a adrenalina da solução não é tão potente quanto a produzida pelo corpo.

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Guilherme Genovez Júnior

Cirurgião-dentista graduado pela UNIVALI - Universidade do Vale de Itajaí, especialista em Pacientes com Necessidades Especiais pela São Leopoldo-Mandic, habilitado em Sedação Consciente pelo COPH-Bauru.