É Bom Ter Convênio Odontológico?

Hoje é o Dia Mundial da Saúde. Aproveitando a data, entidades e profissionais da área médica e odontológica estão promovendo o Dia Nacional de Paralisação do Atendimento aos Usuários dos Planos de Saúde. Hoje, “pacientes de convênio” não serão atendidos, salvo em casos de emergência ou urgência.

Pra você que não compreende o motivo, eu explico: os valores repassados aos profissionais pelos planos e convênios de saúde quando realizamos um atendimento são, de forma geral, ofensivos. Irrisórios. Risíveis. Não bastassem esses adjetivos, os reajustes não acompanham a inflação dos últimos 10 anos.

Ok. Mas e você, paciente, o que tem a ver com isso? Tudo. Você é o beneficiário dos planos e convênios médico-odontológicos… e, desculpe o mau jeito, mas você dá prejuízo. “Como assim??? Mas eu pago uma FORTUNA por mês pro convênio e nem é todo mês que eu uso…!”. Pois é. Mas o profissional só recebe quando atende você. Aliás, recebe 1 mês, às vezes 2 meses depois que atendeu você… quando recebe! Isso porque alguns convênios odontológicos praticam como ninguém a “arte da glosa”. Glosar significa recusar-se a repassar os honorários do atendimento ao dentista. E motivos pra isso não faltam… e se faltarem, eles inventam um (normalmente de cunho burocrático, do tipo “faltou a assinatura do Papa”) :). O fato é: o que o dentista recebe por um paciente que atende através de convênio muitas vezes não cobre o custo do material utilizado. 😮

Só pra dar um exemplo hipotético do que acontece… vamos dizer que uma restauração simples, em atendimento particular, custe para o paciente R$ 50,00. Nesse valor estão inclusos: honorários (o “lucro” do dentista pelo serviço prestado e pelo conhecimento e treinamento que ele possui para realizá-lo), custo dos materiais (resina, luvas, sugador de saliva, guardanapos…) e custo da infraestrutura (água, luz, telefone, salário do auxiliar, esterilização dos materiais, manutenção do equipamento…). A mesma restauração, se feita através de um convênio (um péssimo convênio…), repassa para o profissional algo em torno de R$ 12,00. Ah, não se esqueça dos impostos… ainda é descontado cerca de 11% desse valor… total: R$ 10,68. Só que o dentista que faz a restauração trabalha por “porcentagem”, ou seja, apenas uma parte do que ele produz vai propriamente para o seu bolso. Essa parte varia, mas é bastante comum uma fatia de 40%. Atualizando nossos números, 40% de R$ 10,68 é… R$ 6,41. No nosso exemplo, para um procedimento que, remunerado à altura custa R$ 50,00, o que sobra para nosso pobre dentista hipotético é R$ 6,41. 😮

A conta é simples, não precisa ser matemático… não cobre.

O que essa disparidade traz de prejuízo para o paciente? Usando ainda o exemplo acima, pra fazer o custo caber no valor repassado pelo convênio, o dentista certamente usará material mais barato. “Quer dizer que o doutor vai fazer uma restauração MAL FEITA em mim???” Não! O procedimento restaurador é o mesmo, com a mesma técnica e embasamento científico aprendido na faculdade. Porém, a resina utilizada não será aquela de última geração, que tem resultados clínicos espetaculares. Felizmente, existem resinas mais baratas no mercado e com desempenho clínico satisfatório. “Satisfatório”, não “espetacular”… e é fato: quem está pagando sempre espera pelo “espetacular”. Ainda, não ache estranho se só houver horário na agenda para daqui a 1 mês…

Quero deixar claro que este post não é uma crítica aos colegas que atendem convênios. Eu não atendo, mas cada um sabe de si. Minha intenção é que o paciente compreenda o lado do profissional que, para alguns convênios (nem todos), deixou de ser parceiro e se tornou mão de obra barata. Que pena.

Outro problema GRAVÍSSIMO é a interferência direta dos planos de saúde na condução do tratamento dos pacientes. Na prática, um auditor dita “o que pode e o que não pode” ser feito… que exames e procedimentos são ou não são necessários. Uma afronta à autonomia do profissional de saúde e um desrespeito à figura do paciente.

Há quem diga que o Dia Nacional de Paralisação do Atendimento aos Usuários dos Planos de Saúde não adianta nada pois “será apenas um dia”. No dia seguinte, vida normal. Mas a ideia não é causar prejuízo financeiro “de um dia de atendimento” para os convênios e planos de saúde, com o objetivo de puní-los… o que se pretende é chamar a atenção da sociedade e das autoridades competentes para o problema. Valorizar o profissional é valorizar o paciente… o termo “paciente de convênio” soa tão pejorativo no meio odontológico… não tá certo isso! Porque, afinal de contas, o menos culpado aí é o paciente.

Enfim, é bom ter convênio odontológico? Para o dentista, por enquanto, não é. Para o paciente, é discutível… talvez se você precisar pouco dele. Para as operadoras de planos e convênios de saúde? Sem dúvida.

 

Opiniões de outros blogs sobre o assunto: Vida de Dentista | OdontoDivas | RicardoDentista | DicasOdonto | Netdentista | Descontos do Vigário

Ainda: Repúdio à OdontoPrev

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Profissão: Cirurgião-Dentista

Marcadores:

108 comentários

  1. Pagar 1700 por um canal é melhor arrancar e fazer um implante… Me indica um plano que paga os dentistas um pouco melhor…

    1. Adriano, não sei… se o critério for “preço”, tratar o canal ainda sai mais em conta. Implante + coroa deve sair pelo menos o dobro disso. Quanto aos planos, isso varia demais, porque um plano que é bom aqui no Paraná, onde estou, pode ser ruim em São Paulo, por exemplo (e o contrário também vale). Além disso, as negociações de honorários são diferentes com cada dentista. Eu acho assim: se der pra eliminar o atravessador (no caso, o convênio), pacientes e dentistas tendem a ganhar com isso.

  2. Oi Ana,

    Achei seu artigo quando buscava informações sobre a exigência de radiografia pós tratamento simplesmente para comprovar que o tratamento foi realizado.
    Bom, sou médico e entendo bem o que você diz. Infelizmente, estamos sendo submetidos a condições precárias de trabalho e remunerações aviltantes.
    Ser um profissional atualizado, ético e responsável exige investimento (Participação em congressos, cursos de atualização, pós graduações, etc). Não é preciso lembrar que os profissionais da saúde lidam com o bem mais precioso do ser humano.
    Agora, fico pensando na nossa responsabilidade por essa exploração que sofremos pelos convênios. As entidades responsáveis deveriam procurar unir a classe e colocar os valores mínimos que o profissional deve receber (valor justo!) e os profissionais, por sua vez, não deveriam aceitar valores inferiores.
    Mas sei que é uma discussão complicada e acho que a situação vai piorar.

    1. Você tem toda razão, David. Se os convênios já “pintam e bordam” na Medicina, na Odontologia é o fundo poço. Eu não gosto de criticar quem atende convênio porque é aquilo, a gente nunca sabe a história da pessoa e acaba julgando. Mas é urgente que médicos e dentistas acordem e comecem a se valorizar, e que nossos Conselhos e Sindicatos ajam em nosso favor. Quem ganha com o convênio não é o paciente, não é profissional… é só o convênio.

  3. Bom dia!
    Entendo o lado de vcs e acho muito honesto de sua parte NÃO atender por convênio tendo a consciência que não poderá fornecer um serviço de qualidade ao paciente.
    O que eu não compreendo, é que se o repasse é tão baixo, pq os profissionais desta área entram para o convênio? Realmente o tratamento pelo plano fica muito mais barato… será que tem profissional de qualidade atendendo por planos dentários?
    Vou conversar com a minha dentista para saber a respeito.
    Situação complicada pra o paciente e o dentista.
    Para ser assim seria muito melhor os dentistas não aceitarem o convênio, pq a saúde bucal é muito importante e sempre damos um jeito quando se trata deste assunto.

    1. Bom dia, Creusimar. Ótima pergunta. A ideia de alguns dentistas que atendem convênio é “ganhar na quantidade”, ou seja, atender MUITOS pacientes pra ganhar bem. Mas claro que isso pode não dar muito certo, afinal leva o profissional à exaustão e continua remunerando mal, pois o que aumenta é o trabalho, não o lucro, o lucro continua sendo baixo. Além disso, pode-se cair no erro de se atender “correndo”, de não se dar a atenção necessária ao paciente, afinal, nessa modalidade de atendimento, tempo é dinheiro (literalmente). Outra justificativa muito usada é que, atendendo-se por convênio, você acaba aumentando o número de atendimentos particulares em próteses e implantes, por exemplo, pois os convênios quase sempre não cobrem esse tipo de procedimento. Outro motivo mais nobre pra se atender convênios é o caso de uma amiga, que mora numa cidade em que os moradores são praticamente todos funcionários de grandes empresas, e essas empresas oferecem convênio odontológico aos funcionários… praticamente não há demanda de pacientes particulares. Aí é o jeito.

      Se tem profissional de qualidade atendendo pelos planos? Tem. Mas não por muito tempo, só até “cair a ficha”. Ou atendendo por convênios muito bons (que exigem qualificação do dentista, indicação pra entrar, etc.), o que, infelizmente, são exceção.

      Sim… seria muito bom se os dentistas não atendessem via convênio, porque aí eliminaríamos o atravessador. Seria melhor pra todo mundo, dentista e paciente.

  4. Morro de medo de dentista… Já saí fugida correndo da sala até a rua quando fui fazer a extração de 2 dentes do siso… Acho que vão ficar ali pra sempre machucando minha bochecha… :´( Agora eu acho que posso ter uma cárie entre os dentes, pois não passo fio dental… Que arrependimento! Agora acho que vou ser obrigada a encarar meu medo… tenho muito medo do dentista espirrar ou tocar o telefone e ele acabar se distraindo ou perdendo a concentração e acabar cortando minha bochecha num movimento rápido e despercebido… Q MEDOOO! … e agora tem mais essa… o convênio… q droga! Agora também tenho medo do dentista me atender de qualquer jeito ou usar um material que vai piorar a minha situação depois só porque eu sou paciente de convênio… :O Odeio ser pobre… na próxima vida eu quero nascer rica e passar fio dental sempre! hahaha ainda estou pensando se vou mesmo ao dentista ou se espero ficar com uma dor insuportável pra ser obrigada a ir mesmo… acho q vou tomar algum remédio pra me acalmar na hora…

    1. Esperar a dor insuportável, Cristina? Preciso explicar o quão ruim é essa ideia? 😉 Dá pra tomar um “remedinho”, sim… converse com o seu dentista pra ele prescrever um.

  5. Depois de anos de dedicação, empenho, sacrifício e investimento… Vem a prostituição, LAMENTÁVEL!!! Espero que os Cirurgiões Dentistas se unam e abracem a causa, boicotando convênios e cargos públicos que subvalorizam seus trabalhos.

  6. Interessante matéria. Sou usuário de plano odontológico há 8 anos e tenho observado essa disparidade de tratamento pago para o via plano.
    Fiz tratamento em um dente durante vários meses até que ele virou canal simplesmente porque a resina não durou e constantemente tive de voltar para restaurar. Fiquei na dúvida entre a qualidade da resina e o “profissionalismo” da dentista – e não foi por falta de cuidados. Hoje estou com ele “canalizado” e esteticamente deixando a desejar, graças ao plano – ou seria graças à dentista?
    É impressão minha ou a grande demanda de pacientes de planos obriga os dentistas a serem mais rápidos e menos cuidadosos com os pacientes? Parece que os pacientes chegam em uma esteira de produtos em série.
    O dentista não pode escolher em um grupo de materiais de qualidade duvidosa, um menos pior? Ou o plano de saúde determina só um tipo de material e o dentista “que se vire”? Na segunda opção então temos mesmo de correr atrás de serviços pagos e desistir dos planos – para o bem de nossa saúde oral e mental.

    1. Juliano, não é só impressão sua, infelizmente. O atendimento via convênio deveria ser igual ao particular, afinal o dentista é o mesmo… mas fica bem difícil. O dentista tem que ser mais rápido e usar um material correspondente ao que o convênio paga… então, certamente não vai ser o melhor de todos. Pode ter certeza que o dentista escolhe o “menos pior”. Não que o plano determine o material a ser usado, mas ele limita as opções, entende? E aí, cabe ao dentista “se virar”.

    2. Hola, eu cheguei a estudar Internet do tanto que demorou para achar um prestador autorizado da lista. No final ate comprei e forneci material de ponta para ele usar. Porem ele se fez de nao entendido e usou a tecnica dele, que nao eh ruim. Porem o dente ficou com pressao negativa devido ao unico tipo de resina usada. Vamos ver se uma hora ele se arrisca e testa a massa de baixa expansao em algum paciente particular. Ate espero que tenha tido desfecho positivo nessa minha gengivite que vou ate dar nome de tanto tempo que nao consigo tratamento especializado. De 09.2015 a 02.2016.

  7. Confesso que estou com medo de ir ao dentista através de convênio, também não tenho condições de pagar um particular, a minha saúde bucal tá bem grave, agora não sei o que fazer, estou apreensivo sobre o atendimento do profissional, através do convênio…

    1. Pedro, há bons e maus dentistas tanto no serviço público quanto no particular, assim como nos convênios. A questão é você achar um bom dentista no qual confie, o fato dele atender convênio não é um “decreto” de que ele é ruim. Até porque o problema todo é o convênio – que se “intromete” na relação entre o dentista e o paciente -, e não o dentista, em si.

  8. Aí o cara faz o tal plano de 15 miréis e com uma saúde oral lamentável, confidenciando pro profissional que há mais de dez anos não vai ao dentista porque estava sem plano odontológico e quer fazer TUDO o que o plano cobre. Faça-me o favor….
    Atendo paciente de plano odontológico, mas aos poucos estou saindo dessa cilada. Não quero mais ficar responsável por essa pessoa que não dá a mínima pro que tem na boca, e acha que a responsabilidade é só do dentista e que porque tem plano tem que fazer. De uns anos pra cá, tem ficado impossível atender usuarios de planos. O governo se mete no contrato firmado pela empresa e o cidadão, estende coberturas a procedimentos que não figuravam em contrato e o plano não pode repassar o valor, aí vai pra cima do dentista que se lasque pra botar em dia o caos instalado em dez anos porque quando esse cara terminar o tratamento vai ficar mais 10 anos sem ir ao dentista.

    1. Cara, só vou comentar sobre a parte da saúde bucal. A minha anda horrível mas morro de medo de ir ao dentista, também estou desempregado, cancelaram meu plano de saúde e com todo esse medo tu acha que eu iria no SUS, não sei aí, mas na minha cidade é foda.

  9. O Pior mesmo é essa selvageria dos vendedores de plano odontológico somado à falta de discernimento dos candidatos a usuários. TODOS usuários de plano odontológico já fizeram ao menos uma vez uma visita a um dentista que não atende plano. SABEM que o tratamento é caro, que é especializado, blablabla. Mas quando aparece alguém da C&A ou Leader, vendendo um plano R$ 15,00, afirmando que cobre todos os tipos de prótese e até implantes dentários (!), e o cabra acredita… Pra mim não tem essa de falta de dicernimento, é má fé mesmo de ambas as partes. Tanto de quem vende como de quem consome.

  10. Eu uso o convenio AMIL DENTAL, eu entendi perfeitamente o que vcs quiseram dizer, mas os pacientes não tem culpa nenhuma, a partir do momento que o dentista aceita atender convenio, tem que atender bem e com a maxima qualidade possivel (em relação ao valor pago), eu nao pago barato no plano dental, sei que o valor é repassado apenas quando o dentista faz o procedimento, mas o valor é descontado todo mes da minha conta. Entao eu quero sim ter um tratamento com um minimo de qualidade apenas, acho que o dentista tem que lutar pra aumentar essa porcentagem, muitas pessoas optam pelo plano dental por ser mais barato, eu tinha 3 dentes com carie e fazer limpeza que pelo particular isso ficou no valor de 400,00 reais, eu mesma nao tenho esse dinheiro todo. Entao a partir do momento que o dentista atende convenio, tem que atender bem, pois nao estamos ali de graça, nao temos culpa se o convenio repassa tão pouco pra voces.

    1. Sem dúvida, Dayane! Você tem toda razão… o menos culpado aí é o paciente. Só que mesmo que a briga seja entre convênios e dentistas, quem acaba “pagando o pato” é o paciente. É justo? Claro que não! Mas é o que acontece. Uma coisa que você falou me chamou a atenção, você disse que o dentista tem “que atender bem e com a maxima qualidade possivel (em relação ao valor pago)”… concordo PLENAMENTE. Mas aí é que está… como o convênio paga pouco, o material que o dentista vai usar será compatível com o que o convênio paga. Um exemplo: existem inúmeras resinas no mercado pra fazer restauração, todas elas são ok, liberadas pela vigilância sanitária, podem ser vendidas e usadas sem problema nenhum. Aí tem a resina top de linha, que custa R$ 350,00 a bisnaga… e uma “boazinha”, que custa R$ 60,00 a bisnaga. O dentista vai usar qual no paciente de convênio? Claro que a “boazinha”. Veja, não é errado usar a “boazinha”, mas o desempenho dela não é o melhor, nem se compara à resina top de linha. Por que o dentista faz isso? Não é por preconceito ou porque ele não quer usar o melhor no paciente dele, é que o que o convênio paga NÃO COBRE o valor da resina top.

      Quem olha de fora tem a impressão que o convênio é um benefício em si, mas na verdade ele é um grande atravessador, ele impede que o paciente e o dentista se relacionem diretamente, ele diz para o paciente que dentista ele deve procurar, mesmo que ele não goste desse dentista. O paciente paga, o convênio fica com a maior parte do dinheiro e o dentista acaba mal remunerado. Quando vale à pena ter convênio (ou um seguro de carro, por exemplo)? Quando a “despesa” de forma particular é muito grande. Quais os procedimentos mais caros no dentista? Implante e prótese. O que é que a maioria dos convênios odontológicos não cobre? Implante e prótese. Por aí é que se vê que o convênio de bonzinho não tem nada, pra eles é só lucro.

      Só pra completar meu raciocínio com relação à comparação entre as resinas “boazinha” e “top”: os 2 trabalhos, bem feitos, vão ficar excelentes. Só que a resina “boazinha” vai durar bem menos, pode ter certeza… vai escurecer, vai infiltrar e perder adaptação. E lá vai o paciente novamente ao dentista depois de 2 anos, por exemplo, pra trocar a restauração por outra “boazinha”. Se fosse a resina top, poderiam ser 10 anos, talvez. Vá saber…

    2. Dayane, se for procurar por culpados, nós cirurgiões-dentistas também não somos culpados por você precisar de uma limpeza e não conseguir executar sua higiene pessoal de modo a evitar cárie em três dentes. O plano finge que paga ao cirurgião-dentista, o cirurgião-dentista finge que trata e o paciente finge que é tratado. Perverso, mas é a realidade. Esse produto (plano odontológico) é podre porque a boa odontologia SEMPRE foi e SEMPRE será cara.

    3. Concordo, mas acho que os pacientes têm um pouco de culpa sim. Eles sempre acham que estão pagando muito caro pelo plano e cobram qualidade dos dentistas sem saber o que acontece entre a empresa do plano e eles. A bem da verdade, hoje em dia, plano nenhum é barato mas se não está gostando do serviço, reclama com o plano e troca de dentista. Só no ano passado eu troquei 3 vezes de dentista por conta do “profissionalismo”. O mesmo funciona para os dentistas. Se não gosta do valor que o plano repassa, descredencie do plano. Os que reclamam – e com razão – passam uma idéia de profissional anti-ético para o paciente, o que agrava a relação entre os dois pois o paciente vai reclamar com o plano e o dentista fica “marcado”. Pior que dentista anti-ético é paciente mal informado.

      1. Juliano, em tese é simples assim: “se não gosta do valor que o plano repassa, descredencie do plano”. Mas em alguma situações específicas, se o dentista não atender pelo plano, não atende ninguém. Exemplo: cidades em que há muitas indústrias e empresas com funcionários conveniados. Quase não há atendimento particular nessas áreas. Fora isso (e alguma outra situação bem específica), concordo. Eu mesma não atendo convênio, porque entendo que eles são atravessadores que interferem na minha relação com meus pacientes, não vejo vantagem nem pra mim, nem para os pacientes. Mas MUITA para o plano.

    4. Hola, vamos a realidade, salario minimo 800,00 mensais. Imposto de renda cobrado na fonte para empregados registrados a partir de 1500,00. Imposto sonegado por profissionais que ganham mais de dez mil reais, pagos por fora na folha de pagamento, especialmente se considerado dividendos de acoes. Nova Ubs de Congonhas, estrutura de primeiro mundo, usufruida pelos moradores do bairro nobre e pago pelos impostos de todos que pagam. Portanto um plano de saude eh uma realidade necessaria e como visto, neste pais, protesto contra a igualdade e melhor distribuicao de renda sao mais frequentes e apoiados pela midia do que manifestacoes a favor em publico. Quem conhece algum dentista que cuide realmente de gengive que aponte a visao de um anjo ou entidade ao mesmo tempo. So vi no posto do Sus, porem indicou o tratamento, era emergencia apenas. Os particulares trataram do dente, porem ignoraram a gengiva. Se eu nao tratar, alem de comprometer o organismo, pode levar a perda de metade da mandibula num cenario mais tipo protesto contra igualdade (pessimista).

  11. Vejam só. Quando é possível concordo com relação direta de pacientes com seu dentista. Ocorre que em certos casos como o meu que sou um pouco indisciplinado financeiramente e não consigo me programar para sobressaltos no orçamento mensal, é mais conveniente eu pagar um plano pra toda minha família. Assim pergunto aos dentistas, vcs estão em condições de falar qual ou quais os convênios são menos piores, ou que remuneram melhor e com menos problemas os profissionais?

    1. Klerysson, isso varia muito de região pra região. Convênios considerados bons – para o dentista – num estado, podem ser considerados ruins no outro. Ainda, os convênios às vezes fazem negociação de honorários direto com o dentista, então o combinado com um dentista não é o mesmo combinado com outro. É questão de verificar a “fama” dos convênios na sua cidade. Mas um convênio do qual nunca ouvi falar bem é a Rede Unna / Odontoprev… se possível, fuja. 🙂

  12. Como usuário serei breve.
    Concordo e entendo perfeitamente o que acontece, ocorre como se percebe em alguns comentários acima que não temos culpa se o dentista aceita clientes de convênio. O problema é que já no agendamento da consulta sabe-se que a realizaremos por convênio, mas mesmo assim na hora de nos atender nos tratam como se fossemos indigentes, como se estivessem fazendo um favor, na própria sala de espera já se percebe a forma de atendimento entre um particular e um conveniado, é constrangedor, parece que estamos ali pedindo esmolas, um absurdo. Como sou Adm de Empresas e aprendi que não se deve apontar um problema sem antes indicar uma solução, ai vai…
    Doutores, estudaram tanto, não sei se tem ou teve Psicologia ou Política na sua grade de estudos, mas se não ai vai a dica… Devem usar de sabedoria…
    Para os que estão começando agora e não tem clientes, o convênio apesar de não ser satisfatório é um case excelente para se criar uma carteira e cativar clientes pelo bom atendimento. O segredo é transparência x não Exploração na consulta…
    Seja transparente com seu novo cliente ainda que conveniado, se as Operadoras de Convenio te sacaneiam, obvio, faça o mesmo com eles tomando seus clientes, mas de forma idônea, sem colocar em risco a cassação de seu diploma e sim como disse anteriormente, com transparência no atendimento, sem exploração na consulta, seja justo, faça uma carreira sólida a longo prazo, saiba que o cliente bem atendido volta, atravessa a cidade, faz gratuitamente o marketing boca a boca e ainda gera novos clientes, com isso não há necessidade de canibalismo profissional. Explique de forma simples e concisa o que necessita realmente ser feito no tratamento e o real motivo de custos, com certeza o cliente ainda que o custo seja um pouco maior tenderá a realizar o procedimento de valor justo, afinal o slogan de vocês não é “um sorriso bonito se dá através de dentes perfeitos”, então nesses dias atuais todos queremos estar bem e com um belo sorriso, e o principal sem dor, não existe nada pior do que sentir dor, não é verdade… Enfim, pode ser que até tenha sido meio romântico na resposta, mas não tenho duvidas que tenho razão. Só pra constar, vou embasar minha tese numa experiencia que tive ha alguns anos atraves da compra de um bem de consumo, veja:
    Estava atras de um óculos de sol e encontrei um modelo muito legal em um quiosque de corredor de shopping a R$ 189,00, hora não seria um custo muito caro, porem também não é um custo barato, estava quase propenso a ficar com ele, porém decidi dar mais uma voltinha, um pouco mais a frente no mesmo Shopping vi uma loja que vendia o que estava procurando, ao encontrar o modelo que me agradou qual não foi minha surpresa quando o vendedor falou esse modelo custa R$ 500,00, mesmo sendo mais caro fiquei com ele, sabe por que: simples, marca, qualidade e durabilidade, e ainda estou com ele até hoje e já fazem 6 anos. Então o cliente busca coisas duráveis e de qualidade, portanto se primarem por estas duas palavrinhas quanto ao seu consumidor final que somos, não tenha duvida, 90% das críticas já teriam sido sanadas e até alguns desses comentários seriam desnecessários.

    1. Vladimir, você não foi meio romântico… você foi TOTALMENTE romântico. VOCÊ é um consumidor que procura qualidade antes do preço. A maioria das pessoas faz o contrário, e isso, em se tratando de saúde, é um tiro no pé. Enfim, me parece que você colocou a sua opinião como a opinião da maioria… e realmente não acho – não observo – que seja assim.

      Mas concordo com uma coisa que você disse: o paciente não tem culpa se o dentista atende via convênio. Se atende, o correto é atender como atende o paciente particular. Se for inviável – e geralmente é – que deixe de atender convênios.

      Se só existissem pacientes e dentistas, e os convênios não fizessem o papel de atravessadores, o mundo seria muito melhor. Pra ambos. 🙂

      1. Bom, não o achei romantico, pois passando por isso. Iniciei um tratamento dental pelo convenio, porem gostei tanto da dentista que o que o convenio não cobre com ela eu faço particular. Ela é muito honesta e eu tenho total confiança na profissional. Hoje alem da propaganda boca a boca gratuita sou paciente fiel. Penso que não podemos rotular nem os profissionais, nem os pacientes.

        1. Sem dúvida, Sandra. Tem gente competente e incompetente em toda profissão. Gente honesta e desonesta em todo lugar. E confiança na relação paciente / dentista é essencial.

  13. O Post é antigo mas ainda esta no ar e como cheguei aqui outras pessoas também podem e gostaria de deixar minha mensagem: Sou usuário de Plano Odontológico e confesso que a realidade é essa mesmo. Mas falta um pouco de sensibilidade por parte dos usuários: eu, por exemplo, fiz a maior parte do meu tratamento no particular e depois contratei o plano só para fazer a “manutenção” , ou seja, limpeza e outras coisas simples. Mas (podem dizer que isso é errado, mas acho mais errado o que as operadoras fazem), sempre digo para minha dentista botar no orçamento um monte de procedimentos que não será realizado. Isso de proposito mesmo, pois sei que as operadoras passam a perna no profissional. Mas nem todo mundo pensa assim, pois tem cliente que ainda exige horrores do profissional pensando que ele é responsável por um procedimento ou outro que não pode ser realizado ou por não atender determinado plano. Eu me informo sobre os valores repassados pelo meu Plano odontológico e pelo de Saúde aos Medicos e Dentistas que prestam serviços para mim e confesso mais uma vez, em ambas as partes sempre deixo bem claro: podem botar coisa no orçamento que se o plano não aprovar, eu acerto as contas com minha operadora. O mesmo acontece no caso do retorno de consultas: tem gente que quer passar na dermatologia (estética) a cada 15 dias usando o retorno. Para que isso? ainda exigem o retorno do medico!! e acham que o problema disso tudo é entre o Medico / Dentista e a operadora, mas esta errado, quem tem que exigir é o usuário, pois eu´sempre me informo sobre a melhor operadora com meus Dentistas e Médicos, pois seria o primeiro a sentir vergonha em entrar em um consultório sendo usuário de plano ruim. Só para completar, vale lembrar que existem boas operadoras, claro que para o usuário custa mais caro, mas vale o preço em saber que vou me consultar com um Médico/ Dentista que me atenderão sabendo que não receberão uma miséria e sem contar que na primeira consulta já vou avisando: não uso retorno e bote botar um monte de procedimentos para compensar o valor, pois sei que quem mais ganha é a operadora. E ainda mais agora que tenho recebido de minha operadora “Pesquisa de Satisfação” para opinar sobre a “qualidade” do serviço prestado por email, que na verdade é só para saber se realmente eu passei por aquelas consultas e saber se os tais procedimentos foram realizados. Mas sempre confirmo.

  14. A verdade é uma só, não existe como fazer restauração de 4 faces por 20 reais ou extrações de raiz residual por 19 reais, o paciente que se submete a isso por ¨não ter como pagar particular¨, saiba que qualidade vc não esta recebendo, essa restauração vai infiltrar e vai dar problema, essa cirurgia esta economizando em algum ponto, a saúde é do paciente ele faz o que quiser, mas achar que da pra fazer tudo por preço de 1kg de pão, é sonho mesmo, e o barato sai caro pro paciente, que só esta se prejudicando.

    Trabalhei UM DIA na od…clinic como ortodontista, NUNCA mais quero trabalhar la, vocês não sabem o absurdo que é, braquete colado em cima de resina, casos finalizando pior que começaram, enfim, uma vergonha! E o paciente achando que esta saindo na vantagem, o jeitinho brasileiro trouxa de ser, fica a dica para os pacientes, SAIBA que vc não vai receber qualidade de convenios e clínicas pops, se não tem condições de pagar um tratamento, parcele ou junte, a saúde é sua e ela não tem preço, você pode deixar de comprar aquele SAPATO ou aquele ROUPA de 300 reais e pagar 3 restaurações!

    Abs.

  15. Ola! Estou iniciando ainda nesta onda de planos. Recebi a proposta de alguns em minha cidade. E gostaria de saber dos colegas dentistas, qual o melhor deles, ou seja, qual dá menos confusão em termos de glosa, desonestidades, etc. Qual seria o menos ruim? São eles:

    Odonto Prev- Rede Unna
    Odonto System
    Amil Dental

  16. Olha, estava pesquisando no google quanto é repassado para os profissionais e fiquei chocado, por exemplo da minha folha de pagamento é desconto 105,00 e repassam só isso pra vocês? A partir de hoje vou valorizar muito vocês e sempre vou respeitar com muito carinho e amor vocês, mais ainda.

    Parabéns para quem postou…

    1. Obrigada, Erivelton. Era essa a intenção, mostrar para as pessoas quem é que fica com o dinheiro delas. Recebo muitos comentários onde a tônica é o suposto “alto preço” dos procedimentos odontológicos, mas, é claro, os comentaristas apenas comparam o que ganham com o que acham que o dentista recebe. Enfim, cada caso é um caso e minha intenção nem é polemizar. O seu caso, por exemplo… se você tem uma boa higiene bucal e costuma visitar o dentista 1 ou 2 vezes ao ano, não vai gastar NUNCA R$ 1.260,00 (12 x 105,00) por ano no dentista… então, no seu caso, não vale a pena ter convênio odontológico. Gostaria que você lesse mais um texto a respeito –> https://medodedentista.com.br/2012/03/a-rede-unna-e-a-odontologia-mais-barata-que-pipoca.html

      Abraço e mais uma vez obrigada.

      1. Você me convenceu, não pago mais os 105,00 reais no meu plano, troquei por um mais baratinho, e quando precisar fazer algo que eu possa pagar eu pagarei para valorizar o trabalho de vocês, Ana. É uma ladroagem, poxa, os donos dos planos milionários o es dentistas ganham tão pouco do repasse, é um absurdo.

        Abraços, Ana.

  17. Olá Ana, amei encontrar seu site, pois acabei de usar pela primeira vez meu convênio (restauração), mas fiquei insegura, não sabia de algumas coisas q aprendi aqui, então cheguei em casa hoje e comecei a pesquisar no Google se convênio odontológico é bom… e cheguei aqui e amei, vou cancelar meu convênio e fazer no particular, pois estou com medo, pq sou perfeccionista e quero poder escolher se uso resina ou porcelana, quero ter certeza q o melhor será feito, o ruim é que não tenho nenhuma indicação de um bom dentista e não sei como encontrar um, a dentista indicada pelo convênio não me atendeu, foi outra, isso já me alertou, depois de ver a restauração pronta disse para ela q teria q ser mais clara a resina, pois farei clareamento (sei q é particular) e ela já me contrariou dizendo q não tinha nada a ver, e que o clareamento é só nos dentes da frente, que os de trás ficam do jeito que são mesmo e que não clareiam… (posso ser leiga no assunto, mas tenho raciocinio e não sou burra rsrs)… vim embora morrendo de medo e pensando, e se eu tiver um canal a ser feito e ela tampar a cárie com resina e pronto… “não que ela vá fazer isso rsrs”, mas sei lá… como se diz “por preço de banana se tem serviço de macaco”… e realmente é muito estranho mesmo ser tão barato… é igual comprar um vinho nobre (se paga mais caro) mas se tem qualidade, já o mais baratinho… rsrsrs

    Ana, amaria ser sua paciente rsrsrs

    Obrigado pela honestidade, através dela abri meus olhos.

    Forte abraço!!!

    Indicarei este blog para todos que tem convênio kkkkk

    Ps: o convenio da “Amil” deixa o dentista mais satisfeito? Seria um convênio q beneficia ambas as partes? O meu é da “Prevident” não sei se é bom, pelo menos o corretor garantiu q era ótimo e o melhor kkkk…

    1. Danielly, no caso do clareamento, o correto é primeiro fazê-lo e só depois trocar a resina pra adequar a cor (e não fazer a restauração mais clara, até porque não se sabe quanto os dentes vão clarear). O clareamento é feito apenas nas faces da frente dos dentes anteriores e pré-molares. Então, dependendo de onde foi feita a sua restauração, o que sua dentista disse faz sentido.

      Mas olha, não há razão pra pensar que, só porque a dentista atende pelo convênio (ou porque você não gostou dela), ela é menos competente ou vai “esconder” uma cárie embaixo da resina. Cada caso é um caso, cada dente é um dente e cada profissional é um profissional. Se um dentista é bom, ele o será no convênio e no particular… e se ele não é bom, idem.

      Quanto à Amil, depende. Na minha região os colegas parecem estar satisfeitos (eu não sei se eu “seria feliz”, porque eu não atendo nenhum convênio), mas em outras regiões já ouvi muitas reclamações. E, também, a tabela de repasse de honorários por parte do convênio pode variar de um dentista pra outro. Já esse Prevident, pelo que sei, não é “grande coisa”, não. Mas o corretor sempre “garante”, né?! ~la garantia soy yo~ 😀

  18. Boa noite, Ana.
    Fiquei estarrecida com tudo que lí, sempre fui muitíssimo bem tratada pela minha dentista em Ipanema, que é chiquérrima por sinal, usando o plano da Amil, e olhe que ela refez várias das minhas obturações que estavam com problemas. Consertou trabalhos mal-feitos, enfim, muito atenciosa. O que eu nunca imaginei até essa noite é que ela não lucrou praticamente nada comigo. Sério, chocada!

    Na próxima consulta, que será em breve, vou dar uma caixa de chocolates belga pra ela e “chocolatezinhos” pra equipe, é o mínimo que eu posso fazer. Porque o máximo (pagar particular) só quando for realmente necessário e o plano não cobrir (aprendi hoje que definivamente este não é o pensamento correto porque material de segunda achei o cúmulo do absurdo!).

    Acho que o sindicato de vocês precisa comprar essa briga, estou de luto pela causa! c-h-o-c-a-d-a com o grau de exploração que os planos tentam submeter. Achei que a minha dentista tava ganhando R$50 p/ obturação e mesmo assim eu já me sentia um pouco constrangida porque ela não tem a menor cara/currículo que atende plano de saúde. Parabéns pelo blog, esclareceu bastante!

    1. Pois é, Madalena… essa tal de Odontologia não tá fácil! Mas a Amil, até onde eu sei, é um convênio bom. Sua dentista certamente não está ganhando tão bem quanto num atendimento particular, mas deve estar recebendo dignamente. Não se sinta culpada não, o menor culpado dessa história toda é o paciente e, ironicamente, o maior é próprio dentista que se submete a certas condições (embora não ache apropriado julgar, cada um sabe onde “aperta seu calo”). Concordo com você, essa briga é pra sindicato, mas dentistas e sindicatos mais brigam do que colaboram entre si. Enfim, tem bastante assunto pra se discutir e bastante coisa pra mudar. Abraço!

      (ah, e dê chocolate pro pessoal mesmo, dou o maior apoio :D)

    2. Madalena, você poderia me passar o contato da sua dentista? Estou a procura de um dentista em Ipanema e que aceite Amil. Obrigada!

  19. Ola, tenho muita vontade de cursar odontologia. Gostaria de saber quanto em media ganha um dentista por mes… E qual area de especializaçao do curso ganha mais… !

    1. Monica, não tem média não… como somos profissionais liberais, o céu (e o chão ;)) é o limite. Veja alguma dúvidas respondidas sobre esse assunto aqui: http://bit.ly/14aYkWk . Atualmente, as especialidades que estão “na moda” são ortodontia e implantodontia, mas é muito cedo pra você pensar nisso… durante a faculdade as suas aptidões vão aparecer, aí você escolhe um caminho.

  20. Verdade caro paciente, pois, onde trabalho o atendimento não tem diferença entre particular ou convênio, a diferença esta nos materiais, é lógico. Não critico nenhum paciente, só que os dentistas deveriam se valorizar e ser uma classe mais unida. Infelizmente virou um comércio, que é uma pena; quem ganha com isso tudo, com certeza são os convênios, pode acreditar. Tenho muita confiança que um dia isso irá mudar, e que no final de tudo, os pacientes e dentistas saiam ganhando.

  21. Tenho convênio OdontoPrev, pois a empresa onde trabalho tem esse convênio. Passei no meu último dentista e fui muito bem atendido, retirei os sisos, fiz profilaxia e restaurações. Creio que fui atendido como um paciente do “particular”. Se o dentista opta por atender convênio tem que prestar um serviço descente, se não nem atenda, pois o cliente não merece um mau atendimento. De quebra fiz um clareamento por R$400,00. Creio que só reclamar não vai adiantar nada, porque em qualquer empresa o lucro sempre será o maior objetivo, inclusive na área da saúde. O que não deveria. Seu blog é ótimo, parabéns !

  22. Otimo post, Ana! Parabéns! Ate que enfim um blog tocou num assunto tao desastroso para Odontologia sem ter maquiado o post. Primeiro passo numa tragedia e assumir que aconteceu, depois vem a cura. Sinto os primeiros passos na aceitacao. Faça um post sobre os pessimos salarios que clinicas pops pagam para recém-formados. Colegas trabalham 11 hs por dia sem ser registrados e tem que pagar ate as luvas para receber uma porcentagem de 10 %,m quase morre para ganhar 3 conto no fim do mes e saem mentindo que ganham 6; qdo na verdade tambem estao contribuindo para a desvalorizacao da classe. Como concorrer com um Colega cobrando honorario de 100 a hora atendida sendo que tem Colega que cobra 5 ? Negar esse fato so vai levar mais ainda a aodonto pro buraco. Parabéns !!!

    1. Valeu, Alessandro. E por deixar as coisas tão claras teve gente que me achou anti-ética… sendo assim, ética deve ser ~arte~ de não incomodar os pacientes com “problemas de dentista”… 😉

  23. Ana
    Boa Noite!!
    Acabei de ler esse seu post, muito bom, concordo plenamente com você e um pouco mais. É um absurdo esses convênios, pagam muito mal, exigem muita coisa, glosam, enfim detesto. Sou super revoltada com esses convênios, estou tentando buscar uma maneira do consultório em que eu trabalho não atender mais. Não sou dentista, trabalho no consultório odontológico, acho que sou mas revoltada do que a própria dentista do consultório kkkkk.
    Gostaria muito de umas sugestões suas, idéias de como eu posso fazer para conseguir pacientes particulares. Estou concordando em gênero, número e grau contra esses convênios, até mais.
    Obrigada.

    1. Andréa, eu acho que a melhor forma de conseguir pacientes é, ainda, fazendo um bom trabalho. Qualquer propaganda que se faça cai por terra se o atendimento da equipe e do próprio dentista for ruim (ou que não demonstre a importância que o paciente tem). E a melhor propaganda parece ser, ainda, a indicação de outros pacientes. Por isso eu acho que o negócio é investir em relacionamento com o cliente.

      1. Ana,
        Boa noite!!!
        Obrigada pela resposta, o que você falou é o que penso também. E sobre os planos é assim, não atendemos, mas o vizinho atende, enfim… Li uma publicação, que estava escrito assim: Os dentistas vivem sem os convênios, mais os convênios não vivem sem os dentistas. É verdade, só que a classe dos dentistas é muito desunida, é assim, eu não atendo mas o outro atende, principalmente os recém-formados, esses sim aceitam por qualquer valor, é uma pena, os dentistas deveriam se valorizar mais…

  24. Sou dentista também, trabalhei 6 meses em uma clínica que o carro-chefe era atendimento por convênio e pude perceber tudo isso que você citou no texto, e ainda, acrescento mais uma: quem trabalha por convênio, tem que trabalhar muito. É bem proporcional a relação: mais pacientes, mais dinheiro. E não é porque o dentista é mercenário. Coloque-se você no lugar dele, e trabalhe 8 horas por dia de segunda à sexta para ganhar 800 reais. Você, que estudou 4/5 anos, pagando um valor MUITO mais alto que esse, por mês.
    Então, MUITOS (lê-se: nem todos) os dentistas enchem a agenda de paciente pra render algum dinheiro. O material barato ATÉ pode ser satisfatório, mas a técnica não. Sério, gente. Não conheço o santo que se dedica a uma restauração de molar, gasta uma hora com anatomia e cor de resina, pra ganhar de 6 a 10 reais. Sem contar que a técnica correta exige muito mais do que 15 minutos pra ser realizada.
    Diante disto, saí da clínica, e me recusei a jogar no lixo minha mão de obra e dedicação, por causa de convênio. Mas antes de tomar essa decisão, entrei em outra clínica que SÓ atendia convênio, mas me pagava a DIÁRIA.
    Sabe o que aconteceu? Era marcado paciente de 15 em 15 minutos. (ÓBVIO que eu não consegui), mas ainda conseguia fazer restaurações SIMPLES de meia em meia hora. No fim do expediente, a “chefe” me chamou e falou que 20 e tantas restaurações por dia era muito pouco, e que eu não estava rendendo.
    Francamente, isso é um absurdo e eu saí da clínica no mesmo dia.
    E é por isso que eu concordo com o post! Os convênios nos obrigam ao trabalho “escravo”, e as consequências disso, a gente vê recorrentemente no consultório.

  25. Dra. Ana veja bem, sua visão sobre esse assunto sem dúvida é uma visão politica e ofensiva, você não visou os dois lados da moeda, está preocupada apenas com seus honorários, visando que o salário minimo está em torno de 678 reais e um tratamento de canal custa em torno de 500 reais com certeza sua única preocupação é enriquecer em cima dos leigos, acho uma total falta de ética profissional de pessoas como você dizer que um paciente te dá prejuizo, é simples e justo, concordo que esses planos de uma certa forma exploram os dentistas mesmo e acho que eu na sua area também não atenderia convênio nenhum mas as atitudes a serem tomadas de que não está satisfeito com o valor repassado pelos convênios devem ser administrativas e privadas preservando sempre o cliente e não da forma que você expôs o assunto culpando principalmente o usuário, com certeza a pessoa que paga todas as suas contas em dia, inclusive um plano de saúde dental, com um proposito de se manter em dia com suas obrigações, ao ler o seu protesto vai se sentir ofendido e vai fica com muito receio de procura um dentista através do convênio, reveja seus conceitos sobre sua profissão.

    1. Hamilton, em nenhum momento eu disse que a culpa é do usuário! Pelo contrário, eu ressalto o tempo todo que a maior vítima do problema é exatamente o paciente, que não tem nada a ver com isso! Eu contemplo os dois lados da moeda, sim, sugiro que você releia o texto, dessa vez prestando atenção. Tô aqui meio confusa, imaginando o que você entende por “ética”. Quanto às suas opiniões pessoais sobre mim, guarde-as pra si.

  26. Achei muito bom o post. Boa parte das pessoas acham caro o tratamento odontológico, mas não tem noção do custo de materiais, impostos, e outros funcionários que também precisam ser pagos. A grande verdade é que a maioria dos Brasileiros recebem mal. Vou dar um exemplo real… rs
    Preciso extrair meus terceiros molares. Os 2 inferiores estão em uma posição difícil de remover, os dentistas que consultei dizem isso. Enfim, a remoção dos 4 fica próximo de 1000 reais. É quase o que eu ganho no mês todo. Esse valor não variou muito nas clínicas que visitei. É caro? Para mim pode ser, para outras pessoas é dinheiro de um passeio. O que as pessoas precisam se conscientizar é que em geral a maioria das pessoas são mal remuneradas. Não só dentistas que atendem pelo convênio. Forte abraço by Dani.

  27. SOUBE COMO FUNCIONA O CONVÊNIO ODONTOLÓGICO QUANDO PRECISEI USAR E O PROFISSIONAL QUE ME ATENDEU DISSE SER NOVATO NA PROFISSÃO E QUE ATENDIA NA CLINICA CONVENIADA PARA GANHAR EXPERIÊNCIA, ME FALOU QUE ALGUNS TRATAMENTOS MEU PLANO NÃO COBRIA, PARA FAZE-LOS EU DEVIA ESTAR PAGANDO À PARTE, PAGUEI PARTE DO SERVIÇO SEM RECIBO OU NOTA FISCAL DE SERVIÇOS, O TRABALHO FEITO NÃO DUROU MUITO TEMPO, O QUE FEZ COM QUE TIVESSE QUE IR A UM DENTISTA PARTICULAR E REFAZER O TRATAMENTO SEM USAR O “CONVÊNIO”. APRENDI QUE ALGUNS DENTISTAS ATENDEM A CONVÊNIOS COMO FORMA DE TRAZER PACIENTES AO CONSULTÓRIO PARA “VENDER” UM TRATAMENTO MAIS CARO E ÀS VEZES NECESSÁRIO QUE O CONVÊNIO ORA NÃO COBRE OU REMUNERA MAL O PROFISSIONAL.

  28. É um pecado ver isso, profissionais recebendo uma merreca por um atendimento que envolve questões de saúde. Não consigo compreender isso, me parece um pouco falta de união ou de repente a classe mesmo se juntar e pegar pesado com os tais convênio, exigir do CRO uma postura de defesa para a classe, como um estudo dos valores pagos pelo convênio, uma tabela mínima… sei lá, sou leiga no assunto, mas mãe de um dentista recém-formado (em faculdade particular) e só eu sei o custo do investimento e meu sacrifício para formá-lo. No mais, parabéns pelo blog! Abraços.

    1. Pois é Gabi, você é leiga mas entendeu muito bem o que muito dentista não entende. Tem colega que parece que esquece do tempo e do $$$ investido na sua formação. Abração!

  29. Fiquei triste em saber que profissionais com tão importancia que tem, os convenios pagam pouco pelo tratamento, mas acho que o que falta é os dentistas divulgarem os valores para a sociedade e ai a sociedade ver que seria melhor pagar particular do que ter convênio, eu pago convênio 20,00 e usei ele 1 vez em 2 anos agora, e fui em uma excelente dentista, se fosse particular eu pagaria quanto? Acho que se isto fosse mostrado mais facilmente, iria ter muito atendimento particular com certeza, mas claro, a briga tem que ser dentista e convenio, o paciente tem que estar fora disso e o dentista quando atender deve fazer o melhor de si, porque aceitou, isto se chama ética.

    1. Concordo, Marcelo. O complicado aí é a questão de divulgação de valores, coisa que o Código de Ética Odontológica condena. Mas, se colocarmos os valores na balança (e considerando o tipo de tratamento, é claro), os convênios odontológicos costumam não valer a pena.

  30. Olá Ana, no momento a única coisa que posso usar é o convênio, entendo perfeitamente vcs, a dentista que estou indo é ótima, não tenho o que falar dela, mas a indico para amigas como particular.
    Estou com um canal e gostaria muito de saber qual a diferença de fazer um pago e pelo convênio, existe algum risco?
    Estou pensando seriamente em fazer no particular, até por ser mais ágil do que pelo convênio, mas gostaria de entender um pouco mais sobre isso.
    Obrigada desde já.
    Tatiane

    1. Tatiane, em princípio não muda nada: o profissional que atende pelo convênio e que atende particular são igualmente competentes (aliás, geralmente eles são “os mesmos”, né?!). Seria injusto eu dizer pra você que um tratamento via convênio é pior… eu não posso afirmar uma coisa dessas. O ATENDIMENTO é que costuma ser “pior”, porque o paciente de convênio não é lucrativo. Enfim, se você confia na dentista que atende você, não há problema algum dela atender você via convênio. Mas é como você disse: a “agilidade” pode ser menor, diretamente proporcional à pressa do convênio em pagar o dentista pelo serviço. 🙂

  31. Ana, vc é uma pessoa inteligente, escreve bem, bonita , mas esse seu artigo é mais parcial do que deveria ser. Eu te entendo, por ser dentista,defende sua classe, etc. Porém, “esqueceu” de dizer q NENHUM DENTISTA É OBRIGADO A TRABALHAR POR CONVÊNIO. Simplesmente aceita quem quer. Se o dentista aceita, a não ser q seja doente da cabeça, deve ter os motivos q ele julga ser vantajosos.

    Longe de mim querer defender essas empresas, até pq eu tbm já fui vítima delas, mas o problema não é esse, percebe? O problema é outro, o fato de haver muitos profissionais incompetentes no mercado ou talvez um excesso de dentistas formados ( q nem eram para ser dentistas). É só raciocinar. Não subestime a capacidade intelectual de seus leitores. Q tipo de profissional aceita trabalhar por preço vil ?Supondo q suas informações sejam verdadeiras, existem basicamente apenas duas possibilidades como já relatei:

    1- pessoa “louca”;
    2- profissional incompetente q só através de convênios consegue cliente.

    Pela lógica do mercado, sempre haverá maus profissionais e estes sempre se valerão de brechas para obter lucros, poder trabalhar. Nenhuma empresa coloca uma arma na cabeça dos dentistas obrigando-os a atender convênio…vc deveria mesmo criticar seus pares q se sujeitam a isso…mas receio q vc seja demais “diplomática” para fazer isso, né mesmo?!

    Uma empresa só existe para geral LUCRO. Elas só pagam esses valores q vc citou pq tem quem aceite. É antiético de AMBOS os lados, ou talvez os valores não sejam esses q vc comentou. Enfim, essa história de convênio é a mesma ladainha dos médicos. PAGAM para fazer parte de convênios q abarrotam seus consultórios de pacientes, ganham 20, 30 mil na quantidade de pacientes q atendem de maneira absurda (5 minutos) pois escolheram medicina por status e dinheiro, jamais por vocação.

    Finalizando, o problema NÃO SÃO OS CONVÊNIOS, pois está é apenas uma parte, ou melhor dizendo uma consequência do problema real q é a falta de competência de boa parte dos dentistas. Se convênio é esse mostro q vcs pintam, pq o CRO ou coisa q o valha simplesmente não proíbe?

    1. Nico, a proposta desse texto não é criticar quem atende ou não atende convênio, e sim mostrar para o paciente o lado do dentista… não tem como se fazer isso sem ser parcial. Os valores que eu usei como exemplo são reais sim. Com relação à máxima “só atende quem quer” eu concordo PLENAMENTE com você… tanto que não atendo. Mas tem-se que considerar alguns casos específicos também, como os dentistas que trabalham em cidades onde a população é praticamente inteira composta por operários de grandes montadoras (por exemplo) e TODOS eles têm convênio odontológico. Nesse caso, ou o dentista atende convênio, ou se muda. E nem sempre mudar é uma opção.

      Os convênios são empresas e, como empresas, visam lucro… “explorar” que se deixa explorar é o neócio deles. O CRO, Nico, infelizmente não serve para absolutamente nada… é um órgão que serve pra punir dentistas. E os sindicatos, na nossa categoria, só querem saber de arrecadar. Ou seja: ou a gente se une, ou cabô. A recentemente criada Rede Unna, por incrível que pareça (que juntou sob a mesma administração uma série de convênios odontológicos, nivelando os valores por baixo), deu uma mexida com o brio dos dentistas… tem bastante gente descontente fazendo barulho por aí. Veja esse texto também: https://medodedentista.com.br/2012/03/a-rede-unna-e-a-odontologia-mais-barata-que-pipoca.html

  32. Oi Dra. Ana!

    Eu que agradeço o espaço para poder compartilhar um pouco da minha história e ainda ser tão bem recebida por você.
    Sei que escrevi muito, e peço desculpas por isso rsrsrs, mas ao mesmo tempo que me senti bem (foi como um desabafo) escrevendo para vocês aqui do blog, gostaria de que minha história pudesse servir de parâmetro para outras pessoas que têm dúvidas sobre os convênios.
    De qualquer forma, minha história ainda está longe de acabar, mas hoje comecei a primeira parte do tratamento de canal e ainda estou sob efeito da anestesia (espero não sentir dor quando passar rsrs), e sei que até eu resolver tudo com o convênio, ainda vai levar um tempo. Mas conforme as coisas forem acontecendo, ou até mesmo quando tudo se resolver, eu venho terminar de escrever esse meu relato. Porém, realmente o convênio ainda vai me dar trabalho para me ressarcir de tudo, mas não vai conseguir acalmar toda essa ansiedade que estou passando por esses dias…
    Ah! Conversei com a dentista sobre mexer no dente e farei isso sim, pois só terei paz de espírito de novo, quando eu colocar um material bom nele, entende?
    Um grande abraço e saiba que virei sua fã!

  33. Olá Dra.!
    Conheci seu blog por meio de uma amiga que esta passando uns dias aqui em casa, e pediu para que eu lesse este texto. Já posso dizer que fiquei hipnotizada com suas palavras e me sinto esclarecida, pois tenho um relato, como paciente, a fazer sobre seus comentários.
    Possuo um convênio, pois este é um “benefício” da empresa onde meu pai trabalha. Até aí tudo bem. Apesar de meu pai e minha mãe também terem direito ao uso, apenas eu e a minha irmã fomos tratadas nele e tal. No caso da minha irmã, ela nunca teve sequer uma cárie, então só faz limpezas a cada seis meses. Já no meu caso…
    Eu sempre tive uma dentista particular, mas desde que me mudei perdi referência sobre bons odontologistas, e marquei uma consulta pelo convênio. Em resumo: esta dentista me convenceu a trocar algumas restaurações de amálgama pelas de resina, dizendo que era esteticamente melhor e etc. Eu aceitei, pois eu já havia pensado nesta possibilidade há um tempo.
    Acabado o tratamento, senti uma enorme sensibilidade, cuja esta a dentista dizia ser normal e pediu que eu usasse um creme dental para dentes sensíveis. Eu o fiz, mas nada da sensibilidade passar. Foi então que fui a outra dentista e esta pediu uma panorâmica e não havia nada, segundo ela. E fiquei mais tranquila, e a sensibilidade foi diminuindo (mas não passou). Nesse meio tempo, eu precisava extrair os sisos, mas sempre tive medo e acabei deixando para última hora, ou seja, para quando os benditos começaram a apertar o restante dos meus dentes ocasionando muita dor. Foi então que comecei a desconfiar do meu super convênio.
    Tentei emergência para a realização das extrações (considerando que eu já estava munida da panorâmica e laudo) e nada. Por sorte, eu estava na casa dos meus pais e pude ir ao dentista deles, e desembolsei cerca de 360 reais para a extração de dois sisos. O pós-cirúrgico foi excelente, mas durante a cirurgia a dra. notou infiltrações nos dentes em que a outra havia “tratado”, e ainda disse que o material usado era de péssima qualidade e provou o que dizia. Ela mostrou um dos dentes com uma restauração, cuja esta eu fiz entre 2001 e 2002, e que ainda está intacta, da cor do dente e lisa, enquanto que as outras que foram feitas pelo convênio no ano passado estão amarelas, rasas e algumas porosas. Porém, como eu precisava voltar para casa, não pude seguir o tratamento com a dentista que notou as infiltrações.
    Por sorte, encontrei uma excelente profissional que ainda faz alguns procedimentos (digo alguns, pois outros são impraticáveis, segundo ela) pelo convênio, e que foi indicada por uma amiga. Expliquei o meu caso a ela, mas ela me alertou ao fato dos dentes mexidos pela outra dentista, estarem auditados por um prazo de dois anos (ou seja, ou eu voltava na outra ou fazia particular ou então escrevia uma carta ao convênio de próprio punho), mesmo assim ela tentou uma autorização e não conseguiu. Foi então que tive muita raiva do convênio, e pedi para ela fazer o que tivesse de ser feito (no particular), bem como toda a documentação, para depois eu ver o que faria.
    Quando ela começou a mexer em um dos dentes (dente este que eu considerava ter ficado o mais sensível), ela se surpreendeu, pois havia uma cárie enorme, havendo a necessidade de tratamento endodontico. Essa dentista ficou tão aborrecida com o que viu, que resolveu abrir uma ocorrência relatando o meu caso, a fim de tratar os outros dentes pelo convênio. Porém, para a minha surpresa, o super-pessoal-ligeiro do tal plano só emitirá uma resposta sobre o meu caso num prazo de sessenta dias.
    Claro, que eu não vou aguardar sessenta dias, e meu pai já está vendo junto ao RH da empresa onde ele trabalha e que contratou o convênio para seus funcionários, a possibilidade ao menos do descredenciamento da dentista que fez todas essas coisas nos meus dentes, já que a outra dentista já fez uma ocorrência, bem como a dentista que extraiu os sisos também deu o seu parecer sobre os dentes com visíveis infiltrações.
    Já fui encaminhada a um endodontista, e lá farei as radiografias peripicais a fim de saber se tenho mais algum canal para fazer.
    Meu Deus, eu nunca fiz nenhum tratamento tão invasivo como este que terei de fazer, e ainda existe a possibilidade (mínima, segundo a dentista) de haver maiores lesões abaixo dessas outras infiltrações.
    Após a reunião de toda a documentação não havendo o reembolso do convênio, e quem sabe o descredenciamento desta dentista, terei de ir à justiça.
    Ah, é válido mencionar que até agora o dente que a poupa esta comprometida foi mexida em duas faces: a M e a O, e nesse um ano parece que nunca cuidei deste dente.
    Bom, queria deixar compartilhar com vocês a minha história, que ainda esta longe de acabar, e deixar que vocês reflitam se vale ou não vale à pena ter um convênio dental.
    Dra Ana, parabéns, pelo seu trabalho, tanto como dentista como quanto educadora. Você tem o dom!
    Se for possível, gostaria de lhe pedir uma opinião. Graças a Deus, pelo menos um destes dentes os dentistas não notaram nenhuma infiltração, porém, como estou muito aflita e magoada, tenho a intenção de trocar a restauração deste também, mesmo que o raio-x peripical não acuse nada. Afinal, já fui convencida de que o material que aqui está é péssimo. Diante deste exposto, você acha que eu devo mexer nele ou não, mesmo se não houver nada. Estou um pouco ansiosa, pois ainda não conversei sobre isso com as dentistas (endo e clínica geral), só semana que vem.
    Obrigada e continue com o seu trabalho sempre!!!
    Abraços

    1. Gi, obrigada pelo testemunho e pelo carinho. 🙂

      Gostei quando você usou aspas na palavra “benefício”, ao referir-se aos convênios. Realmente, é preciso refletir sobre o real benefício de ter convênio odontológico. E a ideia deste post é exatamente essa.

      Eu acho que se você não se sente segura com relação ao trabalho executado nesse dente, talvez seja o caso de mexer sim. Mas vale a opinião da(s) sua(s) dentista(s) sobre o caso também. Fico aqui torcendo pra dar tudo certo. Abraço!

  34. Trabalho ha doze anos , tenho 2 clinicas proprias estou montando a terceira, todas foram montadas utilizando proger, emprestimos pessoais (amigos, porque minha familia é quebrada), atendo em todas as clinicas e nunca atendi um plano de saude. Sou ortodontista e acho lamentavel o profissional que participa de planos de saude que na ortodontia não cobrem nada para o paciente, mas viram indicação para o ortodontista, tudo se torna uma enganação da qual ele passa a fazer parte, pra mim dentista que atende plano de saude merece o que ganha, porque não sabe conquistar honestamente um paciente, não tem desculpa dentista que atende plano é submisso, incompetente e merece o que ganha.

  35. Nossa! Então é isso! Aquelas malditas amálgamas….kkkk…vou cancelar já!
    Muito esclarecedor esse texto. Os profissionais têm que se valorizar mesmo, afinal passam anos na faculdade.

    1. Eliana, não pense mal do amálgama não! Essas restaurações realmente não são estéticas, mas para dentes posteriores têm um desempenho clínico excelente! E sim: são baratas. Então, em saúde pública elas continuam sendo muito usadas.

      Obrigada pela visita! Abraço!

    2. Eliana, os amalgamas são excelentes materiais com durabilidade e funcionabilidade, são mais baratos que uma resina, pois além da propria resina ter que ser excelente, tem uma serie de fatores agregados ao seu processo que inviabilizam ser bem realizada pelos valores pagos pelo convenio. No meu caso, atendo alguns convenios que selecionei, porém restaurações posteriores so realizo amalgama, e resina ofereço minha tabela, assim posso dormir tranquilo com a consciencia de que meu paciente estara com uma excelente restauração em seu dente.

  36. Convênio?? Estou FORA! Simples assim, não adianta ficar perdendo tempo, fazendo passeata, reclamando ao CRO ao Bispo.. .etc. Não recomendo e acho até mesmo anti-ético qualquer dentista difundir convênios… acontece que prejudica a si próprio e aos colegas. Quando você adere a isso está na verdade arranjando uma encrenca maior do que o possível retorno esperado. A menos que você seja masoquista e queira entrar nesse jogo onde o dentista que trabalha SEMPRE perde, não aceite isso. Se quiser trabalhar de graça vá fazer caridade, mas antes procure estudar, cortar custos, reavaliar seu negócio e seus gastos pessoais, etc. Não se isole, fale com os colegas e siga em frente e em paz, se você tem medo de passar fome é porque tem pouca fé e pouco conhecimento. E se entregar a convenios não vai resolver isso! Pensem nisso… e tenham um ótimo dia.

  37. Eu odeio convenio com todas as minhas forças, e já interpelei o CRO de onde trabalho sobre o que eles fazem. No dia que precisar aceitar convenio, eu mudo de profissão.

    Mas o melhor mesmo é a cara de estarrecimento quando explico aos pacientes o porquê de nunca ter aceitado convenios… “voce acha que recebendo R$ 12,00 por algo que cobro R$ 100,00, o material, o cuidado e tudo mais envolvido seria o mesmo? então, para trabalhar da forma que eu trabalho, com os materiais que eu quero, e com os cuidados que eu acho devidos, é simplesmente impossível aceitar o que os convênios pagam”. “- e como outros profissionais conseguem?” “- taí uma coisa que adoraria saber… (não daria pra comentar mais sem ferir a ética, tão aclamada pelos dinossauros do CRO/CFO que só pra isso que servem, controlar panfletos e publicidade. Já tomar ações efetivas de controle de consultorios, empresas fajutas (alou Imbra?) e etc, nada… mas isso é outro papo)”

    Abcs,
    Rodrigo

  38. Tokus, vc é um sucesso!!!!!!! 🙂

    Eu atendo convênio, mas felizmente pra mim não é desse jeito que vc falou!!!! E infelizmente por enquanto é o que movimenta meu consultório!!!

    BJOOO

    1. Rafa! Obrigada… 😛

      Fico muito feliz em ouvir isso… é como eu disse: este post não é uma crítica a quem atende convênio. Tem convênios bons por aí, mas, infelizmente, são poucos. A maioria deles não nos considera parceiros, mas operários. E mal remunerados.

      Beijão… e obrigada pela visita! 🙂

  39. Oi Ana!!! Que saudades de você… eu passo aqui no seu blog de vez em quando sabia? Mas nunca comentei… Não tem nem o que discutir sobre o que você escreveu, concordo plenamente. Eu trabalhei estes anos em ESF e quando terminei a especialização resolvi que queria ter meu consultório… Estou começando agora, sei que será dificil mas não pretendo trabalhar com convênios de jeito nenhum…
    E o Mateus como vai? Deve estar enorme… e eu nem conheço ainda!
    Beijo grande, admiro muito você.

    1. Oi Lica! Que bom falar com você… e saber que você anda me espionando… 😀

      Como coloquei, não critico o colega que trabalha com convênio… mas, se der pra evitar, melhor. A não ser que a postura dos convênios com relação aos profissionais de odontologia mude… o que não parece estar acontecendo…

      O Mateus tá enorme… e safado. 😀

      Beijo! A admiração é mútua. 🙂

  40. Eu não atendo convênio, mas entendo quem o faz.
    Acho que é desleal com o paciente particular, ele acaba financiando o tratamento do conveniado pq o material é o mesmo e o convênio paga MUITO menos. Rx iniciais e finais me irritam. Principalmente numa época que se sabe a importância da minima exposição aos rx.
    Por esse prisma o médico só deveria receber qdo o rx mostrasse a pneumonia curada.
    É o fim. Enquanto puder, fico de fora e apoio toda e qquer luta.

  41. Sou paciente e, coincidentemente, acabei de voltar de uma limpeza de rotina na minha dentista quando vi o link para esse texto. Concordo com a profissional que escreveu. Não consigo me sentir confortável sendo atendido por um profissional mal remunerado. O desconforto não é por mim (não é medo de ser mal atendido), mas por ele! Não acho justo. Meus cuidados odontológicos são sempre particulares.

    Tenho convênio médico e sei que a remuneração dos médicos não é satisfatória. Imaginava que para dentistas fosse pior, mas não imaginava o quanto.

    Só para efeito de comparação: sou professor e recebo em torno de 40 reais por hora/aula (equivalente a 45 minutos de aula). A limpeza de rotina que acabei de fazer custou 75 reais e durou aproximadamente o mesmo tempo. Ou seja, para fazer um serviço que envolve equipamentos, gasto com o consultório, salário da assistente, minha dentista recebeu pouco mais do que eu recebo para fazer um trabalho que não me gera custo algum – na prática, gasto apenas a “mão de obra” (ou garganta de obra, já que ganho a vida falando!).

    A causa de vocês é justa. E creio que os pacientes que entendam o valor daquela pessoa que está com a mão dentro da sua boca devem apoiar também.
    Sucesso!

    1. Pedro, fico extremamente feliz quando um paciente compreende que nossa luta é por valorização do profissional, entenda-se valor = respeito e não valor = dinheiro. Meu pai é professor aposentado e, felizmente, tivemos uma vida confortável porque ele se tornou empresário do ramo de ensino. Se dependesse de vivermos apenas com os sálarios dele (digo salários porque era mais de um emprego), talvez a coisa ficasse apertada. E não há profissão NO MUNDO que mereça mais valorização do que a daquele que ensina. É uma inversão de valores absurda…

      Obrigada pela visita, pelo comentário e pelo apoio. 🙂

    2. Um “professor” desmerecendo a própria profissão…gente do céu…é por isso q tem quem aceite trabalhar por “esmola”…são ineptos.

  42. Eu não trabalho com plano há dois anos e meio e digo uma coisa: não compensa, pois além das rx finais “extraviarem no correio” os pacientes muitas vezes nos tratam como empregados deles. Um deles me disse uma vez: “Vamu logo com esse tratamento, pois quando fiz o contrato do meu plano médico ganhei 6 meses do odontológico”. Isto para mim foi a gota que faltava…

    1. Nossa Julio, viramos brinde! 😀

      É bem isso… sempre há uma forma de não nos pagar (ou de atrasar ao máximo o pagamento) e os pacientes nos veem como funcionários do convênio. Eles não entendem que somos profissionais liberais… e, se for pra escutar desaforo, quero minhas férias e décimo terceiro! 😛

      Obrigada pela visita e pelo comentário!

  43. Só vi dentistas comentando aqui!!!!!!

    Tá, aí falta um paciente!!!!!

    Venho acompanhando seu blog na surdina, como a de outros dentistas aqui. ADORO a forma como vc escreve e defende seu ponto de vista. Concordo com tudo isso.

    Acho sim extremamente degradante o quanto os convênios cobram da gnt como usuários e o quanto repassam aos profissionais parceiros. É horrível. Mas infelizmente num país como o nosso, num mundo como o nosso, não temos muitas saídas.

    Quando morava na casa dos meus pais tinha TODAS as condições de ir a dentistas particulares. Fazer tudo com o melhor profissional que eu pudesse encontrar. Saí de casa e agora vivo on my own. E com 4 extrações de siso? Como é que faço pra pagar?! Não, eu não posso usar cartão e nem trabalho com cheque. E à vista não tem como. Sou autônoma, ou seja, trabalho como minha própria patroa. Daí embora eu não goste, não ache legal e nem possa escolher exatamente o profissional que mais me agrada e que mais confio… é o que tem pra hoje.

    Infelizmente minha realidade é essa, e creio q a de muitos que pensam como eu também.

    Apoio a causa de vcs.
    =D

    1. Aime, obrigada! Fico muito feliz em ter pacientes comentando aqui no blog… é com vocês mesmo que eu quero falar!

      Entendo você… os pacientes PRECISAM dos convênios. Não é muito por escolha… é necessidade. Eu ADORARIA atender convênios se eles me oferecessem honorários à altura… afinal de contas, atender convênios atrai pacientes, sem dúvida. Mas, infelizmente, ultimamente não tá dando…

      Obrigada pelo apoio, pelo comentário e pelo carinho. 🙂

    1. É verdade Nina… minha torcida é que esse post chegue aos pacientes mesmo. Obrigada pela visita, Diva… 😀

  44. Pode imprimir esse post e colocar no mural da sala de espera??!! hehehe
    Os professores da faculdade e alguns colegas de trabalho fizeram com que eu tivesse aversão a essa palavra: “Convênio”. Nunca atendi por planos, até porque estou iniciando minha vida profissional, mas sinceramente, não é algo que pretendo fazer. Devido a todas as histórias que ouço e aos valores que sei que pagam, posso dizer que os convênios odontológicos já me perderam. E como eu sou um profissional que me valorizo e sei do meu potencial, posso dizer: RUIM PRA ELES! 😀

  45. Ótimo post roboss!! Vontade de imprimir e colocar na sala de espera.
    Eu atendo convênios, mas alguns procedimentos (como o da restauração de valor absurdo) eu não faço mais. Não tem como. Não diferencio material, e pra garantir a qualidade sempre alguns procedimentos não são feitos pelos convênios, apenas particular.
    Hoje aderi ao manifesto da classe médica. Sou apenas uma dentista, mas se todos pensassem assim poderia fazer diferença. Beijo! 😉

    1. Imprima mesmo! 😀

      A questão do material é interessante. Coloquei no texto que dá pra usar a resina “satisfatória” mas… e eu durmo de noite? É bem isso… prefiro não atender pra garantir ao paciente que estou oferecendo o melhor que posso oferecer.

      Bah! Beijo! 😀

  46. Trabalhei numa clínica que atendia um covênio que pagava R$10,00 por uma panorâmica com laudo.
    Completamente absurdo!
    Ótimo post Ana!
    bjs

  47. Ótimo texto, só tenho 2 anos de formado e não atendo convênios, quando a galera lê isso vem falando que sou rico, que tenho parente dentista, que sou privilegiado e tal.
    Nem sou rico, não tem um dentista na familia e nunca tive privilégios! No ano em que me formei, trabalhei numa clinica em que 90% dos meus pacientes eram de convênio, tinha que atender mais de 20 pacientes por dia, todos os dias pra, quem sabe, conseguir ganhar 700 reais em um mês…ganhei mão e experiência….creio que um ano pra isso está ótimo !
    Hoje só atendo particulares, atendo menos e ganho muito mais !
    Minha opinião.

    1. Thiago, também sou a única dentista da família. Ainda não tô vendo jeito de ficar rica não… 😛
      No meu primeiro emprego, atendia praticamente só convênios. O primeiro “salário” da minha vida, me lembro bem do valor: R$ 485,00. Estudei em univesidade pública (UFPR), mas uma mensalidade de faculdade particular beira os R$ 2.000,00! Tem alguma coisa errada aí, não?!

      Hoje não atendo convênios, embora diariamente receba ligações no consultório perguntando se atendo. Perdendo pacientes? Pode ser… mas acho que tô melhor assim. Recebo o justo pelo trabalho que presto.

      Abraço e obrigada pela presença! 😀

  48. Fiz Odontologia pra ser meu próprio patrão e não para ser empregado e ter que me submeter aos mandos e desmandos desse ou daquele convênio. Mas isso é uma opinião minha. Cada um sabe onde aperta o calo e principalmente o que faz e o que quer pra sua vida.

    Ótimo post Ana … quando eu crescer quero ser igual a você !!! 😀

    1. Ahahaha! Beleza… desde que ambos não cresçamos para os lados, tá ótimo! 😀

      Mas é isso… não quis criticar nenhum colega, somos todos adultos e sabemos com o que estamos lidando. A dona da primeira clínica em que trabalhei sempre dizia que havia “se feito” atendendo convênios… e, pelo que eu me lembre, ela atendia TODOS OS CONVÊNIOS DO MUNDO.

      Espero, apenas, que os pacientes prestem atenção neste post e, de alguma forma, solidarizem-se com a nossa causa.

      Abraço! 🙂

    2. Bom dia Ana, concordo plenamente com você, nós da Acresp (somos uma Associação), estamos procurando justamente o contrário, iremos financiar o tratamento dos associados e parcelar para eles em até 8 vezes e pagaremos os dentistas em uma semana, caso tenha alguma rede conhecida que fizesse um convênio conosco, peça para nos procurar, grato.

      Odair

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista