Não gostei da dentadura!

Usar prótese não é uma tarefa fácil… imagino eu. Eu tenho todos os dentes (exceto os 4 sisos, que já foram tarde e de forma consentida) mas, infelizmente, não é o que acontece com a maioria dos brasileiros.

Quem acabou de fazer (ou de trocar) uma dentadura tem a sensação de morder com os dentes de outra pessoa. Leva um tempo para o organismo se acostumar, para o cérebro entender a nova realidade. Existe um período de adaptação e proservação (acompanhamento pelo dentista) pelo qual o paciente tem que passar. Para algumas pessoas é difícil compreender isso, e elas chegam à conclusão de que a prótese foi mal feita.

Prótese Total (Dentadura)

Uma reclamação muito comum de quem já usa prótese total (dentadura) ou prótese parcial removível (PPR, Roach) é que “a prótese nova ficou diferente da antiga”. Já ouvi isso muitas vezes e, particularmente, me sinto lisonjeada. Se fosse pra ficar igual, não precisava de uma nova, certo?! Mas o paciente, geralmente não entende isso tão fácil… ele quer sair do consultório mordendo exatamente como mordia. Não dá (e possivelmente isso não é desejável).

Geralmente quando se troca uma dentadura, salvo em caso de quebras, ela já está gasta. Os dentes estão “curtos”. E como tem paciente se achando dentuço quando os dentes vêm montados para a prova… “… estão muito compridos, doutor!”. Não estão, não… estão do tamanho certo. Mais compridos que os da prótese antiga, certamente. Mas do tamanho que deveriam ser, pois são novos e ainda não estão desgastados.

Tem paciente que adora reclamar de outro dentista no consultório da gente. As reclamações que eu mais ouço com relação às dentaduras são: “A gengiva tá muito escura!”, “A prótese tá bamba!”, “O dente tá muito comprido!” (já esclarecido), “Eu queria os dentes mais brancos!”, “Não consigo usar porque me machuca!” e, claro, “Eu gostava mais da antiga!”.

Caro paciente, eu sei que quem faz a prótese é o dentista. Mas se ela não fica como você queria, parte da culpa pode ser sua. Explico.

Existe uma série de etapas a serem seguidas na confecção de uma dentadura. Não dá pra pular nenhuma delas, senão a próxima etapa fica comprometida. Veja:

  1. Moldagem inicial com aquela “massinha” gosmenta (alginato). Essa moldagem serve só pra mandar fazer uma moldeira personalizada para o paciente, ou seja, uma que só cabe em você.
  2. Nova moldagem, já com a moldeira personalizada, usando outro material: a pasta zincoenólica, material que forra o inferno.
  3. Agora vem a fase das “medições”. O dentista recebe do laboratório de prótese 1 rodete de cera (se você estiver fazendo as dentaduras de cima e de baixo juntas, são 2). Esse rodete serve para marcar algumas características exclusivas: sua linha média, onde ficarão os caninos, qual a altura que o seu lábio superior atinge quado você sorri, se os seus incisivos centrais superiores (os dois dentes da frente) ficarão mais pra frente ou mais pra trás e, muito importante, a “altura” da sua mordida, o que nós dentistas chamamos de DVO (dimensão vertical de oclusão). Cada paciente tem uma altura certa.
  4. A dentadura vem montada, só que ainda não está finalizada. Os dentes estão fixados apenas com cera vermelha, pra que você “ponha defeito”. É aqui que a sua colaboração é fundamental: você tem que dizer para o dentista o que não está agradando do ponto de vista estético. Se você não deixar claro que achou o dente grande, que quer a cor da gengiva ou dos dentes diferente… como é que o dentista vai saber?
  5. Dia de buscar sua prótese. Parabéns!
  6. Visitas periódicas ao dentista pelo tempo que for necessário para a sua adaptação à prótese e ajustes.

Você não tem obrigação de conhecer os procedimentos acima, mas o seu dentista tem. A despeito de algumas propostas “boas demais para serem verdade” que vemos por aí, não existem dentaduras bem feitas em que se molda o paciente pela manhã e ele vai buscá-la pronta à tarde. E menos ainda próteses que ficam machucando a gengiva até “criar calo”, porque é “assim mesmo”. Esses machucados podem levar no mínimo a uma hiperplasia (crescimento) gengival e, no máximo a um câncer de boca. Cuidado.

Dentadura solta nem sempre é sinal de dentadura mal feita. Às vezes, por mais que se siga todas as etapas recomendadas, a bendita teima em escapulir. O problema aí é que a dentadura se apóia na gengiva, e a gengiva está sobre o osso. Quando se perde os dentes precocemente, a quantidade de osso costuma ir diminuindo, pois o organismo entende que se não há dentes, não há o que segurar. Se não há o que segurar, pra quê osso? E a dentadura acaba ficando sem o apoio e a retenção adequados, principalmente a de baixo. Para esses casos, procure usar um fixador de dentaduras (como o Corega) ou opte por uma prótese total sobre implantes, que pode ser fixa (protocolo) ou removível (overdenture). Não dá pra fazer milagre…

Enfim, procure ajudar no processo de confecção da sua prótese. Muitos dos problemas que aparecem quando você leva a dentadura para casa poderiam ter sido evitados se você tivesse perguntado, questionado… participado. E fique tranquilo se a sua prótese, em princípio, parecer estranha. Passado o período de adaptação, você não vai nem lembrar mais daquela dentadura desgastada e velha que você amava… :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

No Plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista Veja todos os posts de Ana Tokus
Postado em: Prótese | Marcadores: ,

141

  1. Boa noite, doutora Ana!
    Usei minha peça superior antiga de resina acrílica por 35 anos (4 incisivos 1 premolar), sem problemas. Fiz com minha dentista, recentemente, nova prótese, de um tipo de plástico, mas ficou dando ardência bucal na região onde a parte externa da prótese encostava na boca (inclusive língua). A dentista então fez novo molde, e fez outra, desta vez do material que eu usava antes (resina acrílica), mas a ardência/queimação continua, e só melhora quando retorno à primeira (a velhinha de 35 anos). O que faço, doutora?

    • Augusto, parece ser algum problema de adaptação, embora o relato de ardência não seja muito comum, ainda mais a prótese tendo sido refeita. Se a nova prótese não causa lesões na gengiva, acho que vale a pena insistir no uso. É comum que o paciente sinta certa estranheza ao mudar de prótese, ainda mais se você usava a mesma há 35 anos.

  2. Boa tarde doutora, ha 4 anos fiz 6 implantes para usar overdenture, mas a minha gengiva vivia machucada, resolvi colocar protocolo de branemark, como meus dentes inferiores estavam muito comprometidos resolvi fazer 4 implantes para protocolo de branemark tambem, só que afetou a minha fala, minha lingua parece que esta presa, isso é normal? Existe alguma forma de melhorar, pois estou quase voltando a usar a overdenture, desde já agradeço a atenção, e espero uma breve resposta. Tenho 62 anos.

    • Olga, pelo que entendi a prótese está interferindo na sua fala. Não diria que é normal, mas pode ser, também, que a prótese nova tenha ficado diferente da anterior e essa “estranheza” se resolva com o passar dos dias, que seja apenas uma questão de adaptação. Não tenho como afirmar se há algum problema, realmente, na prótese. De qualquer forma, é importante que você procure seu dentista pra reavaliar, fazer alguns testes funcionais, etc..

  3. Doutora, parabéns, tudo muito elucidativo, objetivo, firme, a matéria. Parabéns por ser uma pessoa estudiosa do assunto, interessada, profissionais assim é de que precisamos todos, orientação sincera e de conhecimento para uma vida saudável a todos. Parabéns!

    • Obrigada, Elizabeth. :)

  4. Ola doutora, tudo bem? Gostaria de tirar uma duvida, uso ppr superior com attachment, fui ao dentista para a troca dos dentes pois os mesmos estavam amarelados, o profissional falou que poderiamos aproveitar a armação ou então fazer uma outra coroa e uma ppr nova para a captura do attachment, procede esta informação?

    Grato

    • Procede, Rubens. Se qualquer coisa no apoio da prótese for alterada, será preciso trocar a armação. Senão, dá pra aproveitá-la.

  5. Olá doutora, que bom achei um site que responda as nossas duvidas. Bom, coloquei uma prótese flexivel inferior tem 2 semanas, a principio ela nao machucou minha gengiva, apenas um pequeno machucado no lado direito, mas minha dentista me receitou uma pomada que resolveu o problema. O que me incomoda muito é que a lingua fica muito em cima, agarra muito na hora de falar, as pessoas me falam que esta muito diferente, eu até propus minha dentista em “lixar” um pouco mais a parte de baixo para a lingua não ficar muito em cima, ela falou que isso não ia dar muito certo por causa da segurança da protese. Mas se eu usar um corega pra segurar um pouco? Será que vou conseguir me adaptar com ela? To pensando seriamente em investir em um implante, pq são apenas 2 dentes, acho que não saíria muito caro. Obrigado.

    • Daniel, próteses removíveis geralmente ocupam bastante espaço na boca, mesmo… o que causa essa estranheza e, por vezes, dificuldade na fala. EU acho que, por se tratar de apenas 2 dentes, o melhor caminho é o implante, mesmo. Procure um implantodontista pra avaliar, acho que vale a pena.

  6. BOA TARDE Dra ANA, TENHO PROTESE FIXA, UM PARAFUSO DA PROTESE ESTA A APARECER E TEM UMA ABERTURA, QUANDO EU COMO QUALQUER COISA ENTRA COMIDA E ATE ESPINHO DE PEIXE, TUDO QUE COMO EU ESCOVO POR CAUSA DA COMIDA, SÓ QUE ESTOU A SENTIR UMA DORZINHA, COMO FOSSE UM DENTE INFLAMADO, QUANDO PUS A PROTESE NAO ENTENDIA MUITO PORQUE FOI LOGO NO COMEÇO QUANDO SURGIU O IMPLANTE, E O CIRUGIAO DISSE QUE ERA ASIM MESMO. A PROTESE FOI FEITA EM PORTUGAL, PODE HAVER ALGUM PROBLEMA O QUE EU SINTO, E PODE FAZER UMA REPARAÇÃO NA PROTESE? GUARDO RESPOSTA, OBRIGADA.

    • Zelia, talvez não haja um problema com o implante (parafuso), mas certamente há com a prótese sobre ele. Se ela está retendo resíduos alimentares, é preciso verificar sua adaptação. Dificilmente é possível o reparo de uma prótese fixa, é quase certa a necessidade de trocá-la. Procure um dentista pra avaliar.

  7. Olá, faço dentaduras ha anos e com extrema cautela nas etapas, e mesmo fazendo selamento periférico em todas elas, aproximadamente 50% das próteses ficam frouxas, o viés de construção de uma prótese total é extremamente alto, o que você acha disso? Mesmo respeitando a técnica a retenção não ocorre durante mastigação de alimentos, devemos devolver o dinheiro ou cliente?

    • Pois é, Luccas… você tem razão. Eu particularmente não acho justo devolver o dinheiro ao paciente, a não ser que você tenha PROMETIDO pra ele que a prótese não cairia de jeito nenhum, o que não se pode prometer. Qualquer ciência que lide com o aspecto biológico vai ter problemas assim. Eu acho que o dentista tem que ser sincero desde o começo: se o paciente apresentar muita reabsorção óssea e, portanto, pouca retenção pra uma prótese removível, ele precisa deixar claro que a retenção é duvidosa e que será necessário o auxílio de um fixador de dentaduras. Sempre há a opção de uma prótese sobre implantes, o que resolve o problema da retenção, mas nem todos os pacientes estão dispostos – ou tem condições – de fazer implantes. Enfim: não dá pra fazer milagre. Se a conduta padrão fosse devolver o dinheiro de todo paciente que fica com a dentadura frouxa, trabalhar com prótese seria inviável. Até porque a prótese pronta tem um custo, e o protético vai querer receber a parte dele (o que é justo).

  8. Parabens pelas suas respostas. Felicidades.

    • ;)

  9. Após um câncer achei que teria pouco tempo de vida (sei que não devia…). Enfim, como durante a quimio perdi 4 dentes resolvi extrair o restante (seis pois já tinha perdido outros), para a instalação de um protocolo de branemark. Mas como sou “muito sortuda” não houve carga imediata…:( Esperei 6 meses ansiosa para a instalação do protocolo. Mas… 2 implantes não integraram e 1 ficou no palato, atrapalhando minha fala. A própria prótese provisória (que foi moldada em uma boca com dentes ainda) foi adaptada de forma muito grosseira (para não quebrar). O resultado estético foi terrível e não consigo falar direito… Fui a um dentista do Inca que me disse: vc não tinha e não tem osso para fazer implante. Mas… meu dentista garantiu que faz mais 2 implantes. O que faço?

    • Natalie, se seu dentista diz que garante, ele deve saber o que está dizendo. Ele em algum momento sugeriu fazer enxerto ósseo? Talvez ele tenha “garantido” pensando nisso. Porque, realmente, e não houver osso suficiente, não há como instalar um implante.

  10. Gostei muito dessa matéria, bem sincera. Talvez se todos os dentistas explicassem claramente assim pra seus pacientes evitaria muitos transtornos pro paciente, pro dentista e pro protético. Eu, como protética, gosto de fazer a ceroplastica com uma cera “temperada” com cera branca pra ficar um rosa mais parecido com a gengiva, assim o paciente tem mais visão do trabalho finalizado, inclusive da cor dos dentes. É sempre bom poder devolver a autoestima e saúde das pessoas! bjos

    • Obrigada, Patricia… você “captou” a ideia do post. Tem gente que acha que o texto é uma forma de transferir a responsabilidade pelo sucesso / insucesso da prótese para o paciente, mas longe disso! É um convite pra que ele participe da confecção da sua prótese, o que diminui drasticamente a chance de insucesso ou insatisfação. E você, como protética, sabe melhor que ninguém o quanto isso é verdade. Abraço! :)

  11. Olá, boa noite!

    Encontrei seu site no Google e tenho algumas dúvidas, percebi que você responde aos comentários e achei muito legal da sua parte!
    Se puder me tirar algumas dúvidas ficarei muito grata.

    Meu pai tem 63 anos e está no processo para fazer sua 2ª dentadura. O dentista entregou a parte de cima há cerca de duas semanas, e ao “provar” no meu pai para ver se precisaria de ajustes, não mostrou com um espelho para que meu pai visse como ficou (ele também acabou não pedindo, não sei se ficou intimidado, pois é muito tímido). Ao chegar em casa meu pai percebeu que a arcada havia ficado torta. Na parte da frente, a divisão entre os dois dentes, que deveriam ficar na direção do nariz e do freio que temos se puxarmos a parte superior do lábio, ficou torta, ficando um dente no meio, na linha do nariz… e apesar de ter ficado frouxa, o dentista pediu que meu pai utilizasse a dentadura por duas semanas com aqueles adesivos, para ver se ela se ajustaria à gengiva. Hoje, após as duas semanas meu pai compareceu novamente ao consultório e explicou sobre o dente estar torto, então o dentista pegou o fio dental e mostrou como” estava seguindo a linha do nariz” (o que foi vergonhoso, pois está claramente torta). Sobre a dentadura estar solta ele alegou que os ossos já estão pequenos, o que causa a dificuldade na fixação.
    Bom, desculpe a extensão da história, mas é que gostaria que entendesse bem o caso para me esclarecer as dúvidas.
    Enfim, sei que é impossível que fique como a antiga, e não é isso que estamos querendo e sim que os dentes fiquem na direção correta conforme o rosto do meu pai e que fique o mais “ajustada” possível.
    Minhas dúvidas:
    Para “alinhar” os dentes é necessário que seja feita outra prótese? Se os ossos estiverem pequenos, em alguns casos é impossível que a dentadura fique fixa sem adesivos?

    • Priscila, realmente, pra que a linha média se corrija a única forma é fazer uma nova prótese. E sim, quando a reabsorção óssea é grande, sobra menos apoio / retenção para a prótese… nesse caso a dentadura pode ficar “frouxa”, mesmo que o dentista faça o que for possível. Aí as opções são usar um fixador de dentadura ou pensar em fazer implantes (uma overdenture, por exemplo, que é uma dentadura que se apoia em 6 implantes).

  12. Oi doutora Ana, desculpe os erros de escrita e pontuação, eu nao tenho muita cultura.
    Eu so quero fazer um agrado pro meu dentista Doutor Cezar, que me devolveu o sorriso.
    Eu por falta de cuidado e medo de dentista, tinha os dentes quebrados e muito feios.
    Um certo dia minha sobrinha me enganou e pediu para levar ela no dentista, quando o dentista me chamou so faltei sair correndo, ainda bem que nao corri, pois ali estava começando a minha nova vida. Peguei confiança no doutor e fiz implante total em cima e embaixo, nao doeu nem um pouco.
    Ficou uma perfeição, hoje como de tudom, nao tenho vergonha de falar e sorrir, fiquei mais animado para a vida, virei outra pessoa.
    Entao to escrevendo tudo isto para fazer um agrado ao Doutor Cezar e animar quem ler e tiver medo de dentista.
    Um forte abraço ao Doutor Cezar e todos os dentistas do Brasil.

    • Que lindo, Dionisio. Obrigada pelo testemunho, parabéns pela coragem e um forte abraço Ppra você e para o Dr. Cezar)! :D

  13. Qual protese a doutora recomenda, a com grampos ou a flex?

    • Depende do paciente, Reginaldo. Se for uma pessoa mais jovem e/ou mais preocupada com a estética (já que a com grampos muitas vezes os deixa aparentes), eu sugeriria a flexível. Se os grampos aparecendo não forem um problema, a prótese de estrutura metálica é menos volumosa e muitas vezes até mais confortável que a flexível (por incrível que pareça).

  14. Boa tarde Dra. Ana, me chamo Michele e tenho (ou melhor, tinha) 6 dentes nos quais foram feitos tratamento de canal, infelizmente eles acabaram quebrando todos e eles sao da parte superior da boca, fui em um dentista e ele me recomendou a prótese flex, ele disse que para a minha idade (23 ANOS) a protese com grampos ia comprometer muito a minha estética… comecei a extrair esses dentes aqui no posto de saude perto da minha casa (esses nos quais foram tratados canal e se quebraram todos), e esse dentista me disse que a protese flex ela nao e bem segura pq é feita de um material que nao e muito resistente, e disse que com o tempo ela cede, ele me recomendou procurar novamente esse dentista e pedir que ele faça uma com grampos para mim que alem de mais segura ele pode pedir para que o protetico de uma escondidinha nos grampos… o que a Dra. acha? Qual na sua opinião é melhor?

    • Michele, esteticamente, e considerando a sua idade, eu acho que a prótese flexível é uma boa opção, sim. Não conheço relatos de pacientes que tenham sentido a prótese “frouxa” depois de certo tempo de uso. Mas a prótese com estrutura metálica é muito boa, também.

      • Muito obrigada pela atençao, Dra!

  15. Oi, minha mae tem 72 anos, colocou uma prótese e os dentes ficaram muitos grandes, então quero saber se e possível diminuir estes dentes? Que ficaram horríveis nela.

    • Maria, os dentes ficaram apenas compridos ou estão grandes em largura, também? Se estiverem só compridos, até há a possibilidade de desgastá-los, embora não seja o ideal, já que quando os dentes da prótese são montados há uma série de contatos dentários que devem ser respeitados, e qualquer desgaste a essa altura poderia interferir nisso. É questão de conversar com o dentista da sua mãe pra reavaliar a situação. É muito comum que o paciente ache seus dentes grandes após a confecção de uma prótese nova, principalmente quando a prótese antiga já estava bem desgastada… então, eu sugiro que ela aguarde uns dias pra se adaptar ao uso e a estética, talvez não seja nem preciso mexer na prótese.

  16. Boa noite Dra. Ana Tokus,
    Depois de ler seu artigo, não ficou nenhuma dúvida.
    Parabéns, fiquei extremamente satisfeita. ALIVIADA!
    Ahaaa, tenho uma pergunta, onde acho você?
    Beijosss

    MMartha

    • Martha, eu atendo em Curitiba, mas estou praticamente trabalhando só na área de Radiologia (exames de imagem). ;)

      • Hummmm, que longe. Estou em Mogi Guaçu (60 km de Campinas).
        De qualquer maneira agradeço ajuda e lhe desejo sucesso.
        FELIZ NATAL
        Obrigada por responder.
        Beijosss
        MMartha

        • ;)

  17. Bom dia Ana, mas cobrar 3.600, 00 por uma prótese superior é muito caro pelo meu descontentamento. Sei perfeitamente que com prótese ou implante jamais deixaremos de ser desdentados. Fiquei desdentada porque a minha dentista jamais procurou saber se eu tinha osteoporose. Não me sinto menor por ser desdentada, tem gente que tem peito falso, genitália falsa, cabelo falso, unha falsa, e etc… mas que a dentadura ofertada por político é muito melhor do que a de muitos dentistas. Prefiro ser atendida por um protético… sta é a minha campanha… dentista passa corega… e muitos estão mudando o rumo… se dizem especialistas em implantes. Estão ficando ricos… conheço pessoas que depois do implante se alimentam de líquidos…

    Um beijo… mas vamos falar a verdade!

    • Então, Luana… percepção de valor, de caro / barato, é algo muito pessoal. Eu, particularmente, cobro mais ou menos 1/3 desse valor pra fazer uma prótese total muito bem feita. Mas eu não sei as características da sua prótese, o material, o laboratório de prótese envolvido, a formação da dentista (se é especialista ou não), a margem de lucro (porque, claro, há que se considerar os honorários do dentista)… então realmente eu não sei se ela é cara ou barata. Mas você pode e deve exercer seu direito de escolha… procure um dentista que cobre mais barato e/ou o que você acha justo.

      Toda e qualquer prótese odontológica é feita por protéticos, inclusive a sua, de R$ 3.600,00. Alguns dentistas são técnicos em prótese também, e aí confeccionam suas próteses em laboratório próprio, mas eles são exceção, na grande maioria das vezes esse é um serviço terceirizado. Ainda, você não pode procurar um protético pra fazer uma prótese porque protéticos não têm permissão legal pra atender pacientes de forma direta… isso seria exercício ilegal da Odontologia, com penas previstas em lei. Se você conhece algum técnico que atende pacientes, denuncie ao CRO do seu estado.

      Um dentista não pode “se dizer” especialista em implantes… ou é, ou não é. Se disser que é e não for, da mesma forma, denuncie ao CRO do seu estado. Eu conheço implantodontistas que estão muitos bem de vida, e outros que trabalham praticamente pra pagar as dívidas… ou seja, cada caso é um caso.

      Fazer implantes pra depois não conseguir mastigar é inaceitável (a não ser na fase pós-operatória, é claro). Tem coisa errada aí… e o dentista / implantodontista / protesista tem que se responsabilizar por isso e devolver a função mastigatória do paciente. Esse tipo de dificuldade é uma “consequência natural” de quem tem implantes, pode estar certa. Pelo contrário.

      E realmente, não ter dentes não é razão pra se sentir diminuído.

      Abração!

  18. A minha dentista cobra 3.600,00 por uma prótese, e para fingir que ficou maravilhosa aconselha a usar Corega! Me poupe. Gostaria mesmo de ir direto nos protéticos.

    • Sua dentista é dentista e não mágica ou milagreira, Luana. Se não há osso suficiente pra reter a prótese, Corega serve pra isso mesmo! Outra alternativa é pensar em uma prótese retida por implantes, mas pra isso também tem que ter osso disponível… senão, é preciso enxerto ósseo. Desculpe, mas o seu descontentamento não muda a realidade das coisas.

  19. Dra., além muito bem escrito, seus textos são divinamente esclarecedores. Pus prótese fixa (protocolo), mas antes usava uma removível e passei exatamente por tudo o que explicou. Adorei ter tido a chance de conhecer este site, pois fala de muita coisa que interessa a nós, leigos. Sucesso na sua carreira, que não tenho dúvidas que deva ser tão brilhante como os sorrisos que confecciona! Abraços!!!

    • Obrigada Rafaela, gentileza sua! E é ainda mais interessante que você tenha comentado isso exatamente neste post onde, embora minha intenção tenha sido incentivar o paciente a participar do processo de confecção da própria prótese (o que é essencial pra diminuir a possibilidade de incômodos e a necessidade de ajustes posteriores), teve gente que entendeu “se sua prótese ficou ruim, é culpa é sua”. Vá entender, né?! ;) Abraço e mais uma vez obrigada!

      • Dra., não ligue para a “oposição”, siga em frente com o belo trabalho que desempenha ao tornar muitas pessoas mais belas e felizes através de seus sorrisos. Pessoas “do contra” sempre existirão. Aliás, elas são até positivas, pois nos ajudam a autoavaliar nosso próprio trabalho e dar ainda o melhor de nós. Parabéns!

        • Obrigada, Rafaela! Abração! ;)

  20. EU QUE NAO GOSTEI NEM UM POUCO DO POST, ha um tom de descaso com a dentadura e mais ainda com quem usa. Digo mais conheço uma pessoa que usa dentadura (afinal o Brasil é mencionado no exterior como o país dos desdentados) e a dita acima ficou tão bem feita que mais parece dentes naturais. Em contrapartida o que vejo são atrocidades em forma de dentadura. Vergonhoso isso. Falta profissionalismo na execução do trabalho que quase sempre tem um preço. Outra coisa, eu nao iria ao seu consultório nem de graça. Cruzes.

    • Adilson, se há uma coisa que não dá pra se determinar com precisão, em se tratando de textos, é o tom. E o seu julgamento com relação ao meu tom, passou longe da realidade. Das mais de 40 pessoas que comentaram este post, você e mais 1 ou 2 não entenderam do que ele se trata (essa estatística já diz alguma coisa, não?). Os alertas que faço aqui são:

      1. Não é fácil se habituar a uma prótese nova, e é compreensível que o paciente se sinta, inicialmente, mais confortável com a antiga. Mas isso não significa que a antiga era melhor.

      2. Há várias fases que envolvem a confecção de uma prótese, e é importante que o paciente participe em cada uma delas. Se houver alguma dúvida ou questão estética que a pessoa tenha, é essencial esclarecer ANTES da prótese ficar pronta. Depois, só fazendo outra.

      Só isso. Qualquer outra coisa não se trata do que eu disse, mas da sua interpretação. Não há descaso algum nem com a dentadura, nem com quem a usa… pelo contrário. Por que alguém que vê o paciente ou a prótese com desdém reservaria parte do seu tempo pra escrever um texto explicando como se faz uma dentadura e pra responder perguntas sobre o tema? Seria incoerente. Já vi e participei da confecção de muitas e muitas próteses totais que, sim, eram tão bem feitas que pareciam dentes naturais. E a ideia é essa mesmo… então qual a surpresa?

      Ainda bem que você não viria ao meu consultório de graça, porque eu não atendo de graça, mesmo. Apenas em casos especiais, pessoas carentes, durante trabalho voluntário, etc.. Ainda bem que não é o seu caso e você pode pagar por um profissional (outro) que atenda o seu nível de exigência.

  21. Dra. Ana, bom dia.
    Coloquei uma protese inferior tem duas semanas, acontece que minha gengiva esta muito machucada. Volto ao dentista toda semana, ela desgasta onde esta machucando mas quando passa algumas horas volta a machucar em outro lugar.
    Estou usando pomada Gengilone mas a dor é intensa, isso é normal? Será que eu vou acostumar vai parar de machucar.
    Obrigada pela atenção.

    Bete

    • Essa fase de adaptação da prótese nova é bem “chata” mesmo, Elisabete… então dá até pra dizer serem “normais” essas lesões em gengiva. O importante é procurar seu dentista periodicamente pra fazer os ajustes até que a sua adaptação esteja ok. Não é uma questão de você “se acostumar” com os machucados (“criar calo”, como as pessoas dizem), mas de adequar a prótese a você. Acredite, vai chegar um momento em que as lesões não vão mais aparecer.

  22. Minha mãe de 88 anos fez uma prótese dentária – móvel na parte superior e fixa na parte inferior. A parte inferior, cimentada, se soltou pela segunda vez mês passado. Ela está cimentada nos dentes da frente (ela só tem esses), que foram “lixados”? Praticamente só tem um dente “pontudo” que segura toda a prótese, diz ela… Minha mãe queria prótese fixa e agora está furiosa porque a dita não para no lugar…

    • Gisele, se essa prótese substitui todos os dentes de trás e, portanto, só se fixa aos dentes da frente, provavelmente a força mastigatória que ela está recebendo está sendo muito grande, o que faz um movimento de alavanca e desloca a prótese. É bom o dentista da sua mãe reavaliar pra ver se é isso mesmo que está acontecendo.

  23. Recebi minha dentadura superior ontem, já é a segunda que mando fazer. Infelizmente ela está muito folgada apesar de na última prova eu ter falado com o dentista que ela estava frouxa. Além disso, ela não encosta muito bem no céu da boca ficando uma fresta na parte de trás. Quando falo ou dou risada, tudo isso testando na frente do espelho, ela desliza para baixo. Uso dentadura há 18 anos. Terá como consertar?? Desde já agradeço.

    • Marilene, uma possibilidade é fazer um reembasamento, ou seja, usar a própria dentadura como moldeira para preenchê-la melhor com um material resinoso. Isso deve dar mais retenção a ela.

      • Obrigada..

  24. Oh aleluia! A melhor parte deste blog é que descobri que não estou só no inferno! Li um comentário aí sobre uma pessoa dizer que não entende por que tantas pessoas usam dentadura, que dentadura é coisa de programa de humor,etc, etc, etc,… Essa pessoa se esquece de que para se conservar dentes é preciso ter dinheiro. E que nem todas as pessoas tiveram pais com cultura de ensinar os filhos a cuidar dos dentes desde cedo. E que além disso, acidentes acontecem e conheço casos de pessoas que perderam os dentes por falta de dinheiro para pagar tratamento e hoje são ricas e não tiveram como implantar por perda óssea demasiada ou por rejeição do organismo. E voltando pro lado sentimental, cuidado com o que fala… seus dentes não são de marfim, nem a sua boca é inquebrável. Ricos e bem educados também podem perder dentes, independentemente de cáries, tártaros e afins. Agora vamos à minha pergunta: Dra. Ana, acabei de colocar uma prótese esquelética inferior, composta de três dentes de cada lado (atrás) e dois centrais (na frente), de forma que fiquei com a arcada inferior rodeada desse metal. Sem comer nada sinto, nada mudou ao falar, mas quando vou comer vou ao sétimo dos infernos e volto de tanta dor! É normal se ferir com esses ferros malditos depois cicatrizar ou eles vão me ferir até o fim dos meus dias aqui neste mundo de horror de quem precisa usar prótese? A dentista que fez a minha prótese já se mudou da cidade e não tenho mais como voltar lá. Muito agradecida pela consoladora resposta da senhora!
    Uma quinta de primeira para a senhora! Abraços…

    • Linda, realmente: generalizar é um perigo. Existem situações e situações que levam uma pessoa a perder dentes, e não cabe ao dentista (ou a qualquer “crítico leigo”) julgar as causas, mas ajudar o paciente a recuperar saúde, função, estética e autoestima.

      Quanto à sua pergunta: não é normal, não! No começo, é claro, a adaptação nem sempre (quase nunca, eu diria) é fácil. Mas essas lesões repetidas e frequentes são sinal de falta de ajuste. É importante que você procure um dentista pra verificar a adaptação da prótese, às vezes é questão apenas de fazer alguns desgastes, abrir ou fechar algum grampo, e a sua vida vai voltar ao normal. É o meu desejo e fico aqui na torcida. :)

    • Olá, Linda! Parece que seu texto fui eu quem escreveu, eu pensava exatamente como você até (graças a Deus!) poder implantar a tal “carga imediata”, que me deixou com uma vida normal, como tinha antes de perder tudo. Eu perdi todos os dentes e tive que usar uma prótese removível (dessas que nossas avós usavam) e para minha autoestima e adaptação foi um inferno em vida — aliás, nunca me adaptei. Graças ao destino (e a uma economia que eu tinha) que eu consegui fazer esse bendito tratamento e hoje me sinto melhor até do que quando tinha meus próprios dentes, parece ironia, mas eu digo isso em alto e bom som. Claro, precisa de uma manutençãozinha a cada dois anos (o profissional precisa ver se não há problemas de adaptação, higiene ou machucadinhos…), mas eu estou muito satisfeita. Eu não recomendo arrancar dentes bons, mas se a boca está só sucata (digo, se tiver pouquíssimos dentes ou estes forem de má qualidade), recomendo muito, mas com um bom profissional, pois implante é algo seriíssimo. Abraços e boa sorte!

  25. Boa Tarde Dra. Ana,

    Ontem coloquei minhas próteses (31/07). A superior ja é a segunda, e a inferior é a primeira vez que coloco. Desde ontem não consigo mastigar nada, não consigo colocar a lingua pra fora e parece que quando eu falo a sensação que eu tenho, é que ela vai sair. Veja isso so acontece com a inferior. A superior ta beleza, tranquilo, não estranhei nada. Essa sensação vai passar? Demora muito? Eu quero mastigar!!! kkk
    Obrigada
    Airam

    • Airam, a adaptação a uma prótese nova, principalmente se você nunca usou na parte de baixo, é “chata” mesmo. Em cima geralmente há mais gengiva para segurar a prótese, mas embaixo o osso costuma reabsorver rápido quando se extrai dentes, ou seja: sobra menos gengiva pra segurar a prótese. Por isso você está tendo mais dificuldade com a de baixo do que com a de cima. Mas a tendência, felizmente, é você se adaptar normalmente em algumas semanas.

      • Obrigada, Dra. Realmente, vc tem toda razão, pois do dia que eu postei esse comentario até a data de hoje, ja melhou muito, ja começo a conseguir aos poucos a mastigação, para minha alegria.

        Obrigada, pela informação.
        Abraços.

        • Fico feliz em saber, Airam! :)

  26. Dra. Ana gostaria de esclarecer algumas dúvidas. Devido ao uso de antidepressivos e ser fumante, meus dentes superiores ficaram com pessimo aspecto. Então recorri a uma dentista conhecida e ela pediu uma radiografia panoramica. Quando mostrei a ela a mesma me disse que falaria com o cirurgião pois não tinha muitas saídas a não ser a retirada total dos dentes superiores e colocada uma dentadura superior de primeiro momento provisória, e com o tempo a fixa. A mesma opinião foi dada pelo Cirurgião de pela Periodontia. No dia 29/05/2013 fiz a cirurgia e retirei todos os dentes superiores, aguardei cerca de uma hora e na sequencia foi colocada essa protese provisória. Ficou ótima, uma excelente aparência, porém não consigo falar e estou com muita ansia. Estou fazendo o maior esforço para mante-la sem tirar, não sinto dor apesar de ainda estar com os pontos e nem incomodo, a única coisa que não consigo falar duas palavras que dá uma ansia de vomito enorme. Como posso evitar isso? Será que poderia tomar algum tipo de medicação como Dramin ou Plasil, para evitar isso? Esse fato é normal ? Desde já agradeço a atenção.

    • Celia, tomar medicação contra enjoo até ajudaria de forma momentânea, mas não dá pra ficar à base de remédios pra sempre. A tendência é de você se habituar ao uso da prótese e os episódios de enjoo irem diminuindo. Converse com o seu dentista, talvez a prótese esteja invadindo a região de palato mole (no fundo da garganta) e causando esse desconforto. Aí, algum ajuste pode ser necessário.

  27. Olá Doutora Ana, tenho 37 anos e vivo numa depressão ha anos por causa dos meus dentes, uso prótese embaixo e em cima mas somente na frente da boca, mas acredite, nem meus familiares sabem que eu uso, porque desde os meus 10 anos de idade começaram os meus problemas dentários e meus constrangimentos. Não tenho uma vida social muito menos uma vida amorosa por causa da minha boca. Para a senhora entender melhor, gostaria de saber o endereço de sua clinica e o valor para uma avaliação, pois aqui lendo essas suas postagem me acendeu uma luz de esperança pra que eu leve uma vida normal.
    Obrigada!

    • Josiane, eu atendo em Curitiba-PR.

    • Josiane, bom dia

      Caso vc não tenha conseguido resolver ainda seu problema, fale comigo através de meu e-mail, posso te indicar minha dentista, que fez as minhas próteses e ja perguntaram pra mim se eu fiz implante de tão perfeitas que ficaram. E olha que ainda esta um pouco inchada minha boca !!! Como nossa Dra. Ana, Dra. virtual (rsss), esta em Curitiba e fica dificil pra vc… te dou o end da minha.
      Abraços
      Airam (airam.bisbir@gmail.com)

  28. Olá Doutora Ana, gostaria de tirar algumas duvidas na area de protese, seria possivel?

  29. Ola drª, obgda pela resposta, o caso foi q depois de muito tempo sem os dentes o espaço encurtou e para colocar 2 dentes pequenos ñ teria a oclusão necessária.
    Um abç.

  30. Ola drª, td bem? Agradeço a disponibilidade de nos orientar…
    Há poucas horas coloquei duas proteses removiveis, a superior sem grampo chamada de flexivel e a inferior onde faltava dois dentes foram feitos somente com um dente de cada lado e percebendo um espaço onde acredito q deveria diminuir o dente atual, q é só um e colocar dois como antes. Pq fizeram somente com um dente maior no lugar de dois menores, q era o q eu tinha?
    Um abç.

    • Luciana, provavelmente porque o protético (o técnico do laboratório de prótese) achou que não havia a necessidade de 2 dentes… uma decisão “pessoal” mesmo. Estética e funcionalmente isso não deve ser relevante, senão não teria sido feito dessa forma. Incomoda você? Se sim, seria bom conversar com o seu dentista pra ver se é possível mudar isso (embora, como eu disse, não é uma necessidade funcional).

  31. Oi Dra. Ana.
    Não, eu não tenho uma prótese sobre implante, a minha é a comum. É justamente isso que gostaria de saber, se poderia colocar a “sobre implante” utilizando a prótese que eu já tenho, como já comentei anteriormente.
    Vc tem consultório em São Paulo??

    Obrigado!
    Fernando

    • AH BOM, Fernando ;). Não, nesse caso não dá pra aproveitar a mesma. É preciso fazer uma prótese nova, sobre implante. Eu atendo em Curitiba.

  32. Obrigado pela resposta!!!
    Sim Dra. Ana, eu tinha onze dentes, e infelizmente precisou extrair todos!! Formava constantemente inflamações, bolsas. Somente os caninos estavam firmes, os restantes estavam todos soltos. Uso a prótese direto e não tiro para dormir, sigo certinho as orientações do meu dentista. Os grampos que falei, usei a palavra errada, quis dizer dos implantes no osso que fixam a dentadura, por isso chamei de grampos.
    Já fiz 3 ou 4 embasamentos e continua solta e cada vez que faço a prótese fica mais grossa e pesada, existe outro procedimento? Eu queria outra opinião no meu caso. Vc atende convenios? Tenho Odontoprev.

    Obrigado pela atenção, e tenha uma ótima semana!!

    Fernando-sp/sp

    • Ah, entendi. Trata-se de uma prótese removível sobre implante. Mas aí é mais estranho ainda que ela esteja se soltando… talvez seja o caso de fazer uma nova mesmo, pois parece que os reembasamentos só estão deixando a prótese cada vez menos adaptada. Afinal, já faz 1 ano que você passou pelas extrações.

  33. Olá Dra. Ana.
    Gostaria da sua opinião sobre:
    Coloquei uma prótese total superior ha + ou – 1 ano, esteticamente ficou ótima, quase perfeita, até pessoas que me conhecem não perceberam que estou usando… o dentista quando estava fazendo a protese me garantiu que não usaria de forma alguma o corega, que ele tinha vários pacientes com 80 anos e não usavam adesivo. Eu tenho 50 anos e já voltei umas 4 sessões e ele sempre faz embasamento e o que acontece: fico + ou – 1 semana sem precisar usar o adesivo e depois preciso voltar a usar porque começa a ficar solta, a prótese está cada vez mais grossa e pesada. Será que isso vai continuar? Tenho chance de parar de usar o corega? Tem alguma outra forma de fixar melhor sem o tal embasamento? Poderia usar os grampos na minha prótese mesmo, ou precisa fazer outra?

    Obrigado!!

    Saudações
    Fernando-Sp

    • Fernando, quando você colocou a prótese pela primeira vez você havia os dentes superiores recentemente? Isso explicaria essa necessidade constante de reembasamento, pois a gengiva ainda devia estar cicatrizando. De qualquer forma, já se passou 1 ano. Você usa a prótese direto? Tira pra dormir? O fato da prótese estar “pesada” realmente pode prejudicar sua retenção. Não entendo o que você quer dizer com “grampos”, pois grampos só são usados em próteses parciais (que se apoaiam em dentes remanescentes). Então, não seria o caso.

  34. Olá Dra. Ana,

    Faz três dias que coloquei uma prótese fixa superior, e como já previsto por minha dentista, devido a gengiva “murchar” ela já está um pouco folgada e devo fazer o reembasamento, porém, o que me incomoda é que modificou meu rosto, parece que está inchado… corro o risco de ao pedir que ela desgaste um pouco para diminuir isso, ou seja, afiná-la, de ela não segurar mais? Pretendo fazer implante total, mas tenho receio de ter rejeição aos pinos… quanto tempo é seguro esperar por esta decisão para não ter perda óssea?
    Obrigada.

    • Yolanda, imagino que você esteja falando da área acima do lábio superior. Dependendo da espessura da prótese nessa parte da frente, pode dar um aspecto de inchado, mesmo. Até dá pra fazer um desgaste, mas apenas na parte de fora, justamente pra não prejudicar a adaptação da prótese. Quanto aos implantes, a possibilidade de rejeição é mínima, e costuma estar ligada à falta de higiene do paciente, ou seja: pode ficar tranquila quanto a isso. Se a sua prótese estiver bem adaptada (após reembasada), o osso persiste, então você tem tempo para pensar se quer mesmo fazer os implantes.

  35. Olá Dra. Ana

    É sempre agradável e útil, encontrarmos blogs de especialistas, para esclarecer as dúvidas que muitas vezes não o são no consultório. Parabéns por isso.

    Precisamente hoje coloquei uma prótese esquelética, inferior, na parte de trás da boca. A sensação é horrível. Não consigo mastigar e tenho dores nos dentes naturais onde se prende a prótese. A parte metalizada da frente é sem sombra de dúvidas o pior de tudo.

    A minha questão é: qual o tempo de adaptação e como tal quando recuperarei a fase de mastigação normal ?

    Grata pela atenção dispensada. Um abraço.

    Liz Martins

    • Liz, obrigada. :)

      O tempo de adaptação, claro, varia de pessoa para pessoa. É complicado porque é como se você estivesse mastigando “com os dentes de outra pessoa”… não é fácil e a ansiedade em torno da adaptação é totalmente compreensível. Geralmente, em 1 semana de uso contínuo o paciente já apresenta uma boa adaptação e, em 1 mês, já deve estar adaptado. Mas, como eu disse, é algo muito pessoal e variável.

  36. Dra. Ana
    Em primeiro lugar quero parabenizá-la por seu Blog, é sim uma GRANDE prestação de servicos. Li todos os comentários e respostas e achei o maximo. Continue passando seus conhecimentos principalmente para os leigos assim como eu, pode ter certeza que me ajudou muito.
    Abracos
    Geraldo Reis

    • Obrigada, Geraldo. Fico feliz em ajudar de alguma forma. Abraço! :)

  37. Minha mãe retirou todos os dentes ainda quando adolescente, e desde lá só usou dentadura na parte superior, e usa a mesma dentadura ate hoje. Ela tem 53 anos e queria muito trocar a superior e colocar também uma na parte inferior. Será que ainda teria condições? Seria muito dificil a adaptação? A perda ossea e de musculatura, impediria de se fazer uma nova dentadura?

    • Sarah, é possível, sim. E eu diria, até, que é uma necessidade… considerando que essa prótese deve ter quase 40 anos! A adaptação certamente exigirá um pouco de paciência da sua mãe, tanto estética quanto funcional. É como se ela fosse “usar os dentes” de outra pessoa… uma reeducação total. Mas, tendo ciência disso e sendo bem orientada, certamente novas próteses (inclusive a de baixo) só trarão benefícios pra ela.

  38. Olá!
    Mamãe tem 37 anos e tem apenas um dente da frente na parte de cima do maxilar, desde que me entendo por gente ela usa dentadura [uns 19 anos mais ou menos]. Será que ela ainda tem chance de fazer implante e será que fica bom? Existe mesmo aquela chamada prótese fixa, aquela que é como um implante da prótese? Qual compensa mais [tanto em dinheiro quanto em saúde, melhor pra limpeza, adaptação e cuidados]: a móvel, a fixa ou o implante? Obrigada pela atenção :D

    • Thaah, o mais importante é avaliar a quantidade de osso que a sua mãe tem pra instalação dos implantes. Se ela perdeu esses dentes há quase 20 anos, a tendência é que a quantidade de osso esteja diminuída, pois o nosso organismo entende que, se não há dentes, não há necessidade de osso para segurar nada. Por isso, o osso é reabsorvido. De qualquer forma, um enxerto ósseo pode resolver o problema. No quesito limpeza, a prótese removível é mais interessante, pois a higiene fica facilitada. A dentadura pode ser fixa também, só é mais “chata” de limpar. Uma opção interessante, talvez, seja fazer implantes e usar uma prótese removível sobre implantes, com retenção e estética excelentes e que, de quebra, é fácil de limpar. Em termos de valores, tanto a fixa quanto a removível sobre implantes têm valores similares.

      • Obrigada! :D

  39. Tipo, eu uso protese na frente, tem como usar aparelho?

    • Patricia, tem sim, Patricia. Procure um dentista / ortodontista pra avaliar.

  40. Drª tenho uma dentadura completa há poucos dias e dois dentes já descolaram, é normal?

    • Não é normal não, Santos… entre em contato com o seu dentista pra fazer o reparo.

  41. Olá Ana, parabéns pelo Blog, num país com um grande número de desdentados totais quanto mais informações aos pacientes melhor. Sou professor de Prótese total e hoje, após 26 anos de formado, não troco mais uma prótese sem terapias prévias na prótese antiga. Acredito que todas as respostas clínicas tão imprecisas neste tipo de próteses, são respondidas com a experimentação clínica dada pela terapia prévia de restabelecimento da área basal, DVO, estética, etc feita na prótese antiga. Se quiser mais informações consulte em meu livro: Técnica da Clonagem Terapêutica em Prótese Total.
    Abraços Osmar

    • Oi Osmar! Obrigada! Quero mais informações sim, essa é uma questão importantíssima e recorrente. Já vou pesquisar aqui pra adquirir o seu livro :). Abração!

  42. So mais uma pergunta dra, se ficar frouxa posso usar o fixador de dentadura? Outra pergunta, se eu fizer um implante sobre dentadura na parte superior fica bom? Obrigado pela atençao…

    • Sim, você pode usar um fixador. E a dentadura sobre implante costuma oferecer uma qualidade muito boa também, pois a fixação é muito melhor.

  43. Dra. na verdade minha protese ta pegando nessa regiao palato mole, sera que tem jeito de diminuir a protese pra nao encostar nessa regiao ?

    • Até é possível fazer um desgaste. O problema é que esse desgaste pode deixar a prótese frouxa.

  44. Dra é normal dar ansia de vomito com uso de protese total? Nos primeiros dias em q usei me deu muito vomito, minha dentista disse que isso é normal…

    • Marcelino, eu não diria que é normal, mas já ouvi outros relatos parecidos com o seu. Algumas pessoas são mais suscetíveis a esse tipo de sintoma, pois às vezes a prótese pega mais na região próxima à garganta, chamada “palato mole”.

  45. No dia 16/11/2012 passei por uma cirurgia para a retirada de todos os meus dentes da parte superior, os quais já estavam caindo, existiam dois no canto, mas o dentista achou por bem retirá-los também. Contudo ainda não me adaptei à prótese, não quero usar, não gostei, ficou horrível, com a gengiva aparecendo, enfim não tenho tempo e muito menos paciência para usar adesivos como corega, o que seria indicado para mim? Pois na verdade estou em processo de fazer implante, mas antes tenho que curar uma periondontite. Estou desesperado e super arrependido.

    • Juscelino, se você não se adapta a próteses removíveis, a solução é o implante mesmo. Se você removeu todos os dentes superiores, a periodontite não será mais um problema (pelo menos para a parte de cima). Claro, existem as bactérias envolvidas, mas já é possível ir planejando como e quando os implantes serão feitos. E, enquanto eles não forem instalados não há muito o que fazer além de tentar se adaptar, mesmo que provisoriamente, à sua prótese removível.

      • Prezada Ana, tenho bom motivo para o atraso de cerca de um ano e meio ao comentar a mensagem do Juscelino: estou recém-chegado a esse universo, o das próteses removíveis, ainda no início do período de adaptação, passando pelos percalços, incômodos e dores que o caracterizam. Pode ser que Juscelino não leia, mas pode ser que outros leiam.

        Quanto à gengiva “aparecer”, tive a mesma impressão que Juscelino, na primeira vez em que me vi no espelho. Cheguei a achar que havia alguma coisa errada, mas me dei conta de um fato simples: eu tinha me acostumado a ter dentes mais expostos do que o normal, por causa da retração da gengiva — apesar de esteticamente agradáveis, como muitas vezes ouvi, grandes e proporcionais à minha fisionomia. O fato é que, por efeito de contraste, os novos dentes parecem ser menores do que os originais, apenas isso. De resto, é acostumar-me às novas rotinas (o pior de tudo é a diminuição do paladar). Encaro minha prótese dentária do mesmo modo que encaro a outra, meus óculos: ruim com, pior sem — ainda bem que existem!

        Um abraço e boa sorte a todos.

        • Obrigada pelo testemunho, Ricardo. Estou certa de que pode ser útil aos leitores do blog.

  46. Coitada de você Ana. Com tanta reclamação desses pacientes você deveria trocar de profissão.
    Que bom que não sofreu nenhum acidente e tenha necessidade de alguma prótese, não só dentária, qualquer prótese.
    Boa sorte e fecha o consultório pois ninguém aguenta tanto paciente burro.]
    Mas o dinheiro que eles deixam é bem vindo não?
    Continue com os seus clientes e com esta atitude de falta de empatia com a dor alheia.
    Faz parte da zeitgeist da medicina entregue às corporações.
    E, não, prótese causar câncer é ignorância sua.
    Médico com blog?
    Jamais. Mercantilismo barato não dá.

    • Mateus, você não me conhece. Portanto, guarde suas opiniões sobre mim pra você mesmo. Em nenhum lugar deste blog eu chamei qualquer paciente de burro, e diariamente me solidarizo com a dor das pessoas. Este blog foi criado exatamente por causa disso. E não, eu não disse que prótese causa câncer. Você é que não sabe interpretar texto.

      E eu não sou médica, sou cirurgiã-dentista. (nem perca tempo em enviar qualquer comentário, não irei publicar)

  47. Doutora, meu marido colocou a protese inferior nova e esta machucando muito, ele diz que queima. Tem alguma coisa que ele possa passar pra amenizar essa dor?
    Obrigada.

    • Tania, se a prótese está causando machucados, é preciso procurar o dentista para ajustá-la. Para os machucados, existem medicamentos em Orabase que podem ajudar (como o Omcilon-A).

  48. Drª. bom dia!!
    Tenho 47 anos e, em julho deste ano, coloquei uma prótese total (dentadura) na parte superior porque tenho acentuada perda óssea, não deu pra adiar mais. Acontece que após a colocação desta prótese eu comecei a perder sensivelmente o apetite. Esta ainda é a provisória e necessito colocar o tal do corega para segurá-la porém ele fica escorrendo e eu engulo. Será que pode ser isso que está causando a falta de apetite? Perdi totalmente a qualidade de vida. Tem alguma sugestão? E, se não for abuso, ouvi falar e pesquisei sobre um implante para quem tem perda acentuada de ossos, o zigomático, o que acha? Entrei em contato com uma clínica super renomada em Belo Horizonte e o dentista responsável me respondeu que já fez vários e todos com êxito. Só pra explanar, sou diabético, mas controlado. Desde já agradeço. Abraços.

    • Flávio, provavelmente a sua perda de apetite tem a ver com o fato do céu da sua boca estar coberto pela prótese, o que diminui o seu paladar. Existem até estudos que utilizam aparelhos removíveis com o intuito de causar esse efeito. Eu acho que, se o dentista que você consultou, após avaliá-lo, julgar que você é um candidato ao implante zigomático e que isso pode beneficiar você (e eu acho que pode), é uma boa ideia.

  49. Olá Dra. bom dia! No consultório do meu marido temos vários pacientes impacientes… rsrsr moldam hj e querem pra amanhã pronta!!! Temos um caso específico e gostaria de saber a sua opinião: tem uma paciente idosa, mais ou menos 70 anos de idade, depende de filhos, netos, parentes para levá-la ao consultório, sempre com a cara feia, foi a 1a vez pra moldar depois sumiu, faltou em todas as consultas, retornou após um mês querendo a prótese pronta, conversamos, explicamos, moldou novamente e faltou, agora depois de 6 meses mandou uma carta registrada no consultorio querendo a devolução do dinheiro, o que fazemos?

    • Gryssa, velhinha marrenta, hein?! :D

      Eu acho que depende… se houve algum gasto laboratorial, eu mandaria uma cartinha registrada para ela com a nota do protético convidando-a a comparecer ao consultório para acertar “a diferença” do valor. Se não houve gasto laboratorial, embora tenha havido outros gastos, eu devolveria o dinheiro e pronto. A mulher não deve ter outra coisa pra fazer e fica arranjando “motivos pra viver”… provavelmente não vale a pena a briga. Até porque, numa relação comercial, o cliente é sempre considerado a parte mais “frágil”, e costuma “ter razão” mesmo quando não tem razão. Desaforo… ;)

  50. Olá Dra.Ana, bom dia!!!!!

    Gostaria de esclarecer uma dúvida: Minha mãe é uma senhora de 82 anos e recentemente teve que fazer uma nova prótese inferior pois a antiga caiu e quebrou. Ocorre que a nova prótese não aparece nunca, nem quando ela sorri, além de estar machucando o que é normal quando se coloca uma nova prótese. Ela retornou à dentista que fez a prótese para reclamar principalmente pelo fatos de os dentes não aparecerem e a dentista falou que é assim mesmo, que não tem o que fazer. Fui visitar minha mãe esta semana e percebi que os dentes novos são menores que os da antiga prótese, a dentista não teria que resolver este problema?
    Acredito que, quando nos dispomos a colocar “dentes novos” é porque queremos tem um sorriso mais satisfatório e que as pessoas vejam que temos dentes, mas não é isso que ocorreu com minha mãe. Ela está usando a dentadura velha porque as amigas perguntavam para ela se ela estava sem dentes quando estava usando a dentadura nova……….ela está muito chateada com isso e quer que eu vá falar com a dentista dela………
    Aguardo uma opinião sua e desde já agradeço!!!!!!
    abs

    • Djacir, para resolver o problema estético, a essa altura, só fazendo uma prótese nova mesmo. A confecção de uma dentadura leva algumas sessões e, a última sessão antes da instalação/entrega é justamente a prova, quando o paciente avalia principalmente a estética da prótese: cor (dos dentes e da gengiva) e tamanho dos dentes. Claro que, em apenas 10 minutos, o paciente nem sempre consegue ter uma noção real de todas as nuances estéticas da nova prótese… vale aí a orientação e o conhecimento técnico do dentista. Esse descontentamento com a nova prótese é algo mais comum do que todos nós (dentistas e pacientes) gostaríamos, em parte porque a prótese pode ter mesmo algum problema em sua confecção e, em parte, porque o paciente está tão habituado com a prótese antiga que não consegue se adaptar de forma fácil a “morder com outros dentes”. Enfim, eu acho que a melhor solução é sempre o diálogo… eu acho que você deveria ir junto com a sua mãe e conversar com a dentista, mostrar o que é que desagrada, a forma como a prótese não aparece quando sua mãe sorri. Tenho certeza que vocês vão acabar chegando num denominador comum.

  51. Olá, eu gostaria de saber uma coisa, ganhei um dente de ouro da minha avó que era da dentadura do meu avô, mas ele esta na dentadura. Como faço para tirar o dente da dentadura?

    • Fernando, o ouro usado pra fazer coroas dentárias é um ouro odontológico, uma liga diferente. Provavelmente o valor desse dente não seja assim tão grande. Pra remover o dente, o ideal seria procurar um técnico em prótese dentária (protético).

  52. Estou em tratamento com o dentista fazendo uma ponte (protese) ja faz quase dois meses e nao acertam, o que fazer? Posso ter o dinheiro de volta, qual o meu direito? Obrigada, bom dia.

    • Julia, o que é que está dando errado? Não sei qual é o caso, mas algumas próteses são mais complicadas de “acertar” mesmo. Eu acho que sempre vale a pena tentar conversar. Você até pode ter seu dinheiro de volta, você é a consumidora. Mas o ideal mesmo era “acertar”, né?! Assim todo mundo fica feliz. :)

  53. Acredito q a pior derrota possível de um dentista é justamente ter q fornecer uma dentadura a seu paciente. Esse é o pior cenário possível, com exceção de acidentes.

    Fico me perguntando como q alguém consegue perder, naturalmente, todos os dentes até o ponto de ser necessário usar uma dentadura? Dentadura é coisa q vc vê na tv em programas de humor, filmes de comédia. Aliás, a melhor maneira de medir a responsabilidade dos dentistas em orientar a população de um país sobre os cuidados bucais é analisar a quantidade desses cidadãos q usam dentaduras. Ou seja, Brasil: péssimo conceito. Quantos % usam dentaduras? Lembro q li 22% da população há uns 10 anos numa pesquisa de jornal. E hj, pesquisa rápida no google: http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_exibe1.asp?cod_noticia=1378 …simplesmente 30 MILHÕES de brasileiros usam dentaduras, dados de 2004!

    Dentistas, se envergonhem!

    Obs: com exceção da Ana Lindona, rs.

    • Não é questão de dentistas se envergonharem… Não podemos fazer dentaduras de graça, ou evitar que os dentes caiam apenas com serviços voluntários! Sou sindicalizado e o Sindicato dos Odontologistas tem brigado muito para que o governo contrate novos dentistas no sistema público. Tem que ter mais dentistas, principalmente especialistas, mais laboratórios de prótese, mais técnicos de prótese dentária e técnicos de saúde bucal no sistema de saúde pública… Aos poucos vai melhorar. Vai ter mais contratação (assim espero) no programa Brasil Sorridente… Assim espero… :/

      Detalhe: já saiu que dentre os profissionais da saúde, os dentistas são os que mais realizam trabalhos voluntários… E isso não é vergonha nossa, é orgulho nosso!

    • Nico Loumax, como pode um ser humano perder todos os dentes? Isso não é difícil de entender… Em um país onde o salário minimo é vergonhoso, como tratar os dentes com dentistas particulares? Esse tal de SUS só sabe fazer extração e ponto… #ficaadica

  54. Achei o texto legal do ponto de vista dos dentistas, mas quando se trata de pacientes senti uma certa ironia, achei que estão rindo deles pelas costas, faltou respeito na minha opinião. Como foi dito o paciente não tem obrigação de saber tudo e se ele está insatisfeito tem mais é que reclamar sim. Agora se criticam isso, só lamento!

    • De forma alguma Angélica, você entendeu errado. Este blog foi feito para esclarecer o paciente, e não para ironizá-lo. Ressalto que trocar de prótese requer aprendizado e adaptação, e a minha experiência me mostrou que muitos pacientes não compreendem isso, fica, portanto, o alerta. Existem próteses mal feitas? Sem dúvida. Mas cada caso é um caso, e por isso é importante que o paciente efetivamente participe da confecção da sua prótese… a chance de descontentamentos diminui drasticamente.

    • Angélica. vc está coberta de razão! Percebi esta ironia também!

      Bjus!

      • Ambas “perceberam” errado.

  55. Muito legal o texto, mas quem faz a prótese não é o protético?

    • Quem confecciona a fase laboratorial da prótese é o protético. Quem atende o paciente e colhe as informações que o protético precisa sobre as particularidades do paciente e instrui o protético sobre como deve ser confeccionada a prótese em questão é o dentista. Protéticos só trabalham em laboratório, não podem atender o paciente diretamente.

      O profissional, cirurgião-dentista, que é especialista em prótese é chamado de “protesista”.

      • É ai que começa o problema Dra. Ana. Em um país em que se ganha muito mal, você sabe que o preço médio por elemento de uma protese, tipo ponte fixa feita la no protético, custa cerca de R$ 200,00, ai quando o dentista da o orçamento este mesmo elemento pode custar R$ 500,00 R$ 800,00 ou sei lá quanto, fora o restante do serviço como canal, preparação etc. Ai fica impagavel para muitos, onde gera um país de desdentados. Estou postando isso porque estou passando por isso neste dias. Apenas um retratamento de canal esta me custando R$ 500,00 e ainda nem sei o quanto vou gastar. Melhor, não vou poder gastar, mas se o dentista me cobrasse apenas para moldar e os canais e a protese eu pudesse mandar direto ao protético, talvez daria para fazer. INFELIZMENTE ESTA É A REALIDADE DA MAIORIA.

        • Gustavo, acredite, eu compreendo a situação. Mas o que gera um país de desdentados não é o valor que cobra o dentista particular, mas a ineficiência dos serviços de saúde pública no Brasil. E há profissionais excelentes no serviço público, frustrados por não poderem oferecer tudo o que gostariam à população, desde à orientação preventiva até os procedimentos curativos… e isso não acontece por falta de dinheiro, pelo contrário, mas porque o “excesso” dele fica nos bolsos da corrupção. Reclame sim, é saudável e um direito seu, mas “brigue” com os adversários certos.

  56. Retificando o comentário que a prótese pode levar a ter um câncer bucal, isso nunca vai acontecer, nunca uma hiperplasia (hiperplasia = aumento do número de células num órgão ou num tecido) vai levar a um câncer bucal (atuam alterando a estrutura genética (DNA) das células) pra se dar um câncer e preciso ter uma alteração de DNA e sinceramente isso não ocorre. E o máximo que uma prótese mau adaptada só irá acarretar em lesões e hiperplasia.

    • Alen, concordo com você. Uma hiperplasia nunca “virará” um câncer, e eu não digo isso no texto. O que eu disse é que uma prótese mal adaptada pode na menor das hipóteses causar uma hiperplasia e, na maior, predispor a um câncer. Se considerarmos que a agressão recorrente a um tecido promove divisão celular constante e o tumor cancerígeno é fruto de uma divisão celular sem controle, não é uma boa ideia ficar agredindo o mesmo local a toda hora, assim como o cigarro faz com a mucosa e o sol faz com os lábios, nos casos de queilite actínica, por exemplo. O organismo procura se defender, e às vezes “se perde”.

      Obrigada pela visita e pelo comentário!

  57. Excelente post!
    Já falava acerca disso para meus clientes, mas você conseguiu abranger toda a amplitude do problema que é a adaptação da nova prótese total. Parabéns!!

  58. Po vou recomendar esse post a todos meus pacientes que farao PT. Muito bom!

  59. A protese total devolve ao paciente apenas 25% da capacidade mastigatória de seus dentes naturais, ou seja, o paciente nunca deve esperar a perfeicao, e sim uma melhora da função mastigatória e uma estética satisfatória. Só isso já o deixará, sem trocadilhos, com um belo sorriso no rosto!

  60. Eu não retenho a protese antiga, porque em alguns casos as feridas causadas pela nova precisam cicatrizar antes dos novos ajustes, e o paciente usa a antiga. Quando as úlceras formadas são muito grandes, não se consegue desgastar quantidade correta, sempre vai continuar pegando na parte edemaciada. De todas as etapas eu não abro mão, e ainda por vezes faço selamento periférico com godiva de baixa fusão. Mas mesmo assim… :(

  61. Ótimo Ana!!
    Ensina para eles… pacientes nossos de todos os dias… aiaiaiai
    Posso imprimir?
    Bjs

    • Pode! :D

  62. Adorei o texto Ana, vez ou outro tenho alguns problemas devido ao paciente querer PRESSA na adaptação da prótese. O que eu acho importante é você deixar claro pro paciente que protese total não é dente (no caso, se ele estiver extraindo para colocar total) e nunca uma dentadura é igual a antiga. E o que eu acho muito importante: Mostrar para o paciente que SIM, vai incomodar, e SIM, voce vai estar alí pra tentar ajuda-lo, mas, que ele deve contar com o nosso amigo TEMPO, e insistir, mastigando, dormindo, fazendo tudo com a protese na boca. Outra coisa que eu sempre faço, guardo no meu consultorio a protese antiga, não dou para o paciente.

    Beijos querida :)

    • Exato! Bom mesmo é DENTE… prótese é uma forma artificial de se substituir parte do que se perdeu… mas uma prótese nunca vai ser tão eficiente quanto o dente de verdade. E leva tempo pra se adaptar a um os mais dentes artificiais.

      Que malvada! Esconde a dentadura antiga do paciente… ahahahahaha! :D

      Beijo! :)

      • Gostei muito dessas super dicas. É o que eu estava precisando ouvir para passar para aqueles pacientes que chegamos até a sonhar de noite.

        • Obrigada, Marcia. Espero que ajude mesmo. :)
          Valeu pela visita e pelo comentário.

Comente ou pergunte!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>