Sistema de injeção a laser que dispensa a agulha


Estudos indicam que 10% dos adultos têm medo de agulha. Mas é fato: os 90% restantes também não são chegados numa “espetadinha”. Por isso, sempre existem pesquisas no sentido de acabar com a dor da injeção.

E se depender dos pesquisadores da Universidade Nacional de Seul, na Coreia do Sul, a aicmofobia (ou belonofobia, que é a fobia de agulhas ou objetos pontiagudos) está com os dias contados. Já falei aqui no blog que estudos indicam que não olhar para a agulha é uma ótima estratégia para não sentir a dor da picada, mas o que os cientistas propõem desta vez é diferente e mais efetivo.

Sistema de injeção a laser que dispensa a agulha

Funciona assim: minúsculas bolhas de vapor são geradas cada vez que um sistema de laser é disparado. O conteúdo da injeção (que está em estado líquido) é separado da sua porção aquosa por uma membrana flexível. As bolhas pressionam essa membrana e o remédio (ou seja lá o que for) é disparado através de um jato finíssimo, de cerca de 150 micrômetros de diâmetro (1 micrômetro corresponde a 1 metro dividido por 1 milhão). Ou seja, pelo que eu entendi (porque a explicação é meio obscura, convenhamos) a agulha é substituída por um jato extremamente fino e indolor, que corresponderia, na prática, à sensação de um jato de ar.

É CLARO que no Brasil essa tecnologia ainda demora pra chegar. Enquanto isso, faça de conta que nem dói, assim como o rapaz do vídeo abaixo:


Ou assista aqui

Ca&%$# de agulha. 😀

Se essa tecnologia se aplicaria a uma anestesia odontológica a reportagem não revela. Mas, em princípio, não vejo impedimento para isso… até porque a agulha gengival usada pelos dentistas já é até mais fininha que as usadas em injeções convencionais. Oremos.

Vi na página de fãs da Dra. Anabelle no Facebook (curte lá!) 😉

Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Anestesia | Analgesia | SedaçãoCuriosidades

Marcadores:

9 comentários

  1. Oi doutora, ótimo blog, parabéns…
    Bem, eu fui ao dentista remover uma cárie que estava pequena por fora mas enorme por dentro.
    O que estranhei foi receber 4 anestesias e ainda assim sentir uma dor chatissima quando o motorzinho e as curetas encostavam.
    Isso é normal?

  2. Eu vi isso na Tv…. Olha, eu como doadora afirmo que realmente é um ca#@%& de agulha mesmo… A própria pessoa que punciona nem me deixa ver, mas como sou curiosa….. rsrsrsrsrs

    O cara do vídeo foi engraçado demais kkkkkkk

  3. Oi, Ana! Eu gostei muito do seu blog… encontrei a partir de uma pesquisa no Google. Hoje eu estive no dentista pra iniciar um tratamento de canal, e não consegui deixar ele aplicar a anestesia. Tentei fixar a mente em qualquer outra coisa, tentei não olhar, mas nada adiantou. Estou completamente atormentado com isso. Preciso fazer o canal, mas não consigo ser mais forte que o medo… é algo realmente incontrolável. O que eu faço? Pelo amor de Deus.

    1. Jerfson, talvez seja o caso de tentar algum tipo de sedação, como o óxido nitroso (gás). Utilizando essa técnica, o paciente fica consciente, muito menos ansioso e a própria percepção à dor diminui muito. Procure por dentistas que usam o método na sua cidade (veja o site da ABASCO http://www.abasco.com.br )

  4. Doutora, bom dia. Tenho uma dificuldade enorme com anestesia, porque anestesia em mim custa a pegar, parece que o meu nervosismo impede que a anestesia atue. Que tipo de substância anestésica é melhor nestes casos? Os calmantes ajudam no efeito da anestesia? Obrigada.

    1. Caren, pode-se usar uma anestesia mais “forte” ou que aja por mais tempo, como a bupivacaína. Sim, os calmantes ajudam no efeito da anestesia no sentido de que eles aumentam o limiar de dor do paciente, ou seja, a pessoa fica menos propensa à dor. Algo que poderia ajudá-la é a sedação consciente com óxido nitroso (gás).

  5. Eu tenho um medo incrível, absoluto de agulha, nem assisti o vídeo, aliás eu tive sorte porque quando fui fazer canal fui na total ignorância, então nem sabia que ia levar uma agulhada na boca (na verdade foram 3, suponho que nas primeiras a anestesia não queria pegar ou sei lá o quê). Na hora, quando eu vi já tinha levado. Verdade que não doeu, mas se eu soubesse como seria duvido que eu tivesse ido, tenho uma fobia terrível a isso e evito o quanto posso. Mas não sei não, talvez eu tivesse ido de qualquer maneira porque aquele dente quebrado me deixou quase louca.

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis.

Twitter: @AnaTokus e @medodedentista