Antibióticos: O Perigo da Auto-Medicação


Tomar remédio por conta própria. Quem já não fez isso? Ok, ok… ninguém vai marcar consulta médica (e esperar 1 mês) pra o doutor prescrever um analgésico comum pra uma dor de cabeça igualmente comum. Mas, e quando não se trata de uma dor corriqueira? Às vezes a dor é um alerta do corpo pra algum perigo… fique atento! Nesse caso, tomar remédio sem saber o motivo da dor apenas “mascara” os sintomas e o problema real.

Isso não é bala não! 🙂

Tem gente que acha que antibiótico é bala de caramelo. Doeu a cabeça? Antibiótico. Doeu o estômago? Antibiótico. Doeu o dente? Antibiótico. E o pior: QUALQUER antibiótico…. Auto-medicação é ruim em qualquer categoria medicamentosa, mas quando se trata de antibióticos… ai ai ai. Já atendi pacientes com dor de dente que faziam uso crônico desses medicamentos, meses a fio! E a dor ia e voltava. Nesses casos, o antibiótico vira bala de caramelo mesmo: não ajuda em nada (e ainda prejudica muito).

Antibióticos são medicamentos usados para combater infecções por bactérias, fungos e “otras cositas más”. INFECÇÕES, e não inflamações. Em tempo: “infecção” é o ataque das bactérias. “Inflamação” é a defesa (reação) do nosso organismo (a região fica quente, avermelhada, dolorida e inchada). Às vezes há inflamação, mas não há infecção (nem necessidade de antibiótico).

Cada tipo de antibiótico age sobre espécies definidas de microrganismos. Alguns matam as bactérias, outros as “paralisam”. Mas todos eles “selecionam” bactérias, ou seja, agem sobre algumas e não agem sobre outras. Resumindo: quando você toma antibióticos indiscriminadamente, você elimina alguns microrganismos e deixa outros mais fortes, pois sobra mais espaço para esses últimos. E aí, com o tempo, você desenvolverá resistência, ou seja, aquele antibiótico não terá mais efeito sobre você. Aí já era.

Trazendo tudo isso pra Odontologia, se você estiver com dor de dente não se auto-medique. Agende uma consulta com seu cirurgião-dentista para investigar o motivo dessa dor (tá, um analgésico de emergência tudo bem…). Se for uma infecção, ele prescreverá o antibiótico adequado e eficaz para o caso, a ser tomado da forma correta e durante o tempo exato. Se não houver infecção, nada de antibiótico. Além disso, se for necessário algum procedimento como exodontia (extração), restauração, endodontia (tratamento de canal) pra que a dor seja solucionada (e não “escondida” sob efeito de remédios), será feito.

E chega de dor. Mesmo. 🙂

Veja também: DicasOdonto – Medicamento é Coisa Séria!

Compartilhe:

Categoria: Farmacologia

Marcadores:

10 comentários

  1. Dra, pesquisei alguns topicos seus sobre extração, e não vi em nenhuma das paginas algo sobre a profilaxia com antibioticos em uma extração. Pesquisei bastante na net, e vi que o tema é polemico, alguns dizem ser necessario, outros dispensam (dizem não haver beneficios claros, exceto para pessoas com risco cardiaco). E voce, qual a sua posição? A Dra. me receitou amoxilina para tomar por 2 dias antes de uma extração, 8 / 8 hs. Mas estou em duvida.

    1. A profilaxia antibiótica não é pra todo paciente, só pra aqueles em que é constatado um motivo durante o exame clínico e a anamnese (perguntas sobre a saúde geral do paciente). Se sua dentista prescreveu antibiótico no seu caso, é porque deve haver um motivo. Tome a medicação como prescrita.

      1. Mas pelo que sei eu nao tenho nenhum tipo de vulnerabilidade, saude geral normal… idade 35 anos… e o siso esta bem cariado, apenas isso.

          1. Aparentemente não… creio que deve ser uma estrategia dela… mas posso até perguntar por curiosidade, depois posto a resposta dela… vou tomar por 7 dias.

      2. Doutora, fiz uma cirurgia na gengiva e li que esse procedimento pode causar endocardite. A dentista me receitou amoxilina e ibuprofeno. Amoxilina por 3 dias de 8/8 horas. Ontem atrasei 1 hora a segunda dose. Hoje me esqueci de tomar e atrasou 8 horas. As bactérias ficaram resistentes ? Eu corro perigo ? Estou com muito medo.

  2. >O post é muito interessante e serve como um alerta para as pessoas que realizam a auto-medicação. Como muito médicos dizem dor é sinal de que algo está errado e somente um profissional pode descobrir o que realmente está acontecendo e como isso pode ser tratado.

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista