Pobre tem que ficar banguela?

Durante a época de faculdade me lembro que eu tinha um sonho: o dia que eu tivesse o meu consultório eu queria atender de graça, 1 vez na semana, pessoas que não pudessem pagar por um tratamento odontológico. Eu já comprei e já vendi meu consultório próprio… adivinha se isso aconteceu?

Quando a gente está começando na profissão costuma tentar abraçar o mundo. Não há nada de errado em querer ajudar o próximo, pelo contrário. Mas não dá pra resolver as coisas sozinho… por mais que a intenção seja boa, esbarra na realidade: recursos e método. Como selecionar essas pessoas e impedir que o cidadão deixe o carro zero na quadra de baixo, calce suas Havaianas e entre na fila? (gente, e eu não estou exagerando…. já vi coisa parecida acontecer). E quem financiaria esse 1 dia de caridade? Os ganhos dos outros dias da semana? Não dá, as contas não se pagam sozinhas.

Participei de algumas ações voluntárias desde que me formei, mas a ideia de atender de graça periodicamente ficou pra trás, bem guardada no fundo do baú do idealismo. Existem outras formas de se fazer isso.

A pergunta que dá título a este post foi feita por uma pessoa no Pergunte ao Dentista. A questão completa era: “Por que é tão difícil encontrar um dentista na rede pública? Pobre tem que ficar banguela?“. Achei a pergunta interessante porque tá cheio de dentista por aí doido pra passar em concurso público. Se tem gente que precisa de atendimento e, do outro lado, profissionais com vontade de trabalhar… o que é que falta? Falta vontade política que sirva de ponte.

Falta investir em infraestrutura… falta contratar mais dentistas (e não apenas realizar concursos para “legalizar” quem já está lá dentro)… falta melhorar o salário de todos os profissionais de saúde… falta alguém com poder político que realmente se importe se tem pobre ficando banguela! Enquanto isso, a gente vai fazendo o que pode… e o dentista do postinho, que chegou lá por mérito próprio, leva a (má) fama que caberia a quem vê com descaso essa situação.

Sabe por que a gente paga seguro de carro? Porque, se acontecer um acidente, a gente não tem dinheiro pra comprar um carro novo. Afinal de contas, quem tem grana MESMO não precisa pagar seguro… bateu, ou paga o conserto ou compra outro. E o seguro, em se tratando de saúde bucal, se chama higiene. Atenção, agora eu vou dar uma dica sensacional pra você que não tem dinheiro pra gastar com dentista:

Peça pra um dentista ensinar você a usar escova e fio dental. Depois, use sempre. 

Se você não tem dinheiro pra consertar os dentes, não deixe que eles estraguem! É BEM MAIS BARATO. Claro, existem situações inesperadas, acidentes, e talvez hoje os seus dentes já estejam estragados. Mas, de forma geral, nada neste mundo obriga você a ter cárie, gengivite e doença periodontal. E antes que alguém ache que eu estou sendo irônica, já aviso: não estou. É sério.

Não: pobre não tem que ficar banguela… ninguém tem. Perder os dentes não faz parte da vida e nem é inevitável. As armas dessa luta já estão nas suas mãos, é uma questão de usá-las. E o nome do seu comandante é cirurgião-dentista, reporte-se a ele a cada 6 meses, não interessa onde: na Unidade de Saúde, em alguma faculdade de Odontologia, na ABO, num sindicato, num consultório particular. Essa regra vale pra todos, ricos e pobres. A diferença é que, se você for rico e tiver um imprevisto, vai ter como pagar por ele.

Enfim, saúde não é gasto, é investimento em você mesmo. E, em se tratando de algumas pessoas (não estou generalizando, que fique claro) o problema não é falta de dinheiro, é inversão de prioridades… não há dinheiro pra investir no dentista a cada 6 meses, mas sempre dá-se um jeito de arranjar o necessário pra comprar a carteira de cigarro do dia. Continha rápida: 1 carteira por dia (R$ 3,00) durante 1 ano = R$ 1.095,00. Que dentista cobra R$ 547,50 por consulta? Fica a dica.

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Profissão: Cirurgião-Dentista

Marcadores:

15 comentários

  1. Excelente texto, Ana! Sem duvidas a prevenção é o melhor remedio! Agora, sobre a prevenção eu tenho uma sugestão (n sei se a senhora ja fez isso aqui no seu blog): instruir as pessoas como escovas os dentes! Descobri recentemente através da minha dentista q eu escovava os dentes erroneamente! Escovava-os com muita força, por isso q minha escova abria as cerdas rapidamente! Minha escova so tinha 2 meses de usada e eu n entendia pq estragava tão rapido! Ai levei a dita cuja p minha dentista olhar e ela me explicou q eu escovava com muita força e de quebra isso desgastou meu dente da frente da arcada de cima e dois da arcada de baixo! Ela vai restaura-los! E ainda me ensinou a maneira correta de se escovar! Aprendi q força na escovação n é sinônimo de higiene bucal! Um abraço!

    1. Obrigada, Michelle :). Você fez a coisa mais básica do mundo e que, infelizmente, as pessoas não costumam fazer: procurar um dentista pra ser orientado sobre higiene bucal. Muita gente adulta tem vergonha, medo de parecer “bobo”, sei lá… mas pra que é que serve um dentista se não para orientar seus pacientes, não é mesmo? E ninguém é obrigado a saber escovar os dentes se nunca foi orientado nesse sentido. Porque, olha, fazer direito não é tão simples como o pessoal pensa… 😉

      Sim, eu tenho 3 textos que falam do assunto em específico, embora o tema seja incidental em todo blog. São eles:

      https://medodedentista.com.br/2011/06/como-escovar-os-dentes.html
      https://medodedentista.com.br/2011/08/como-escovar-os-dentes-usando-aparelho.html
      https://medodedentista.com.br/2010/11/nao-se-case-com-sua-escova-de-dentes.html

      Abraço!

  2. Estou na fila de espera do posto de saude ha mais ou menos 4 anos, nao consigo uma oportunidade de fazer uma reconstruçao na minha boca, pois perdi a maioria dos dentes durante minhas gravidez,nao é por falta de higiene, pois faço minhas escovaçao 4 vezes por dia, mas a falta de potassio me deixou dessa forma e nao tenho como pagar um particular que seria meu sonho, e ainda pra completar tenho pavor de dentista, mesmo com tudo gostaria de encontrar alguem que me ajudasse a aumentar a minha autoestima, obg.

  3. Infelizmente o mal caratismo ocorre em todas as áreas, e as pessoas que realmente precisam dos serviços de caridade perdem a vez para os pobres de espírito.

  4. O problema de escovar os dentes é q é muito, mas muito, muito chato mesmo. É tão chato, mas tão chato, q é a última coisa q faço no dia… adio pra última hora, quando não há mais nada a fazer a não ser escovar os dentes e dormir. Se dependesse do meu instinto, rs, eu já estaria banguelo. Mas como sou um animal racional, por consciência cuido dos meus dentes. Mas q é chato pra [email protected]¨%$, ah, isso é mesmo!

    Ana, quanto a atender de graça… eu te entendo perfeitamente. Eu tbm sou uma pessoa idealista. Logo me formarei em direito, e já pensei várias vezes em atender gratuitamente quem não tiver condições. O problema é q o ser humano é malandro, malvado. Tem má índole. Não vc q é uma exceção, mas boa parte não presta, só querem tirar vantagem. Além disso, as pessoas não dão valor ao q é de graça; veja o SUS, por exemplo. Apesar de ser bancado pelos impostos q pagamos, quando vc precisa de atendimento não precisa pagar na hora e pode usar a vontade. Claro q fica td lotado, mas é justamente por ser “gratuito”, ai aparece de tudu, boa parte “dor de cabeça” e carência afetiva. Enfim, se o cara tivesse q pagar por cada consulta, só apareceria quando estivesse dentro da ambulância morrendo.

    Essa é a realidade. Eu entendo seu pensamento. Vc é boa, quer fazer sua parte, tem idealismo. Porém o mundo é diferente de vc, vc é a exceção, tenha certeza disso (ou pelo menos um dia terá).

    Minha opinião é a seguinte: cobre menos de quem vc acha q precisa de ajuda.

    1. Infelizmente, é verdade Nico. A gente às vezes olha pra pessoa e percebe que ela precisa de ajuda, é como uma intuição. E, mesmo assim, às vezes se engana. Mas é aquela história: se eu estiver sendo enganada, quem vai pro inferno não sou eu. 😉

  5. Isso também acontece, Júlio, mas a imensa maioria é vista tal qual gado: a empresa escolhe,e é batido o martelo. Pra vocês terem idéia, as UNNA da vida chegam a roubar 10 reais de cada cabeça… e acho muito porque o atendimento custa zero pra operadora. Ninguém faz nem consulta.

    Essa idéia da Tokus de fazer voluntariado é digna de aplausos; mas creio que todos nós já tivemos esse lampejo de idealismo na nossa carreira. Eu mesmo já fiz trabalho gratuito em creche aqui em Campinas, utilizando minhas economias pra consertar compressor danificado, alta travada e refletor zuado. Bem, pelo menos acho que o papai lá do céu vai me privar de umas futuras lombalgias e tendinites que nossa profissão nos presenteia, né?

    Acho que se as empresas nos consultassem antes de fechar com essa ou aquela operadora, as coisas poderiam ser bem diferentes, visto que as menos ordinárias teriam rendimentos melhores e isso acarretaria uma competição com reais frutos pra nós CDs. Aqui por mais porcas que todas sejam, a Uniodonto ainda diminui as glosas e paga nossos pagodes em dia. E na sua região, Ana, qual convênio é o menos indecente?

    Abs.

    1. Eu ando meio por fora do mundo dos convênios, mas ouço falar menos mal 😉 do Bradesco Dental e da Amil Dental. Minha colega atende a Sanepar (convênio da companhia de águas e saneamento aqui do Paraná) e ele tem uma tabela bem razoável e paga direitinho.

  6. Marcelo, sinto muito mas “infelizes conveniados” não. Grande parte adere a esses planos achando que estão levando vantagem.

  7. Já passei pela seguinte situação: Quando montei meu consultório “rapei” tudo o que tinha, inclusive meu carro entrou na dança. Fiquei com dó de um senhor muito coitadinho que me devia o tratamento, era doente o cachorro tambem era doente, enfim aquela ladainha e deixei quieto. Um belo dia, vou pagar minhas contas e vejo o safado saindo de uma loja com uma bela tv de 42 polegadas e olha que na época nem eu tinha… Enfim, cobre mesmo porque ninguem valoriza o que é de graça.

  8. Ô Ana, os pobres do nosso Brasil Varonil são esquecidos há muito tempo; uma pena. Agora saiba que nem precisa ser humilde pra “mendigar” atendimento na Odonto. Sei que convênio não é sua praia, mas quem necessita deles e possui uma carteirinha, tá na roça. Aqui em Campinas, os clientes batem perna o tempo todo e não conseguem marcar hora nem pra consulta de avaliação, os colegas não querem perder tempo nem com a primeira consulta.

    Pode incluir ai os descamisados dos conveniados, que apesar de estarem em alguma empresa, são tratados com desprezo pelos CDs. Tá errado? Não! Sabe por que? Porque as empresas não estão nem ai com a operadora dental contratada, valendo aquela que for mais vadia com seu preço.

    Em Paulínia existe a maior refinaria do Brasil e a maioria das empreiteiras possuem a desgraça da UNNA; e o resultado é que os postos não tem mais como atender a população regular da cidade, visto que o número de usuários cresceu enormemente.

    Concluindo, soma ai nas suas bem traçadas linhas que nem só os humildes carecem da gente, mas também os infelizes dos conveniados.

    Em tempo: a Unna tá sendo comprada pelo Banco do Brasil, e vai se chamar BB Dental.

    Abs.

    1. Concordo plenamente, Marcelo. Até pensei em incluir a questão dos convênios no texto, mas aí o que já estava longo ia virar um livro. Mas que bom que você registrou o assunto aqui, é uma realidade! Eu não estava sabendo ainda que o BB tá comprando a UNNA… Abraço!

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista