Qual é a melhor escova de dentes?


Pergunta recorrente. Todo mundo quer saber qual é a melhor escova de dentes. Há algum tempo recomendei aqui no blog que você não se casasse com a sua, porque escova de dentes é feita pra ser trocada com frequência mesmo, não adianta querer prolongar a vida dela… seja por afeto ;), seja por economia.

Sendo dentista, sempre que vou ao mercado ou à farmácia acabo fazendo uma parada obrigatória na seção de artigos de higiene bucal. É mais forte do que eu. Há alguns anos a gama de opções de escovas de dente era bem menor, quase que apenas um modelo por marca (e poucas marcas). Hoje é até difícil escolher diante de tantas opções.

As empresas do ramo vivem lançando novidades: escovas com design diferenciado, cerdas especiais, limpadores de língua, cores incríveis… banhadas a marketing. Não tenho nada contra a parte comercial da coisa… claro, minha opinião muda quando se ganha dinheiro em detrimento da saúde bucal do paciente. Felizmente, não vejo isso acontecer com frequência.

Achei um infográfico bem bacana da Revista Época que faz um review dos modelos e marcas de escovas de dente disponíveis no mercado, falando sobre suas qualidades e benefícios. Clique na imagem para ampliar e ver o infográfico completo:

Infográfico Revista Época

O que eu acho disso tudo? Que a melhor escova de dentes é a que está na mão de quem sabe como usá-la. Algumas recomendações são básicas, como: cabeça não muito grande (pra chegar em todos os lugares) e cerdas macias (cerdas duras não limpam mais e ainda podem machucar a sua gengiva). Outras caracteríscas podem ajudar, é claro, como um cabo confortável e anti-derrapante. Mas, de forma geral, tendo-se uma escova básica e escovando os dentes dentro da técnica correta, não tem erro.

Em resumo: se você não conhece a técnica correta para escovar aos dentes, pergunte ao seu dentista, ele vai lhe explicar. Aí compre uma escova de cabeça pequena e cerdas macias, da cor que você achar mais bonita. Pode ser barata, pode ser cara, tanto faz. O que interessa é que você saiba o que fazer com ela. 🙂

Leia sobre o assunto também no Blog Profissão Dentista.

UPDATE em 10/06/2013:

O Inmetro testou as principais marcas de escovas de dente vendidas no Brasil. Veja a reportagem do Fantástico:

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Higiene Bucal

Marcadores:

44 comentários

  1. Oi, eu ate entao uso a colgate 360, mas ela esgarça muito rapido, acho que é normal dela, pois nao sou de forçar, no caso a Curaprox a durabilidade seria maior? Me disseram que a escova Edel White Konex HD, tambem Suiça, é superior a Curaprox, alguem ai conhece? Obrigado.

    1. Nunca usei a Edel White, Marcio. Não conheço. Mas a Curaprox é muito superior (inclusive em durabilidade) à Colgate 360, na minha opinião.

  2. Uso aparelho e comprei pra mim o kit ortodôntico da marca Bitufo, que vem a escova normal e mais uma pra limpar entre os brakets e os brackets, porém não sei se a escova é macia ou não… na embalagem não vem escrito. Se não está escrito é porque não é?

    1. Mayara, se a escova é para limpar os bráquetes, ela nem precisa ser tão macia. Macia tem que ser aquela que você usa pra escovar os dentes de forma geral, aquela que entra em contato direta com a gengiva.

  3. Olá, gostaria de saber se compensa investir na escova Oral B Professional Care 5000. Vi vários vídeos no YouTube falando dos benefícios dessa escova, mas acho ela bastante cara, coisa de 300 reais. Atualmente uso a Curaprox 5460 e acho uma escova excelente. Abraços.

    1. Marcos, escovas elétricas são um bom investimento sim, mas se você não tem grandes dificuldades de higienização (problemas motores, próteses fixas, etc.), não chega a ser uma necessidade. A Curaprox é uma escova excelente, uso e recomendo.

  4. Olá… sou muito vaidoso com meus dentes… gostaria de saber o que acham das escovas Oral B ? Uso esse de um preço variado, 8,00 reais a 11 reais, são boas elas?

    1. Alef, são escovas boas, sim. A escova adequada precisa ser: macia, com cerdas retas e da mesma altura e com a cabeça não muito grande, pra alcançar todos os lugares.

    1. Eduarda, geralmente quem usa aparelho tem uma “coleção” de escovas. Eu recomendo o uso, pelo menos, de uma escova “normal” e outra interdental. Mas existem várias marcas que disponibilizam escovas ortodônticas, que têm uma espécie de “canaleta” no meio das cerdas pra escovar melhor o aparelho. Sugiro da marca Curaprox –> http://bit.ly/1M6kSzu

  5. Olá Ana, tudo bem?

    Coloquei aparelho recentemente e a dentista me disse pra comprar um escova bem macia. A mais macia que encontrei foi uma marca suiça chamada curaprox. Posso usar essa escova? Ou existe outra mais indicada para quem usa aparelho?

    1. Oi Thiago, tudo e você? A Curaprox é uma escova excelente, você pode usá-la, sim. Também existem escovas específicas para quem usa aparelho, com um rebaixamento central das cerdas, de marcas nacionais. É questão de ver com o que você melhor se adapta.

      1. Que bom… 🙂

        E mais uma dúvida. Coloquei o aparelho de safira e meus dentes ao redor dos braquetes percebo que ganharam uma cor mais escura, inclusive um dos dentes ficou bem escuro quase preto, minha dentista disse que pode ser da cola que ela usou e do grafite da lapiseira que ela usou pra medir o angulo dos dentes e onde colocar cada braquete. Pode ser isso mesmo ou é má higiene minha?

        1. Poderia ser as 2 coisas, Thiago… mas se sua dentista mesmo viu e achou ser a resina / grafite, eu acredito que seja isso, mesmo.

          1. Entendi Ana!!!!

            Fui nela ontem e era mancha de alguma bebida mesmo.

            Gostaria também de dar um sugestão para o seu site/blog, se me permitir. Não sei se existe mas seria bem interessante se você criasse uma área para as pessoas fazerem um cadastro com foto, cidade etc etc… e também seria interessante se recebêssemos notificações por e-mail de quando nosso comentário é respondido. Fiquei procurando esse post aqui por dias, pois esqueci qual que era e queria ver se você havia respondido… hahaha

            beijos!!!!

  6. Gostaria de saber o tipo de escova ideal para quem tem retração gengival. Pelo o que tudo indica, adquiri este problema por excesso de força na escovação.
    Obrigado.

    1. Davi, macia e com cerdas de mesma altura. Procure não usar tanta força e não inclinar tanto a escova de baixo pra cima (no caso dos dentes superiores) e de cima pra baixo (no caso dos dente inferiores). O segredo não é tanto a escova, mas a técnica de escovação.

  7. E como identificar quais escovas são macias? Muitas dizem que são, mas ao abrirmos a embalagem, as cerdas são duras. Há pouco comprei uma escova que tem um desenho de borboleta no cabo. Não estou lembrando a marca. Ela é bem dura e não limpa. Vou ter que jogar fora.

    1. Paulo, realmente não há como saber sem abrir a embalagem. Mas eu não costumo ter problema com isso, geralmente as escovas que eu uso e que se dizem macias, são mesmo. 2 escovas excelentes: a Colgate Slim Soft e a Curaprox (uma marca suíça, mas tem pra comprar aqui). Essas não têm erro. 😉

    1. Angela, sabe aquelas escovas todas “tecnológicas”, cheias de cerdas coloridas de várias alturas e muitas vezes com estruturas “polidoras” de borracha em meio às cerdas? Fuja delas. Essas geralmente têm cabeça grande, pra abrigar todos esses adendos. Prefira escovas simples, de cerdas da mesma altura. Cabeça pequena é aquela que chega em todos os “cantinhos”, principalmente atrás dos dentes posteriores. Dois modelos excelentes: a Curaprox e a Colgate Slim Soft.

  8. Seu texto é excelente. Ratifica conceitos que fui adquirindo de profissionais ao longo do tempo. Me arrisco até mesmo a dizer que sua análise foi perfeita. Parabéns!!!

  9. O infográfico limita-se a apresentar os tipos de escovas dentais comuns atualmente no mercado, mas não alerta em que casos certos tipos de escova não devem ser utilizadas, como em casos de retração gengival. Dra., achei um post sobre isso que, na minha impressão, foi mais eficiente na abordagem da questão da “melhor escova”: http://tellesorthodontia.com.br/Escova.html . Vale um comentário, não acha?

    1. Pra quem gosta de especificações técnicas, é interessante (pena que o design do site é horroroso, o que é uma pena, já que o conteúdo é ótimo). Mas eu ainda acho que nenhuma especificação técnica é mais importante que a técnica de escovação, em si. Se a pessoa sabe escovar os dentes, mesmo que a escova não seja a melhor, o resultado da limpeza ainda vai ser superior do que o de uma escova super-ultra-mega-blaster na mão de alguém que não sabe usá-la. Mas claro, é importante discutir todos os aspectos.

      1. Quem está com alguma doença bucal, principalmente a retração de gengiva, pode se interessar em saber que uma escova com formato assimétrico de cerdas (pontas elevadas ou cerdas em formato zig-zag), anatomicamente, favorece o problema. Achei interessante notar que em todos os vídeos que já vi sobre escovação, todos apresentaram a técnica de Bass, que li que não é adequada em casos de pessoas com retração gengival ou para quem usa aparelho. Só não sei se essa informação procede, já que há vários artigos na internet sobre odontologia com informações erradas.

        1. Francisco, é verdade. A questão é que essas informações geralmente não são tão fáceis de se obter… nem sempre isso consta na embalagem. Talvez entrando em contato com o SAC da empresa que fabrica a escova… pode ser. De qualquer forma, o ideal é que a escova sempre tenha as cerdas retas e de mesma altura, tanto para pessoas que têm recessões gengivais quanto para as que não têm. A técnica de Bass modificada preconiza que a escovação seja feita em um ângulo de 45 graus “contra” a gengiva, pois o objetivo é limpar dentro do sulco gengival. Mas isso pode favorecer a retração da gengiva, já que a “empurra” na direção coroa-ápice.

  10. Não sei se é só comigo, mas quanto mais a escova é “enfeitada”, principalmente as com cerdas assimétricas – as mais caras e “tecnológicas” -, menos elas são eficientes.l

    Usando a nomenclatura do gráfico, as melhores mesmo são as “versáteis”, as velhas e boas escovas sem baboseiras: apenas um cabo de plástico, cerdas planas e polidas e cabeça q não seja muito grande. As empresas criam essa variedade louca só para iludir, induzir os clientes a comprarem as “novidades”. Limpador de língua de 2 cm? Muito melhor comprar um limpador de língua mesmo, separado, bonitinho. Enfim, não trabalho pra empresa, mas a escova q escolhi por ser a melhor e a q eu uso, inclusive consta no gráfico, é a Curaprox ultra soft 5460. Não faz nenhum milagre, é óbvio, mas é a melhor q já usei até hj. Isso pq suas cerdas são super macias, ideais para quem tem dentes sensíveis e “pega no muque” (tradução: faz mt força/pressão, rs) na hora de escovar (eu, por exemplo). Além disso o cabo é longo afunilado, com a cabeça da escova pequena, ou seja, trabalha muito bem dentro da boca. Ela possui mais cerdas do q as escovas comum e pesquisas demonstram q as escovas mais eficientes são as q possuem mais cerdas. Tbm são bonitas e estilosas, além de importadas da Suíça, onde são fabricadas. É claro q custam mais caro, porém nenhuma fortuna, sai de 12 a 15 reais e são encontradas em grandes redes de drogarias. Exemplos: Drogaria São Paulo, Droga Raia (sob encomenda) e Drogasil.

  11. Escovas de acrílico também não são recomendadas pois, ao escovar, as forças são maiores e acabam machucando a gengiBa! #ficadica

  12. Acredito que boa parte desta educação com relação ao uso de escovas diferentes e técnicas diferentes é bem aplicável de forma relativamente mais fácil com crianças e jovens, dependendo da “paciência e hiperatividade” de cada um, claro. Não é regra geral, como todos aqui sabem, mas com o passar da idade, muitas pessoas vão tendo “menos paciência” e, algumas vezes, aumento na dificuldade motora. Claro que com a melhora da qualidade de vida de muitos brasileiros e da educação, além de um melhor esclarecimento, isso tem de certa forma mudado aqui no Brasil, infelizmente há ainda muitas discrepâncias em nosso país.

    Acho que o mais importante para o clínico é avaliar como a pessoa se adaptou a uma nova escova/escovação e não se frustrar, nem mesmo frustrar o paciente caso o resultado não tenha sido razoável. Pois essa de ficar dando bronca em paciente em toda consulta, pode gerar medo do indivíduo em visitar novamente aquele dentista só de pensar em toda vez tomar bronca, apesar de ele acreditar que está se esforçando para melhorar a escovação.

    No livro do Lindhe, antigamente (não veio na 5a edição), aparecia escrito em um dos capítulos sobre manutenção/higiene pessoal que a melhor escova é aquela que é bem utilizada, da mesma forma como a Dra. Ana colocou que o que interessa é saber o que fazer com a escova. O tempo e a paciência, como falou o Dr. Guilherme são também fundamentais e também não abro mão de escovas de cabeça pequena, a não ser que o paciente tenha apenas os dentes anteriores superiores em uma arcada pouco ogival, daí pode nem mais fazer diferença o tamanho da cabeça da escova.

    Quando o paciente não demonstrou boa higiene após alguns esclarecimentos nas sessões seguintes, é sempre bom, principalmente em idosos, adaptar/personalizar uma higienização para aquele paciente e não o contrário, ou seja, adaptar o paciente a uma higienização. Verificar pontos de falhas, se de um lado, se em algum canto.

    Por que não deixar um paciente com pouca força na escovação, sem dinheiro para uma escova elétrica (e seus refis), ou menos ainda para um “water-pik”, com perfil gengival espesso (que tolera bem o trauma), sem retrações, com muito acúmulo de cálculo/tártaro e sem sensibilidade dentinária, utilizar uma escova de cerdas mais duras, hein?

    Nunca pensei que fosse recomendar uma escova de cerdas duras, até ter um paciente idoso com artrose e forte acúmulo de placa, sem retrações e perfil gengival espesso e que sempre retornava com muito acúmulo de placa. Só consegui um melhor resultado depois que pedi pra ele para trocar a escova por uma de cerdas mais duras e realizar o uso de bochechos. Acho que tanto as escovas de cerdas duras, como o uso de bochechos deveriam ser evitados ao máximo, porém têm as suas indicações restritas e deveriam sempre ser supervisionados por um dentista para não causar danos que depois resultassem em custos altos de reabilitação por parte do paciente.

    Um paciente com perfil gengival fino, por exemplo, ou com retrações e com boa força no braço (não necessariamente um ogro :D) pode causar danos na gengiva e/ou raízes dos dentes que em pouco tempo poderão necessitar de restaurações nas raízes ou cirurgias gengivais corretivas/regeneradoras. E justamente por conta desses danos que podem causar, que nós dentistas pedimos, em geral, para não comprar escovas de cerdas duras. Mas não se assustem se algum dia algum dentista recomendar uma dessas.

    Adorei o texto!

    Aahhh! Outro texto, que vale lembrar aqui e que também adoro da Dra Ana, é quando ela explica quão importante é o fio dental.

    Olha… Foi uma grande terapia pra mim hoje ao ler estes comentários, pois me achava meio esquisito e sempre tive vergonha em assumir minha compulsão em namorar a sessão de higiene bucal das farmácias e supermercados… Sempre que sai algum novo bochecho, pasta/creme, leio a composição. Fica sempre um maluco lendo, olhando e nunca compra nada além da mesma coisa básica de sempre. rs 🙂

    1. Obrigada pelas considerações, Sérgio! “Pra variar”, sempre com informações relevantes e que agregam ao texto. Um grande abraço! 🙂

  13. Adoro passar no corredor de saúde bucal do supermercado também, Dra. Ana, hahaha. Deve ser mania de dentista. 🙂

    Dou muita importância às escovas de dentes. Aprendi muito sobre elas no meu TCC da especialização. A idéia inicial era fazer uma pesquisa clínica, mas acabou sendo uma revisão de literatura mesmo. Sobre as escovas manuais, é muito difícil achar um estudo independente que compare os vários tipos de escovas manuais. O estudo patrocinado pelo fabricante A disse que sua escova é melhor que a do fabricante B, e vice-versa.

    O que ficou muito claro pra mim durante a minha pesquisa é que os diferentes desenhos de disposição de cerdas ajudam, sim, a remover mais placa. A diferença é pouca, mais ajuda. Porém, o fator que mais faz diferença na escovação é o TEMPO. Todas as marcas de escovas (cerdas macias sao imprescindíveis) serão eficientes se o usuário a usar por pelo menos 2 minutos. Por isso sempre recomendo aos meus pacientes muita atenção na hora da escovação e que não tenham pressa, pois ela é sempre a inimiga da perfeição!

    Outra coisa, escovas elétricas são muito melhores que as manuais. Aqui no Brasil não são muito populares e nem temos a mesma variedade de modelos disponíveis em outros países. Essas sim são comprovadamente mais eficientes na remoção de placa e seria ótimo que os fabricantes trouxessem mais modelos pro nosso mercado.

    Desculpe pelo texto grande, mas não me segurei, hehehehe.

    1. Imagina Guilherme, o espaço é seu! 🙂

      Muito relevantes as informações que você trouxe. Quanto à disposição das cerdas, sempre tive dúvidas se fazia alguma diferença ou não. E eu até imaginava que as escovas elétricas fossem mais eficientes, mas nunca tive uma pra testar ;). Estou pensando em adquirir uma… (ainda mais agora depois das suas informações).

      Obrigada pela presença e pelas informações. Abração!

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista