Não vá ao dentista!

Quem aqui já deixou de ir no dentista com medo de levar bronca, levante a mão o/! Tem uns dentistas por aí que vivem achando defeito em tudo: acusam você de não escovar os dentes direito, reclamam quando algum bráquete do aparelho ortodôntico descola… como se a culpa fosse sua! Veja que interessante a pergunta abaixo, retirada do Yahoo! Respostas (grifos meus):

Dentista criticando o paciente

Segundo o autor da pergunta (e da melhor resposta, escolhida pelo autor), um dentista  não deve criticar seu paciente pois, dessa forma, está agindo sem ética. Ainda, avaliar a higiene do paciente e emitir sua opinião a respeito configuraria “crítica destrutiva”, o que deve ser evitado. Veja outras respostas para a mesma pergunta:

Opinião de outras pessoas

Por que os dentistas agem assim? Por vários motivos, segundo os internautas. Porque querem se mostrar e parecerem superiores, não gostam do que fazem (por isso o mau humor), não agem de forma profissional… enfim: são chatos e mal educados.

Minha teoria, porém, é outra. Acredito que a raiz do problema está na maneira que os pacientes, de forma geral, enxergam a atividade do dentista: dentista é aquele cara que resolve problemas nos dentes. Alguma coisa errada na sentença? Não. É verdade, a gente resolve mesmo. Porém considero essa definição, no mínimo, incompleta. Pra mim, dentista é aquele cara que impede que você tenha problemas nos dentes. Nos dentes, na gengiva, na língua, etc.. Entenderam a diferença?

Se a gente considerar que dentistas servem apenas pra consertar o que está estragado, vou ter que concordar com as opiniões que aparecem nas imagens deste post. Afinal de contas, se o nosso trabalho for arrumar dentes, pra que é que interessa saber como foi que eles estragaram? E mais: pra que impedir que eles se deteriorem? Nossa função é curar! Por outro lado, se levarmos em conta a definição que eu sugeri, o dentista passa da atividade exclusivamente curativa para a preventiva. E aí, caros internautas, vocês perdem totalmente a razão.

Se você não quer ser orientado sobre higiene bucal, não vá ao dentista. Espere os seus dentes se estragarem e pague caro para que o dentista os arrume.

Se você não está preparado para ouvir o que o dentista têm a dizer sobre a sua higiene bucal, não vá ao dentista. Porque você não quer alguém que zele pela sua saúde, mas um tapador de buracos conivente com a sua higiene ruim.

Se você acha que chamar sua atenção para um problema com consequências sérias é faltar com a ética e agir de forma pouco profissional, não vá ao dentista. Continue escovando os dentes do jeito que você acha melhor, e espere a cárie e a gengivite se tornarem realidade pra você.

Se você acha que a culpa dos seus problemas bucais não é sua e sim do dentista, da falta dinheiro, da falta de tempo… não vá ao dentista, não vai adiantar. Porque o dentista nunca estará à sua altura, o tratamento vai sair muito caro e você não vai achar um horário compatível com a sua agenda.

Se você acha que quem tem que limpar os seus dentes é o dentista, não vá ao dentista. Porque ele, com certeza, vai criticar a qualidade da sua higiene bucal.

Uma das respostas à pergunta proposta me chamou a antenção. O que você acha?

O que você acha?

Enfim, higiene ruim nem sempre é preguiça ou negligência. Muitas vezes é falta de orientação ou consequência de alguma limitação. Não há motivo pra se ofender com a avaliação do dentista sobre sua escovação… o papel dele é opinar e orientar. Dizer que você precisa escovar melhor os dentes está longe de ser uma crítica destrutiva ou tentativa de constrangimento. Encare como um alerta importante e como um desafio pessoal.

Em tempo: no caso da filha do autor da “melhor resposta”, ele confere ao remédio a culpa pelas cáries da criança. Pode ser reconfortante se apoiar numa explicação como essa mas, seguramente, o remédio não teve nada a ver com isso. Imunidade baixa e alterações hormonais podem aumentar as chances de problemas gengivais e periodontais, mas nunca causariam cáries em ninguém. O que provavelmente aconteceu é que a artrose que a menina tinha provocou alguma dificuldade motora, o que prejudicou a escovação e, consequentemente, favoreceu o aparecimento de cáries. Mas é só uma teoria… 😉

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Profissão: Cirurgião-Dentista

Marcadores:

17 comentários

  1. (portugués ruim porque sou uruguaio) Todo mundo tem os seus dias de mau humor, estresse, etc. Sou muito cuidadoso com a minha higiene bucal, e quando fui colocar o aparelho, ao ir fazer os exames previos, a moça da clínica (nem era a dentista) ao tomar as fotos da parte de cima tirou o espelho da minha boca com uma linha de saliva “pendurada”, e apesar que parece mentira – ela limpou a saliva na minha bermuda, ainda ja foi colocar o espelho outra vez para outra foto. Claro que fechei a boca pro espelho, ao reclamar, ela pediu desculpas sem nem me olhar e disse que era porque estava com pressa… acho que pra me castigar ela colocou um pouco mais de massa pra fazer o molde haha

  2. Agora, no caso da criança. A culpa não é da criança em si. Ela não tem habilidade motora para fazer a escovação. Será que a mãe fazia ao menos a ultima higiene bucal da filha? Pela resposta dela, pareceu que não. E se fazia, pq não pediu orientação para melhorar?

  3. Boa tarde,

    Bom, desta vez vou discordar em parte. Existem casos e casos, e em alguns, existe sim um mau dia do dentista ou sei lá o quê.
    Meu exemplo:
    Morei até os 15 anos de idade em interior, em uma cidade que mal tinha um posto de saúde (que só tinha soro, pra todo tipo de doença) bom, nunca deixei de escovar os dentes, mas não tinhamos condiçoes de estar sempre com fio dental e as vezes nem o creme dental, então, as vezes nos viravámos com sabão pra escovar… Minha vida até essa idade foi dura, dura demais.
    A cidade mais próxima ficava a mais de 1 hora e o serviço do dentista era caro demais pra quem passava até fome.
    Quando uma familia me ajudou pagando a passagem para o Rio de janeiro, eu cheguei, sofri muito, mas trabalhei muito duro pra arrecadar dinheiro e cuidar de 2 dentes estragados que já tinha. Lembro que sofria muito com dor de dente. Fui no dentista fazer o orçamento e sim, ele não criticou a situação de minha saúde bucal, ele fez piadinhas, disse coisas absurdas, e quando tentei explicar o pq de nunca ter ido a um dentista, ele disse que “pessoas desse tipo sempre arranjam desculpas”. Olha, até hoje sofro quando lembro disso e dele não ter sido o único a me falar coisas, julgando sem conhecer a minha vida, minha história ou meus motivos para estar naquela situação. Nunca fui pq minha familia mal tinha o que comer e eu não estou exagerando.
    Hoje, faço faculdade, tenho um bom emprego, ajudo minha familia e trato muito bem da minha saúde bucal.
    Tenho muito medo de dentista, mas não deixo de ir.
    Paguei tratamentos para minha familia, pq só quem sente a dor, só quem sofre, sabe do que eu falo. Outras podem imaginar, saber não.

    Desculpem o desabafo.

    1. Aline, desabafe à vontade. Não tem nem o que discutir, né?! O dentista que atendeu você não procurou orientá-la, mas julgá-la. E não é esse o nosso papel.

    2. Aline, minha cara, que bom que a sua realidade mudou, que vc encontrou bons profissionais e que agora você pode cuidar da saúde oral da sua familia. Vivemos num país enorme, com realidades duras, que por vezes, nos levam a situações limites. Acredite, sei bem do que você está falando.
      Parte importante do nosso trabalho é orientar a higiene e a prevenção.
      Seja feliz!

    3. Que bom que você consegue ir ao dentista mesmo com medo. Sempre digo para meus pacientes para cuidarem bem, principalmente se tiverem medo, pois quanto mais bem cuidado, menos problemas terão. Sempre que percebo dificuldades na higienização, demonstro como fazer e, se o paciente relata dificuldade para comprar o fio (é barato, mas às vezes é o dinheiro de comprar algum alimento), dou dicas do que pode ser feito para facilitar a resolução do problema, como confecção do fio com saco plástico….

  4. Então, eu vejo o problema um pouco mais embaixo… brasileiro tem um sério problema com medicina preventiva, toda ela, desde a saúde bucal como a saúde geral, mas eu que venho do interior posso dizer que já vi e senti na pele muitas vezes os problemas que os pacientes sofrem com os profissionais da saúde de forma geral, principalmente os q dependem do SUS, agora imagina q na cidade q minha família mora tem 35 mil habitantes e UM único dentista q atende pelo SUS! Então muito se vê de profissionais, incluindo médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas que tem uma posição dominadora, ñ profissional, muitas vezes não ética pq tem coisa e tipos de linguagens q não se usa mesmo na frente do paciente, principalmente crianças… É mais q falta de ética para mim, existe sim muita falta de educação! Pq existe uma enormeee diferença entre orientar e esculachar, é simplesmente no jeito q se fala. É preciso ser mais q um profissional habilitado em entender do dente, vc tem q ser um bom relações públicas quando lida com pessoas, principalmente num momento em q elas estão tão fragilizadas como no momento da doença. Eu entendo q o sistema de saúde brasileiro tb é um desafio para os profissionais, mas os pacientes não podem pagar o pato por isso e é preciso lidar de acordo com o público q vc atende, se é criança, se são pessoa humildes, se são pessoas informadas. Hj eu tenho uma dentista maravilhosa, mas já penei com profissionais da saúde e desenvolvi uma enorme restrição com isso. Imagina pessoas q são humilhadas, destratadas e mal atendidas frequentemente. Isso acontece muito ainda e não é só dentista e é um fator preponderante para as pessoas desenvolverem resistência em voltar… o “tal medo do dentista” as vezes se origina pela repetição constante q situações de constrangimento, humilhação, desinformação e isso tbm precisa ser trabalhado nos profissionais.

  5. Uma das coisas que sempre me orglhei foi de não ser o “tapador de buracos”. Falo, e muito, quando o paciente está com deficiência na higiene. Sempre falo ” você não gasta tempo para tomar banho e se arrumar? Então, os dentes também precisam desse tempo. Ou quer ficar bonito e sem dente?” 🙂

    1. É verdade, Léo. E tem o outro lado também: tem muito dentista não dando bronca pra não parecer chato, assim “empurrando com a barriga” os problemas bucais do pacientes…

  6. Pois é… Ontem atendi uma senhora que tinha horário marcado e não teve tempo de escovar os dentes. Gozado, para tomar café e comer o pão com mortadela que fui obrigado a tirar com a sonda de seus dentes ela teve tempo…

  7. Perfeita Tokus… É uma falta da valorização profissional extrema… Se fosse qualquer médico criticando/ orientando sobre necessidades básicas de higiene, uma grande maioria iria abaixar a cabeça, e se sentir tranquilo de que seu problema tem uma resolução tão simples! Somos meros tampadores de buracos para muitos ainda infelizmente! Fora a indignação com alguns profissionais, que por medo de perderem seus pacientes, passam a mão na cabeça dizendo o que eles querem ouvir, achando sempre um outro culpado! Que não o paciente nem o dentista… aí fica tudo bem e assim caminha a humanidade!!!

  8. Minha Dentista me orientou sobre eu estar passando muito mal o fio dental, eu nao achei ruim dela ter falado isso, porque era simplesmente Verdade, ela nao disse mentira alguma e ao me alertar sobre perder os dentes fikei com medo… Se tivesse que falar algo sobre essa bronca que ela me deu, eu iria dizer: Obrigado por me ajudar a cuidar dos meus Dentes…

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista