Dentista Não Cuida Só de Dente


Você aí me responda a primeira coisa que vem à sua cabeça: o que faz um dentista? Tenho certeza que a maioria dos leitores respondeu mentalmente: cuida dos dentes. E cuida mesmo, vocês têm toda razão. Só que dentista não cuida SÓ de dente, como a massa acredita.

Na terça-feira o assunto do Programa Bem Estar, atração das manhãs da Rede Globo, era mastigação. Os profissionais convidados para falar sobre o tema: uma fonoaudióloga e uma médica endocrinologista. O fato de não haver um dentista presente, embora piss me off, não me surpreende. Há alguns meses o assunto era saliva e os debatedores eram 2 médicos, uma pediatra e um infectologista. Não vejo problema nenhum em ter quaisquer profissionais de saúde presentes, a interdisciplinaridade só torna a discussão mais rica. Mas é INADMISSÍVEL a ausência de um cirurgião-dentista. Na minha opinião, um desprestígio sem tamanho por parte da emissora platinada.

E por que não havia um dentista presente em ambos os programas? Porque as pessoas realmente acham que dentista cuida só de dente, oras! O que é que um dentista poderia saber A MAIS do que um médico sobre os músculos da mastigação, a função dos dentes ou a composição da saliva? Aí é que tá: um MONTE de coisas.

Em determinado ponto do programa, surgiu a seguinte pergunta: “O paciente tem que procurar que ‘médico’ pra tratar de problemas mastigatórios?”. A endocrinologista respondeu, olhando nos olhos da fono <3: “Tem que procurar um fonoaudiólogo que pode ensinar o paciente a mastigar adequadamente. Isso é um processo de aprendizagem”. Ok, concordo.

Aí a apresentadora perguntou: “Dentistas também podem ensinar isso, ou não?” As convidadas se entreolharam e a fonoaudióloga respondeu: “Ééééé… normalmente o dentista vai fazer uma avaliação da arcada dentária, da relação dos dentes, falta de elementos dentários, cáries…”. Dente. Dentista cuida de dente e ponto final. Se o dente tiver um buraco, a gente tapa. Se estiver sujo, a gente limpa.

O paciente odontológico segundo a crença popular: um punhado de dentes.

Aí eu fico me perguntando pra que é que eu tive que estudar todo o sistema estomatognático na faculdade? “Perda de tempo”, né?! Portanto, independente da sua profissão, credo ou classe social, deixe-me esclarecer o que um dentista faz:

Cirurgião-dentista (denominação oficial) é o nome do profissional de Odontologia. A Odontologia estuda o sistema estomatognático, que compreende a cavidade bucal, os dentes, a face (seus músculos, ossos, vasos e nervos), o pescoço, articulações e tecidos. A formação do cirurgião-dentista inclui disciplinas básicas da área da saúde, como anatomia, patologia, farmacologia e fisiologia (do organismo todo), além de disciplinas profissionalizantes (aquelas específicas do curso), como dentística, endodontia, oclusão, cirurgia, prótese, materiais dentários, diagnóstico bucal, etc.. Enfim: face e pescoço é com a gente. Dentro das especialidades odontológicas podemos realizar cirurgias complexas de face em caso de traumas, por exemplo, tratamos disfunções temporomandibulares (da articulação da mandíbula – ATM) e até distúrbios do sono como ronco/apneia e bruxismo! Ah, a gente cuida de dentes também. 😉

Recentemente recebi um comentário no post Eu Nunca Quis Ser Médica (um dos mais acessados e comentados deste humilde bloguinho) em que o leitor discordava da minha afirmação de que “dentistas, ainda que não sejam médicos, precisam saber o mesmo que um médico generalista sabe”. E eu imagino o porquê da discordância dele: por que um profissional que vive de consertar dentes precisa ter o conhecimento de um médico, que salva vidas? Não, não se assuste caro leitor, eu não penso assim. Mas muita gente pensa. O senso comum não sabe o que um dentista faz DE VERDADE e nem como ele se preparou pra estar apto a atender um paciente… UM PACIENTE INTEIRO, não só o buraco no dente dele.

O dentista que eles acham que conhecem ainda é aquele da pré-história, que arrancava dentes à ordem do freguês. Ao mesmo tempo, as pessoas têm uma visão totalmente romântica da medicina. Reitero minha admiração pelos colegas médicos, eles ralaram pra chegar onde estão, mas nós também, cada um na sua praia. O benefício fica para o paciente, que mesmo não sabendo o trabalho que deu ou entendendo a importância de considerá-lo por inteiro, colhe os frutos da nossa formação. Dentes não têm diabetes, pressão alta ou insuficiência renal… dentes não ficam “grávidos”. Quem apresenta essas condições são as pessoas, e pessoas têm organismos completos. Se nós dentistas simplesmente desconsiderermos esse fato, a vida do paciente é colocada em risco.

Portanto, se você ainda acha engraçada aquela ~~piadinha~~ “se não existisse cárie, dentista não tinha o que fazer”, pode parar de rir. Meu emprego, graças a Deus, não depende da sua falta de higiene. Trabalho é o que não falta.

Compartilhe:

Categoria: Profissão: Cirurgião-Dentista

Marcadores:

29 comentários

  1. Parabéns pelo texto, Ana! Ficou impecável.
    Além de especialista em Dentística, trabalho com Dor Orofacial e Odontologia na Medicina do Sono. Portanto, apenas “uma das coisas” que eu faço é restaurar dentes. E cada vez me sinto mais compelida a estudar anatomia, fisiologia e outras áreas para melhor tratar meus pacientes. Afinal de contas, eles não são só bocas e dentes. Desejo que cada vez mais dentistas tenham uma visão holística para que nossa classe seja mais valorizada e reconhecida como de fato um profissão da saúde.

    1. Lia, realmente, você tocou no ponto: o reconhecimento de nossa profissão como promotora de saúde. E isso não só pelas outras pessoas, tem muito dentista que acha que é “técnico em dente”. Vamos fazer a nossa parte e torcer pra que um dia isso mude. Abraço!

  2. Ana, parabéns pelos comentários! Sempre que vejo algum assunto que tem relação direta com a odontologia também fico indignado com a ausência de um representante da nossa classe!! Concordo que a culpa é também dos dentistas, na verdade quando nossa profissão for tratada como uma Ciência aí sim teremos o respeito e reconhecimento dos pacientes e dos profissionais das áreas afins!! A Odontologia é a área que está mais próxima da Medicina e tem inter-relação com várias outras e, é uma pena que pelo menos 98 % dos dentistas não tem o mínimo de conhecimento sobre as questões ortopédicas da face, visto que tem relação direta com a estética (que é o principal assunto do momento) não somente do sorriso, mas do rosto também! e por traz de um rosto harmônico normalmente temos uma: mastigação, fonação, deglutição adequada! que por sua vez é reflexo de uma respiração próxima do ideal, ou seja, Nasal. Uma boa postura de coluna de forma estática e dinâmica, está também associada com o desenvolvimento dento-oro-facial, que só funciona de acordo, por que esta pessoa teve um bom desenvolvimento do sistema cárdio-pulmonar, portanto terá um menor risco de hipertensão, enfarto do miocárdio e de AVC (acidente vascular cerebral). Provavelmente possui bem menos distúrbios do Sono (ronco, apnéia), sendo o mesmo de qualidade e não de quantidade, etc… etc… E assim por diante, portanto tratamos pelo menos do Sistema Estomatorrinoglossofaríngeo-gnático. Precisamos mudar esta mentalidade de que dentista é para abrir e tapar buraco!! E sim que fazemos parte de uma das profissões mais belas e fascinantes que existem! Além do mais quando não faz o principal papel é coadjuvante de grande peso em tratamentos de inúmeros problemas que afetam a população!!

  3. Parabéns Tokus, além de ter lido (e xerocado hehe) todos os seus cadernos durante a faculdade, agora não consigo parar de ler seu blog. Que trabalho impecável, parabéns!!!

  4. Sou apaixonada pelo seu blog, Ana! Tenho 18 anos e vou prestar vestibular pra odonto e realmente, muitas pessoas vêem os dentistas de forma equivocada. Não sabem o quanto estudam e precisam conhecer, como você disse o corpo todo, não apenas os dentes. É muito mais complexo que isso. Parabéns pelo blog. Beijos

  5. Pessoal eu tenho 17 anos, ainda não sei qual curso quero fazer, mas estou pesquisando sobre a área de odontologia, não sei muito, alguém poderia me ajudar ?
    A propósito adorei o post, não sabia sobre isso, ficou ótimo !

  6. Sinceramente, é muito dificil mudar a cabeça das pessoas em relação ao o que o dentista faz, oras, dentista trata de dente, como que um dentista iria operar uma fratura de nariz ??? Ele não é dentista ?? O nome não ajuda no entendimento, vcs ja viram um dermatologista tratando de dente ?? Então acho que o maior problema está no nome do profissional, teriamos que mudar o nome do profissional, tirar o dentista e colocar outra nomenclatura para o profissional, um nome que abordasse toda a nossa área de atuação !!!

    1. Verdade, André. Em Portugal, por exemplo, a Odontologia é Medicina Dentária e o cirurgião-dentista é médico dentista. Ainda permanece o termo “dentista”, mas usando-se “médico” eu acho que a noção de tratamento do paciente como um todo fica mais clara.

    1. Sim, também concordo, por exemplo: médicos orofaciais ! Ou medicos bucofaciais, ou sei lá, algum nome que abordasse toda a nossa área de atuação !! O nome dentista nao ajuda muito ao paciente entender que nós tratamos de tumores, ronco e apneia, fraturas faciais, aplicamos botox, temos que facilitar um pouco para os pacientes também neh !!!

  7. Perfeito! Sou acadêmico de Odontologia, e tenho muito orgulho da minha futura profissão. Concordo plenamente com tudo o que foi dito neste blog. Sou um defensor da odontologia enquanto profissão da saúde não dos dentes (apenas). Quero ser Cirurgião Bucomaxilofacial por paixão e não por ser “a área mais parecido com a medicina”, como alguns dizem.
    Contudo gostaria de levantar uma pauta. Será que os Dentistas são vistos como “tapa buracos” por culpa e irresponsabilidade dos próprios Odontólogos? Acho que faltam profissionais que são realmente apaixonados pela profissão, que a defendam e que a valorizem como ela realmente deve ser.
    Mais uma vez, parabenizo o autor do blog, precisamos de profissionais que possuam esta mesma conduta no dia a dia, para fazer uma odontologia de ponta e beneficiar àqueles que são o real motivo pelo qual estudamos: os pacientes.

    1. Gabriel, eu acho que a culpa é dos próprios dentistas sim! Se a gente não se valoriza, ninguém valoriza a gente. Você tem toda razão.

      Obrigada pelo comentário e pela visita. Abraço!

  8. Tenho muito medo de sentar em uma cadeira de consultório, fico muito nervosa aqueles papeis que eles tão para secar a boca quando vejo está picado. Se vcs souberem de rémedio para que eu fique anestesiada me passem por favor, ok?

    1. Devanilde, uma alternativa é procurar dentistas na sua cidade que trabalhem com sedação, via oral, endovenosa ou com “gás”. Você fica bem mais relaxada e o atendimento é bem mais tranquilo.

  9. Não sou dentista e muito menos trrabalho na área de saúde, mas gostei demais do post.
    Foi muito informativo, apesar de não gostar nem um pouco de ir ao dentista, acho que les são muito importantes e passei a dar mais valor quando comecei um tratamento ortodontico, que a maioria acredita ser apenas estetico, inclusive muitas pessoas estão colocando aparelho por modismo.
    novamente parabenizo o blog por este Post.
    PS.; Ri muito com o comentario de Murilo Cesar.

  10. Meus aplausos para esse post! Qdo assisti o programa Bem Estar, tb me fiz a mesma pergunta: pq o dentista não tava lá? Essa visão de que o dentista só sabe “mexer”com dente já tá mais que defasada, mas é culpa nossa não mudarmos isso. Faço parte de uma equipe multidisciplinar que trabalha em um hospital universitário e a pergunta que mais ouço é: o que um dentista (que não é bucomaxilo) faz em um hospital??? Ora, muuuuuuitas coisas! Vejo paciente morrer em decorrência de infecção dentária, vejo patologias sistêmicas graves terem suas manifestações muitas vezes primeiramente na boca, e o melhor, vejo, diagnostico e trato! Será que nosso papel não é importante?
    Parabéns novamente pelo post muito bem escrito, vou divulgá-lo pra quem eu puder!

  11. FAN-TÁS-TE-CO!!! Conscientização é o que pacientes e profissionais precisam para valorizar nossa profissão. E este artigo faz um papel maravilhoso neste processo, pudera ele ser divulgado em letras garrafais na globo, SBT, outdoors… Parabéns!!!

  12. O post ficou impecável.
    Mas agora imagina o meu caso, um graduando em Odontologia, acabei de passar pela Patologia Geral e Bucal, Fisiologia, Farmacologia e estou me acabando na Estomatologia, entre outras várias disciplinas, ver que a situação é essa.
    Nada mais triste do que voltar pra minha cidade e ouvir a vizinha gritar lá do outro lado da rua: “Já sabe rancá dente?”
    É uma ideia que não se tira de uma só vez de todos os pacientes do mundo… mas acho que vale a pena, mudar a cabeça de cada um, pouco a pouco durante o atendimento. Tento fazer isso com pacientes na clínica da faculdade… tento explicar o que eu aprendo a fazer, além de “rancar” e “biturar” dentes, e acho que isso pode ser um diferencial como profissional também! 🙂

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista