ED #01: O Primeiro Molar Inferior

Na época de faculdade, na longínqua disciplina de Anatomia, uma de nossas muitas tarefas era a de desenhar dentes. É muito comum o exercício da escultura em cera como forma dos aspirantes a dentista se familiarizarem com a anatomia dental. Mas o ato de desenhar os elementos dentários não é assim tão praticado.

Bom, a minha turma teve que passar por mais essa. Embora a maioria dos meus colegas preferisse enfiar o lápis no olho 🙂 em vez de usá-lo para desenhar um dente, eu adorava. Lembro que passava horas avaliando ângulos, perspectivas, escalas, brincando com luz e sombra. Pois bem. Chamei os meus desenhos pra fora da gaveta e resolvi usá-los na mais nova coluna do Blog Medo de Dentista: Elementos Dentários. Vou apresentá-los a vocês, um a um. As ilustrações são feitas apenas com grafite, sobre papel sulfite comum. 
Em tempo: esses desenhos são fruto da observação de dentes reais, emprestados pela disciplina para que pudéssemos realizar a tarefa proposta. Então, eles possuem desgastes, fraturas, cáries, etc.. Mas o primeiro da série, o primeiro molar inferior, está inteirinho. 🙂 Falemos um pouco dele então… 
–> São dois. O da ilustração é o direito.
–> Tem 5 cúspides (pontas). Três do lado de fora (vestibular) e duas do lado de dentro (lingual).
–> Sua função é a de triturar os alimentos.
–> É o “molar dos 6 anos”. Adivinha por que? 🙂
–> Como é o primeiro molar permanente que irrompe (nasce), geralmente é o primeiro que se “estraga”… 🙁
–> É o dente mais frequentemente acometido por cáries. Cerca de 45% de todos os dentes extraídos são primeiros molares inferiores. o.o
–> É chamado popularmente de “queixal“.
Curiosidade: o primeiro molar inferior não substitui nenhum dente de leite. Ele irrompe atrás do último molar decíduo. Como nenhum dente cai para que ele apareça, muitos pais e mães acham se tratar de mais um dente de leite. Isso explica a alta taxa de cáries e perda do elemento associada a esse dente. Afinal, já que o dente vai cair mesmo, pra que cuidar, né?! 🙁
Compartilhe:

Comentários via Facebook


Categoria: Elemento Dentário

Marcadores:

7 comentários

  1. >Anônimo, eles vão pensar exatamente o que está escrito: que a maioria de nós, durante a faculdade, não pegou lápis e papel e desenhou um dente. Em vez disso, praticamos a anatomia dental de outras formas, como por exemplo, fazendo esculturas em cera. Só muda o meio, não o fim. Confesso que não entendi a sua indignação…

  2. >Na faculdade eu tive que desenhar os ossos da face! Até que também ficaram bonitinhos! hehehe!
    Seu desenho ficou lindo! É uma pena o primeiro molar ser o dente mais sofrido da arcada, pois pra mim ele é o mais bonito! Parece uma flor com as 5 cúspides hehehe!
    Beijos!

A área de comentários / perguntas está fechada. Agradeço a compreensão.

No plantão: Ana Tokus

Cirurgiã-dentista graduada pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela ABO-PR, convicta de que medo de dentista se combate (também) com informação. Diva-Boss do OdontoDivas e autora do Blog Raios Xis. Twitter: @AnaTokus e @medodedentista