Novo aplicador promete anestesia sem dor

Muitas pessoas não vão ao dentista por medo da anestesia, que é o que, ironicamente, garante um tratamento sem dor. Ok, pode ser um pouco incômodo “levar” uma anestesia sim, mas é fato: a anestesia é mais um benefício do que um problema.

Dito isso, é preciso ressaltar: nem toda decisão (ir ou não ao dentista, por exemplo) é tomada com base na razão… somos humanos, transitando o tempo todo entre a razão e o sentimento… e medo é isso, né? Um pouco de razão e um montão de sentimento. Então, é sempre legal quando aparece alguma solução capaz de, em muitos casos, diminuir o medo.

E se a anestesia não causasse dor? Uma nova invenção, que acaba de se tornar a primeira carta patente de titularidade exclusiva da Universidade Federal do Ceará, pode trazer muita gente de volta à cadeira do dentista.

O invento é de autoria do professor do Curso de Odontologia José Jeová Siebra Moreira Neto, em parceria com a também professora do curso Juliana Oliveira Gondim e com os pesquisadores Augusto Darwin Moreira de Araújo Lima e Alexssandra Camarço Prado Lima, que, na época do depósito do pedido da patente, cursavam, respectivamente, doutorado e mestrado no Programa de Pós-Graduação em Odontologia da UFC.

O equipamento surge com a proposta de substituir a seringa por um aplicador de aparência bem mais amigável, uma vez que o paciente nem sequer visualiza a agulha, que fica embutida no aparelho. “Existem equipamentos similares, mas o nosso deu alguns passos à frente. É uma anestesia que realmente não causa dor. Os outros só contemplam a velocidade do fluxo de injeção do anestésico. O nosso, além disso, controla, através do computador, a velocidade de penetração da agulha e cria uma vibração que faz com que o paciente não sinta dor”, explica o Prof. Jeová Siebra.

E quando estará disponível?

O professor afirma acreditar no potencial mercadológico do produto, para o qual vê possibilidades de penetração não só no mercado local como no nacional e internacional. “Existe um caminho grande entre desenvolver algo inovador e colocar no mercado. Normalmente, no Brasil, a gente fica muito a reboque dos produtos que vêm do exterior; não temos uma cultura inovadora estabelecida. Em relação a esse equipamento, portanto, estamos agora na fase de buscar parcerias para levá-lo para o mercado”.

Via Governo do Estado do Ceará

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Anestesia | Analgesia | Sedação

Marcadores:

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista